Estrada de Ferro Oeste de Minas completa 126 anos

Cento e vinte e seis anos de operação ininterrupta. Esse é o marco histórico que a Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM) completa na próxima terça-feira (28/08). A linha férrea, que liga São Jo&atil

  
  

Cento e vinte e seis anos de operação ininterrupta. Esse é o marco histórico que a Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM) completa na próxima terça-feira (28/08). A linha férrea, que liga São João del-Rei à Tiradentes é administrada pela Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) desde 1996.

Para comemorar o 126º aniversário da Maria Fumaça, a FCA irá oferecer um passeio gratuito aos antigos ferroviários da região e seus familiares. O trenzinho irá partir de São João del-Rei em dois horários: 13h e 15h.

Para garantir a gratuidade dos bilhetes os ex-ferroviários deverão comparecer à estação apresentar um documento que comprove a sua ocupação de ferroviários. Para evitar transtornos a administração da Maria Fumaça solicita que os ex-ferroviários cheguem para o passeio com alguns minutos de antecedência.

Maria-Fumaça:

Com 11 vagões de madeira que totalizam 365 lugares, a Maria-Fumaça é conhecida como Bitolinha, pois é a única no Brasil que possui a bitola (espaço entre os trilhos) estreita, de 76 centímetros. Passear na Maria-Fumaça é fazer uma viagem no tempo. Pelas janelas, os passageiros podem apreciar, durante o percurso de 13 quilômetros, o Rio das Mortes, palco da Guerra dos Emboabas (1707-1709), e a Serra de São José, área de preservação ambiental de 12 quilômetros de extensão também conhecida como Serra de Tiradentes.

A Maria-Fumaça circula às sextas-feiras, sábados, domingos e feriados, com duas saídas de São João e duas de Tiradentes. O complexo turístico ferroviário de SJDR é, possivelmente, um dos maiores conjuntos de preservação da memória ferroviária no Brasil. Além da EFOM, faz parte do complexo o museu ferroviário, a rotunda, que pode ser comparada a garagens para locomotivas e vagões, e antigos prédios da ferrovia, localizados em um pátio de 35 mil metros quadrados.

Um pouco de história

A Estrada de Ferro Oeste de Minas (EFOM) foi inaugurada no dia 30 de setembro de 1879, ligando, a princípio, as cidades de Antônio Carlos, próxima a Barbacena, e Barroso. A EFOM foi considerada a ferrovia “mais” mineira, pois, um ano após a inauguração, sua sede passou a ser São João del-Rei, resultado do esforço realizado pela comunidade local para que a ferrovia chegasse até a cidade. Nessa época, por onde passava, o trem já despertava o interesse e a emoção dos moradores. Alguns historiadores chegaram a considerar a Estrada de Ferro Oeste de Minas como a primeira ferrovia do Estado, já que as demais possuíam as sedes no Rio de Janeiro.

A ferrovia chegou a atingir 700 km de extensão e pode ser considerada uma das raízes do que viria a ser, anos mais tarde, a Ferrovia Centro-Atlântica (FCA), herdeira da malha Centro-Leste brasileira, a partir do processo de desestatização da Rede Ferroviária Federal S.A., em 1o de setembro de 1996.

O mais importante trecho dos 700 quilômetros que formavam a antiga EFOM é o que liga as cidades de SJDR e Tiradentes. São 12 quilômetros de malha ferroviária, e o trajeto representa uma das grandes atrações turísticas da região. Ele é a extensão do museu ferroviário, localizado na estação coberta. Por esse verdadeiro museu dinâmico, construído há mais de 120 anos, trafega, ainda hoje, a famosa Maria Fumaça, locomotiva baldwin, de bitola estreita, fabricada nos Estados Unidos.

O Complexo Ferroviário de São João del-Rei, tombado pelo patrimônio histórico em 1989, nos convida a fazer uma viagem da origem ao crescimento das ferrovias no Brasil. Na estação coberta de São João del-Rei, encontra-se o Museu Ferroviário, visitado por milhares de turistas de todo o Brasil. Entre as atrações, uma chama a atenção dos visitantes: a primeira locomotiva da Estrada de Ferro Oeste de Minas e a réplica do vagão no qual viajou o imperador Dom Pedro II.

Ferrovia Centro-Atlântica

A Ferrovia Centro-Atlântica (FCA) é uma concessionária do transporte ferroviário de cargas desde setembro de 1996, a partir do processo de desestatização da Rede Ferroviária Federal (RFFSA).

A FCA é responsável pela operação de uma malha com 7.840 km de linhas e abrange sete estados – Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Sergipe, Goiás, Bahia, São Paulo e o Distrito Federal. O período de concessão é de 30 anos, renováveis por mais 30. A empresa não detém a propriedade dos ativos, pois estes pertencem à União.

Serviço:

Passeio na Maria Fumaça
Preço para visitantes:
- ida: R$15 (inteira) / R$8 (meia)
- ida e volta: R$25 (inteira) / R$14 (meia)

Crianças de 5 a 10 anos e maiores de 65 anos pagam meia

Funcionamento: sexta a domingo nos feriados, em vários horários

Informações: (32) 3371-8485.
Crianças até 5 anos no colo não pagam

Fonte: Simone Lanes - Assessoria de Imprensa Ferrovia Centro-Atlântica

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em