De olho na intenção do turista

Saber o que os consumidores querem é fundamental para expandir negócios

  
  

Muito se tem falado no poder de consumo da nova classe média brasileira. Mas ainda há muitos estereótipos que não traduzem a realidade deste mercado. "Ao contrário do que muitos pensam, a maior parte da nova classe C não está na região Nordeste, mas na região Sudeste", afirma Renato Meirelles, diretor do instituto de pesquisas Data Popular. Ele foi um dos palestrantes do Fórum Panrotas, que encerrou nesta terça-feira (29) em São Paulo. O fórum reuniu em torno de 2 mil pessoas em dois dias de duração, consolidando-se como uma das arenas de debates mais importantes do setor turístico brasileiro.

Renato destacou que dos cerca de 80 milhões de habitantes do Sudeste, 55% pertencem à classe média e que o aumento dos empregos formais no país tem impacto direto no setor turístico: "mais do que o bolsa-família, a carteira assinada é um estímulo para o trabalhador incluir viagens na sua cesta de consumo - afinal, ele tem um adicional de um terço em seu salário e pelo menos 20 dias compulsórios para descanso".

Renato também chama atenção para o fato de que cerca de 30 milhões de brasileiros vivem fora da sua cidade natal. É claro que essas pessoas vão querer, mais cedo ou mais tarde, visitar seus parentes e amigos. "Com condições favoráveis de crédito e a estabilidade econômica, que permite o planejamento antecipado, este é um nicho maravilhoso a ser explorado."

O ministro do Turismo, Pedro Novais, participou da abertura do Fórum Panrotas. A nona edição do evento foi realizada em parceria com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e reuniu empresários das mais importantes empresas do setor turístico brasileiro e internacional em São Paulo.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em