Dos livros de História à visitação turística

Roteiro Integrado da Civilização do Açúcar já está disponível para comercialização

  
  
Um tradicional engenho em Maragoji (AL)

Há pouco mais de 500 anos, começava o Ciclo da Cana-de-Açúcar no Brasil. O processamento era feito nos engenhos nordestinos e utilizava o trabalho escravo. A cana, que veio do Oriente, se adaptou bem ao solo brasileiro e, em pouco tempo, ganhou mesas de todo o mundo.

Esse período da história acaba de virar um pacote turístico. O Roteiro Integrado da Civilização do Açúcar foi lançado durante o 4º Salão do Turismo – promovido pelo Ministério do Turismo (MTur) em julho deste ano – e faz parte da segunda edição da Rede de Cooperação Técnica para a Roteirização do Turismo.

Os estados de Alagoas, Paraíba e Pernambuco compõem o roteiro. Quem visitar o roteiro terá a oportunidade de conhecer canaviais, engenhos, senzalas, reservas ecológicas, praias e sítios históricos, como as cidades de União dos Palmares e Marechal Deodoro, considerada Patrimônio Histórico Nacional.

De acordo com a representante do comitê gestor do roteiro, Beatriz Regina de Noronha Dantas, a comercialização do pacote deveria começar apenas em 2010, mas devido à procura, o pacote já começou a ser vendido.

Ela diz que a roteirização está ampliando as opções dos viajantes que procuram a riqueza da cultura nordestina. “Já há algum tempo, nós sentíamos a necessidade de uma nova abordagem para o Nordeste, além do sol e das praias. Quem está trabalhando com o roteiro fala em bons resultados”.

Beatriz Dantas conta, ainda, que o diferencial do pacote é a integração com o turista durante os passeios: “Além de visitar, ele poderá participar e acompanhar, por exemplo, o processo de produção da farinha desde o descasque da mandioca”.

Outra preocupação do comitê gestor do roteiro é com oportunidades futuras, como a Copa do Mundo de 2014. É o que conta o diretor de Destinos e Produtos da Secretaria de Turismo de Alagoas, Jair Galvão Neto: “Após a estruturação da comercialização do roteiro vamos planejar como iremos atrair esses turistas que passarão de 15 a 20 dias no Brasil por conta dos jogos”.

A Rede de Cooperação Técnica é um projeto do MTur em parceria com o Sebrae Nacional, que tem como gestor o Instituto Marca Brasil. A cada edição, são lançados cinco novos roteiros integrados, um por região brasileira.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em