Embratur apresenta resultados do acordo de cooperação com a ABEOC

Durante a 43ª Reunião Nacional de Dirigentes da ABEOC, realizada entre os dias 05 e 07 de julho, no Pestana Bahia Hotel, em Salvador, a gerente de Turismo de Negócios da Embratur, Flávia Malkine Araújo, apresentou os prime

  
  

Durante a 43ª Reunião Nacional de Dirigentes da ABEOC, realizada entre os dias 05 e 07 de julho, no Pestana Bahia Hotel, em Salvador, a gerente de Turismo de Negócios da Embratur, Flávia Malkine Araújo, apresentou os primeiros resultados do Acordo do Cooperação Técnica firmado entre o Instituto e a ABEOC para a captação e promoção de eventos no Brasil.

Segundo Flávia Malkine, nos dois últimos anos foram celebrados 25 convênios por meio do Acordo de Cooperação Técnica firmado com a ABEOC, sendo 11 em 2005 e 14 em 2006. O repasse de recursos para esses eventos foi de R$ 555.399,91. Dos 25 eventos apoiados, sete já foram realizados, cujo investimento da Embratur nesses eventos foi de R$ 275 milhões.

“Com relação ao número de participantes estrangeiros, estima-se cerca de 6.620. Os gastos estimados desses estrangeiros com inscrição e hospedagem ultrapassam R$ 13 milhões. De acordo com dados fornecidos pelos organizadores de três desses sete eventos já realizados, foram vendidos 943 pacotes turísticos”, comentou Flávia.

A presidente da ABEOC, Simone Saccoman, explicou durante a apresentação da Embratur como funciona o acordo da entidade com o órgão. “A função da ABEOC é avaliar os critérios estabelecidos previamente com a Embratur para validar o projeto, de forma que este poderá receber o incentivo de até R$ 25 mil para a promoção ou captação.

O mecanismo implica em o Convention Bureau ou a empresa organizadora encaminhar o projeto para a ABEOC que, após fazer a avaliação, encaminhará para a Embratur, que fará outra análise e efetivará o repasse da verba”, explicou.

Dentre os critérios para que o evento receba o incentivo da Embratur para promoção estão: ter caráter internacional, ser itinerante, ser um evento já consolidado, estando no mínimo em sua terceira edição, ter pelo menos 500 participantes e freqüência mínima de 20% de participantes procedentes de outros países.

De acordo com a apresentação feita por Flávia, de entre 2003 e 2006 foram captados 101 eventos com o apoio da Embratur, dos quais estima-se que houve mais de 900 pernoites e cerca de 135 mil participantes internacionais.

Os gastos com hospedagem por parte dos estrangeiros chegam a R$ 543 mil e a estimativa de receita deixada por cada participante é de R$ 1.359,00. Com relação aos eventos promovidos com apoio da Embratur, foram 103 eventos, nos quais estima-se a participação de mais de 119 mil estrangeiros. Desses eventos, a estimativa é de que cada participante tenha deixado R$ 1.512,00.

Na ocasião, Flávia também destacou o crescimento do número de eventos internacionais realizados no país, de acordo com o ranking da ICCA e os critérios para ser inserido no mesmo. “De 2002 a 2006, o Brasil subiu 14 posições no ranking da ICCA, saindo do 21º lugar para o 7º, no ano passado. A participação do mercado do Brasil na América Latina por número de eventos foi de 37%, em 2005, e 42%, em 2006. Por número de participantes, a nossa participação foi de 45%, em 2005, e 51%, em 2006, quando subimos oito posições de 2002, quando ocupávamos o 16º lugar, chegando o 8º nos dois últimos anos”, explicou Flávia.

Os critérios de pesquisa de eventos para o ranking da ICCA compreendem fatores semelhantes aos dos estabelecidos pela Embratur para incentivo à captação e promoção. São eles: ser itinerante, mínimo de 50 participantes e estar no mínimo na terceira edição. “O projeto deve ser enviado com todas as informações referentes ao evento, como nome, data, local, histórico das duas edições anteriores e o número de participantes, entre setembro e dezembro de 2007”, explicou Flávia.

Fonte: Firma Comunicação Integrada

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em