Cidades brasileiras entraram no ranking da principal entidade mundial do setor de eventos

O resultado mostra a importância do trabalho dos convention bureaux locais na captação dos eventos e reforça a convicção de que a soma de esforços entre os poderes público e privado qualifica e fortalece o Brasil como destino turístico

  
  

A ICCA (International Congress and Convention Association), mais importante entidade mundial do setor, acaba de divulgar a lista das cidades que mais receberam eventos internacionais em 2007.

O Brasil fez jus ao 8º lugar que conquistou no ranking geral de países: oito localidades figuram entre os destinos preferidos para a realização de eventos internacionais.

A lista divulgada pela ICCA contempla as cidades que receberam em 2007 pelo menos cinco eventos internacionais que cumprem as exigências da entidade. A lista completa, que inclui as cidades brasileiras que sediaram até quatro eventos, deve ser divulgada em junho.

Com 61 eventos, São Paulo ficou em 23º lugar no ranking e é, pela segunda vez consecutiva, a cidade das Américas que mais recebe eventos internacionais, ficando à frente de Nova York, Vancouver, Montreal, Chicago e Buenos Aires.

Rio de Janeiro (em 39º lugar com 37 eventos), Salvador (em 50º lugar com 27 eventos), Porto Alegre (em 135º lugar com 10 eventos), Florianópolis (em 150º lugar com 9 eventos), Foz do Iguaçu - PR e Ouro Preto - MG (ambas em 208º lugar com 6 eventos) e Campinas – SP (em 244º lugar com 5 eventos) são as demais cidades brasileiras a figurar na lista de destinos preferidos mundialmente para a realização de eventos internacionais.

“O resultado mostra a importância do trabalho dos convention bureaux locais na captação dos eventos e reforça a nossa convicção de que a soma de esforços entre os poderes público e privado qualifica e fortalece o Brasil como destino turístico competitivo internacionalmente”, afirma Jeanine Pires, presidente da Embratur.

Top 10 pela segunda vez :

O ranking dos países que mais receberam eventos internacionais em 2007 foi divulgado pela ICCA em abril e o Brasil se manteve entre os dez primeiros. Com 209 eventos, ficou em oitavo lugar, ficando à frente de países historicamente muito fortes no setor, como Áustria, Holanda, Bélgica e Austrália.

Em seu anúncio, a ICCA destacou que “o Brasil, primeiro país latino-americano a figurar entre os top 10 em 2006, está consolidando sua posição, ao conquistar o oitavo lugar em 2007”. Os dez primeiros países, de acordo com a ICCA, no turismo de negócios são, pela ordem: Estados Unidos, Alemanha, Espanha, Reino Unido, França, Itália, Japão, Brasil, Áustria e Canadá.

De acordo com a presidente da Embratur, a mobilidade de posições é natural e um evento a mais pode significar uma posição à frente no ranking. “A disputa é sempre muito acirrada e o que importa é estar no pelotão de frente, consolidado como um destino qualificado para receber eventos internacionais”.

Estratégia consolidada :

A Embratur conta desde 2003 com um programa de apoio a captação e promoção de eventos internacionais. “O objetivo do programa é não só captar o evento mas oferecer roteiros e serviços alternativos ao turista, de forma que ele permaneça mais alguns dias no País”, explica Jeanine Pires, presidente da Embratur.

Em abril foram divulgados os resultados parciais de uma pesquisa encomendada pela Embratur à Fundação Getúlio Vargas (FGV) para medir o impacto econômico dos eventos internacionais nas cidades. Apenas seis eventos trouxeram 8,5 milhões de dólares em divisas para o Brasil, entre setembro de 2007 e janeiro deste ano.

Os dados preliminares indicam também que o público desses eventos tem altíssimo grau de escolaridade e um gasto médio diário que supera 312 dólares. Os efeitos positivos se ampliam para depois da viagem, com reforço na imagem positiva do país, como destino com boa infra-estrutura e serviços de qualidade.

Fonte : Embratur

  
  

Publicado por em