Conheça os prédios-símbolos que foram 'atacados' nos protestos da última semana

Milhões foram as ruas para protestar contra vários temas, porém alguns poucos decidiram atacar prédios públicos históricos como o Congresso Nacional, o Itamaraty, entre outros. Conheça mais sobre estes prédios e saiba como e quando visitá-los

  
  
Na segunda-feira (17/06) histórica, em Brasília, o Congresso Nacional foi tomado por uma multidão que subiu no telhado do prédio-símbolo da política nacional e gritou palavras de ordem

Aos gritos de "vem pra rua", "o Brasil acordou" e "sem violência", milhões de brasileiros foram protestar contra vários problemas que afligem a população. Desde o transporte público precário até a velha e conhecida corrupção, a pauta é longa e diversa e mostra a pluralidade de problemas que o Brasil possui. Porém, alguns locais viraram símbolo destes protestos e infelizmente por atos de vandalismo.

Vale lembrar que a ação de vândalos é de uma minoria que não representa os milhões de ativistas que foram as ruas protestarem por um Brasil melhor. Na segunda-feira, dia 17 de junho, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro foi alvo de vândalos que depredaram o prédio. No mesmo dia o Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo paulista, quase foi invadido em São Paulo. Ainda na segunda-feira histórica, em Brasília, o Congresso Nacional foi tomado por uma multidão que subiu ao telhado do prédio-símbolo da política nacional e gritou palavras de ordem. Já na terça-feira (18) foi a vez da prefeitura de São Paulo ser atacada por vândalos, enquanto uma maioria tentava impedir os atos de depredação do prédio. Por fim, na quinta-feira, o alvo voltou a ser Brasília onde manifestantes depredaram a sede do Itamaraty e quase atearam fogo na obra de Oscar Niemeyer.

Assembleia Legislativa Estado do Rio de Janeiro

Assembleia Legislativa Estado do Rio de Janeiro

O primeiro local a ser atacado nas manifestações, a Alerj foi inaugurada em 1926 e mescla os estilos franceses e neoclássicos. O prédio também possui vários afrescos e esculturas espalhadas pelo "Palácio Tiradentes", o nome oficial da sede da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro.

O imponente prédio está aberto a visitas todos os dias, porém em horários diferenciados. De segunda à sábado, das 10h às 17h, já aos domingos e feriados o prédio recebe o público das 12h às 17h. Desde 2001 uma parceria com a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) possibilitou que estagiários dos cursos de História e Ciências Sociais trabalhassem como guias-turísticos para visitas na Assembléia. Eles atendem desde escolas até visitantes estrangeiros (em inglês, francês e espanhol).
Entre os locais que podem ser visitados estão o plenário e sua cúpula feita de vitrais, o piso construído em mosaico, a biblioteca, o salão nobre e suas escadarias. O grande destaque da visita fica pela exposição fotográfica que conta os principais fatos da história brasileira. A entrada é franca.

Serviço
Rua Primeiro de Março, s/n - Praça XV - Rio de Janeiro
Tel: (21) 2588-1251 ou 2588-1393
http://www.alerj.rj.gov.br/

Palácio dos Bandeirantes

Palácio dos Bandeirantes: sede do governo paulista

O imponente Palácio dos Bandeirantes, símbolo da política paulista não foi construído para abrigar a sede do Governo de São Paulo. Em 1955 começou a ser construído para abrigar a Universidade "Conde Francisco Matarazzo", porém sérios problemas financeiros impossibilitaram o término das obras. Com isso, no final da década de 1950 o Governo de São Paulo desapropriou o prédio e o transformou em sua sede. Porém, ele só seria inaugurado em abril de 1964 pelo governador Adhemar de Barros.

O Palácio possui um dos mais ricos acervos artísticos do Brasil com obras de artistas consagrados, como Cândido Portinari, Aleijadinho e Benedito Calixto. Muitas delas não estão expostas permanentemente para o público, porém sempre há exposições temporárias. Durante as visitas guiadas é possível ver o Salão dos Pratos (uma das maiores coleções de cerâmica do Brasil) e a Galeria dos Governadores (quadros de todos os Governadores de São Paulo). Outro atrativo são os enormes jardins que medem cerca de 90 mil m² e possuem bolsões de Mata Atlântica. Entre as espécies encontradas por lá estão o pau-brasil, ipê-amarelo e cerejeiras. As visitas orientadas podem ser feitas de terça a domingo, das 10h às 17h. Já para grupos a partir de 10 pessoas é necessário agendamento prévio.

Serviço
Av. Morumbi, 4.500 - Portão 2 - Morumbi - São Paulo
Fone: (11) 2193-8282
http://www.acervo.sp.gov.br/home.html

Prefeitura de São Paulo

Prefeitura de São Paulo

O 'Edifico Matarazzo' foi construído em 1938 pelo arquiteto italiano Marello Piacentini para a ser a sede das "Indústrias Francisco Matarazzo". Porém, em 1974 com a falência do maior conglomerado brasileiro da história, ele passou para o controle do Banco do Estado de São Paulo (Banespa). Durante anos o edifício abrigou um Museu e a Biblioteca Banespa. O Centro Cultural possuía cerca de 37 mil livros, além de esculturas, gravuras e pinturas. Em 2004, o Edifício passou a ser a sede da Prefeitura de São Paulo.

Por não possuir visitas monitoradas, o edifício funciona em horário comercial (das 8h às 18h). Porém, um dos grandes destaques do prédio é sua arquitetura neoclássica simplificada que foi muito usada na Itália durante o Regime Fascista. O edifício de 14 andares e cerca de 28 mil m² tem em seu último andar um dos primeiros jardins verticais de São Paulo, o Jardim "Walter Galera". O nome é uma homenagem a Walter Galera (morto em 1995) que foi o idealizador do jardim construído com uma profundidade de 40 centímetros e que possui mais de uma centena de árvores frutíferas, ervas medicinais e plantas ornamentais. Diversos pássaros vivem no local, dando a impressão de estar num bosque há 80 metros de altitude no meio de São Paulo.

Serviço
Viaduto do Chá, 15 - Anhangabaú - São Paulo
(11) 3113-8000
www.prefeitura.sp.gov.br

Congresso Nacional

Congresso Nacional

O nome oficial do prédio do Congresso Nacional é " Palácio Nereu Ramos" em homenagem ao ex-presidente da República (ficou por 81 dias no cargo, entre 1955 e 1956). Ele é divido pela Câmara dos Deputados e o Senado Federal, sendo 81 senadores que 'representam' os 26 estados e o Distrito Federal e 513 Deputados que 'representam' o povo brasileiro. Porém, em que lado fica cada um dos poderes? O 'prato' virado para cima é a Câmara dos Deputados e o 'prato' virado para baixo é o Senado Federal. O prédio foi projeto por Oscar Niemeyer a pedido do então presidente Juscelino Kubitschek, sendo inaugurado em 1960.
O local é aberto a visitação pública todos os dias (inclusive sábados, domingos e feriados) e conta com guias bilíngües e de Libras. Lá os visitantes podem conhecer um pouco sobre a arquitetura desta obra prima, além da história e função do Congresso.

O horário de visitação é das 9h30 até às 17h e a entrada é franca. Porém, os visitantes devem ficar atentos para as roupas, pois não é permitido entrar de bermuda, calça curta, blusa regata ou chinelo. Além, de não pode entrar com bebidas alcoólicas ou armas. A entrada é feita pela rampa principal e os visitantes devem aguardar pelo guia no Salão Negro. Só é necessário agendar as visitas para grupos com mais de 15 pessoas.

Serviço
Praça dos Três Poderes - Brasília
Tel: (61) 3216-1771/ 3216-1772
http://www2.camara.gov.br/a-camara/conheca/visiteacamara

Itamaraty

Itamaraty

O "Palácio do Itamaraty" ou "Palácio dos Arcos" foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e inaugurado em 21 de abril de 1970, exatos 10 após a inauguração de Brasília. Esta demora para a conclusão da obra se deve ao fato do prédio ter o maior espaço coberto sem colunas do mundo. Na época de sua construção ainda não tinham tecnologia suficiente no Brasil para superar tantos obstáculos, com isso demorou uma década para ficar pronto.

O horário de visitação é de segunda a sexta-feira, das 14h às 16h. Já aos sábados, domingos e feriados, das 10h às 15h. A entrada é franca e conta com um serviço de guia bilíngue. Ao longo dos seus 2,8 mil m² os turistas podem aproveitar para conhecer os painéis de Rubem Valentim, Maria Martins, Sérgio Camargo, Athos Bulcão e o afresco de Alfredo Volpi. Já do lado de fora, sobre o espelho d'água está a escultura "Meteoro" que foi escalda por várias pessoas no dia do protesto. Ela foi desenhada em 1967 pelo escultor brasileiro Bruno Giorgi.

Serviço
Esplanada dos Ministérios - Bloco H - Brasília
Tel: (61) 2030-8051
http://www.itamaraty.gov.br/

Por Dennys Marcel

  
  

Publicado por em