Belém, uma capital rica em calor humano

A maior cidade da amazônia brasileira é um convite para o turista descobrir os seus encantos, sua farta mesa com frutos encontrados apenas na região e a cultura indígena

  
  
Mercado do Ferro

Imensa, senhora de si, a cidade convida para um passeio pelas ruas com famosos túneis verdes que fazem Belém ser conhecida como a Cidade das Mangueiras.

Batizada de Santa Maria de Belém do Grão-Pará, Belém é cidade de gente hospitaleira e beleza única. É também porta de entrada da região amazônica e parada obrigatória para quem quer
conhecer o norte do Brasil.

Belém foi fundada por Francisco Caldeira Castelo Branco, em 12 de janeiro de 1616, época em que foi construído, no encontro dos rios Pará e Guamá, o Forte do Presépio. Recentemente restaurado pelo Governo do Estado, é um dos locais que o turista não pode deixar de visitar.

A posição geográfica da capital do Pará no mercado regional indica oportunidade ímpar para negócios. É também saída brasileira para o corredor de integração com as Guianas e o Caribe.

A evidente vantagem geográfica somada às belezas naturais e ao valor inestimável do patrimônio cultural são responsáveis por um importante diferencial em relação às demais capitais brasileiras.

A metrópole conta, atualmente, com cerca de 1,5 milhão de habitantes e completa infra-estrutura turística.

Possui verdadeiras mostras de arquitetura setecentista - assinada pelo italiano Antonio Giuseppe Landi - mesclada com o barroco jesuítico do século XVII, que dão um charme peculiar à cidade.

Ao chegar, o turista se depara com um dos mais modernos aeroportos do país. O aeroporto Internacional de Val-de-Cans é o portão de entrada da Amazônia Oriental.

No acesso ao aeroporto, uma avenida leva o nome de Júlio César, prestando justa homenagem ao pioneiro paraense da aviação, Júlio César Ribeiro, que se notabilizou pelo invento da dirigibilidade dos balões.

Belém é uma capital rica em cores, cheiros e sabores, que podem ser sentidos em cada esquina: nas barracas de tacacá, nas vendas de açaí, anunciadas com bandeirinhas vermelhas, e nas mangas que caem das árvores.

Praça da República

São especialidades da culinária mais típica do Brasil, frutos da natureza pródiga, da colonização portuguesa e das heranças indígena e africana. Uma miscigenação cultural e racial que também se faz presente no artesanato e no folclore.

É em Belém que no segundo domingo de outubro acontece a maior procissão religiosa católica do país, o Círio de Nazaré. Foi também em Belém que aconteceu a Cabanagem, considerada a revolta popular mais autêntica da história do Brasil.

Arte e folclore
Belém é o maior centro artístico de toda a Amazônia, dispondo de mais de duzentos espaços, entre galerias, complexos culturais, palcos e salas para apresentações.

Um dos maiores centros de música erudita do Brasil, tem uma das mais antigas escolas de música do país. A Fundação Carlos Gomes tem o nome do maestro, que morreu no Pará, porque foi dirigida por ele.

A temporada erudita ocorre de agosto a dezembro, reunindo, anualmente, cerca de cem espetáculos de ópera (encenadas no Theatro da Paz, um dos maiores teatros de ópera do Brasil), canto lírico e canto coral, recitais, concertos, apresentações da Orquestra Sinfônica do Pará e espetáculos de balé, moderno e clássico.

Nas artes plásticas, um grande salão nacional ocorre anualmente, na primeira semana de outubro, e três outros no período de outubro/novembro.

O mês do folclore paraense é junho. As apresentações e festas se iniciam na primeira semana, com as trezenas de Santo Antonio, e terminam no último dia do mês, com as fogueiras de paneiros e sobras de festa, em honra de São Marçal. O auge da temporada são as festividades de São João, no dia 24, e São Pedro, no dia 29.

Em grandes bailes, dança-se forró, brega, lambada e carimbó. Nos teatros, apresentam-se os Pássaros - autos populares de raízes luso-indígenas - shows caipiras e de música regional. Nas pistas de desfile, as quadrilhas - caricatura das que antigamente eram dançadas em palácios europeus - e os concursos de boi-bumbá.

Agenda do Theatro da Paz: www.theatrodapaz.com.br/agenda.htm

Fonte: ParaTurismo

  
  

Publicado por em