Cresce o faturamento das empresas de turismo

O segmento que mais apresentou crescimento no faturamento foi o de promoção de feiras

  
  

As maiores empresas do ramo do turismo apresentaram um crescimento de 8,8 % no seu faturamento em 2013, em relação a 2012. O resultado superou as expectativas dos próprios empresários que apontavam para um percentual de 7,5%.

Os dados são da 10ª edição da Pesquisa Anual de Conjuntura Econômica do Turismo (PACET), realizada pelo Ministério do Turismo em parceira com a Fundação Getúlio Vargas.

A receita total foi de R$ 62,7 bilhões, cerca de 5 bilhões a mais que o faturamento do ano anterior. Também foram gerados 116 mil postos de trabalho.

O estudo leva em consideração as respostas de presidentes e executivos das 80 maiores empresas de turismo no Brasil, responsáveis por 116 mil empregos diretos.

O segmento que mais apresentou crescimento no faturamento foi o de promoção de feiras, com um aumento de 13,8%. As agências de viagem também tiveram um acréscimo de 13,5% nas suas receitas.

Depois vieram as empresas de transporte aéreos com 10,9% de aumento e os organizadores de eventos, com 9,6%. Os outros segmentos como operadoras de turismo, transportes rodoviários, meios de hospedagem e locadoras de automóveis apresentaram um percentual um pouco menor, na faixa de 6,8 % a 5,0%.

Em dez anos, o faturamento da empresas de turismo pesquisadas passou de R$ 7,3 bilhões com geração de pouco mais de 63 mil postos de trabalho, para os atuais R$ 62,7 bilhões e 116 mil emprego, um aumento de 859%.

Entre os principais pontos abordados na pesquisa da PACET, estão os fatores estimuladores ou limitadores da expansão do negócio, investimentos realizados e programados, e informações sobre o desempenho das empresas no anterior e projeção para o futuro.

“Os resultados foram acima da expectativa e as previsões para o próximo ano seguem otimistas, devido ao momento que vive o país com a realização dos grandes eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas de 2016”, afirmou o ministro do Turismo Vinicius Lages.

A pesquisa mostrou ainda que 84% do mercado pesquisado indica um expectativa de crescimento e em todos os segmentos pesquisados haverá investimentos em 2014, em alguns deles como agências de viagens, organizadores de eventos, transportes aéreo e rodoviário 100% das empresas pesquisadas vão investir no ano da Copa do Mundo.

Os principais fatores citados pelos empresários como responsáveis pelas expectativas otimistas são descritos de forma diferente em cada segmento.

No caso das agências de viagens, a aposta está nos investimentos em novas tecnologias, na melhoria dos serviços e no incremento da área comercial para atrair novos clientes, e ainda a alta exposição do país na mídia internacional devido, a realização da Copa do Mundo.

Já as locadoras de automóveis acreditam na continuidade da demanda crescente do mercado, alavancados pelos eventos esportivos.

Em relação aos meios de hospedagem, existe um perspectiva de forte expansão da demanda devido também em função da Copa do Mundo e das Olimpíadas, mas também porque muitas unidades estavam em obras e reformas e agora serão reabertas ao turista. Eles apostam ainda na captação de novos negócios e eventos.

Segundo a Associação Internacional de Congresso e Convenções (ICCA), o Brasil é hoje, o sétimo colocado no mundo na captação de eventos internacionais em 2012, quando realizou 360 eventos.

Visite: www.revistaecotour.com.br

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em