Copa poderá consolidar Minas Gerais como Rota Turística Internacional

O Governo de Minas já tem mapeadas as principais melhorias a serem feitas em 22 destinos indutores do turismo mineiro visando atender ao crescimento da demanda do setor com a Copa do Mundo, com base em um estudo feito pela FGV

  
  

A Copa do Mundo FIFA 2014 é uma grande oportunidade para consolidar várias regiões de Minas Gerais como rota turística internacional. Essa foi uma das avaliações feitas na primeira reunião do Conselho Gestor das Copas, realizada nesta quinta-feira, na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte. O encontro, presidido pelo governador em exercício Alberto Pinto Coelho, teve o objetivo de fazer um balanço do que está sendo feito em todo o Estado para receber a principal competição de futebol mundial e traçar os planos para o futuro.

Segundo estudo apresentado pelo secretário de Estado de Turismo, Agostinho Patrus Filho, no último mundial, na África do Sul, 83% dos turistas fizeram o chamado “turismo adicional”, visitando pelo menos mais quatro cidades além dos locais em que assistiram os jogos da competição. A média de gasto por pessoa foi de R$ 11,4 mil.

“Vamos preparar os diversos roteiros em Minas e ofertá-los aos maiores operadores nacionais e internacionais, além de tratarmos da comunicação e promoção dos diversos destinos e roteiros do Minas”, disse o secretário, citando a Serra do Cipó, os parques estaduais, a rota das Grutas e as cidades históricas como circuitos de grande potencial turístico.

Segundo o secretário, as características das regiões turísticas em Minas podem ser bastante atrativas para quem visita o país. A África do Sul, por exemplo, recebeu, em 2010, mais pessoas interessadas em turismo ecológico e de aventura do que nas praias. “Isso demonstra uma grande oportunidade para Minas trazer os turistas não só preocupados em curtir sol e praia”, destacou Agostinho Patrus.

O Governo de Minas já tem mapeadas as principais melhorias a serem feitas em 22 destinos indutores do turismo mineiro visando atender ao crescimento da demanda do setor com a Copa do Mundo, com base em um estudo feito pela Fundação Getúlio Vargas.

“Em cima desses dados foi montado o nosso eixo de atuação: a sinalização turística, de acesso ou interpretativa, as estruturas de recepção aos turistas, que serão construídas ou melhoradas, e também a implantação de ferramentas tecnológicas de informação, além do trabalho de receptivo turístico”, detalhou o secretário.

CTS
Uma das opções para as cidades do interior é se credenciar como Centro de Treinamentos de Seleções (CTS). As cidades que receberem essa denominação da FIFA poderão receber as delegações estrangeiras, o que atrai também jornalistas e torcedores, além de dar visibilidade internacional para a região. “Estaremos fazendo todos os esforços para atrair para Minas Gerais várias de seleções para fazerem aqui a adaptação e os treinamentos para a Copa, não só aquelas que vão atuar em Belo Horizonte, mas também as que vão atuar em outros estádios e estados Brasil a fora”, diz o secretário Extraordinário para a Copa do Mundo, Sérgio Barroso.

Até agora seis cidades mineiras já receberam o título de CTS (Juiz de Fora, Montes Claros, Uberlândia, Araxá, Matias Cardoso e Extrema) e outras 14 já apresentaram suas candidaturas, o que mostra que muitos municípios já estão vendo na Copa a oportunidade para promoção da economia local.

“Vamos promover a cultura mineira e seus produtos. Vamos promover o queijo, o café a cachaça o artesanato. São empreendimentos muito importantes, não só para a Copa, mas toda a população mineira”, conclui o secretário.

Fonte: Governo do Estado de Minas Gerais

  
  

Publicado por em