Fuxico, cachaça e marionetes

Ministério do Turismo lança site que reúne atrações selecionadas no guia “Caminhos do Fazer”

  
  

Parte do encantamento de fazer turismo está nas lembranças. Para garantir que os turistas levem para casa um souvenir que conte histórias e o faça reviver a originalidade e a diversidade do lugar visitado, o Ministério do Turismo lançou as versões impressa e online da publicação “Caminhos do Fazer – Guia de Produtos Associados ao Turismo” (www.fazeresdobrasil.com.br).

A cartilha foi apresentada no início da tarde desta quinta-feira (21), durante a Feira das Américas – Abav 2010, no Rio de Janeiro (RJ). O objetivo é auxiliar as operadoras de turismo, na formatação de roteiros, e turistas, na identificação de interesses e atrativos de suas viagens, oferecendo informações sobre os principais produtos de artesanato, moda, culinária típica, manifestações culturais e agroindústria de 16 municípios brasileiros.

As iniciativas contempladas na primeira edição vêm de Nova Olinda e Juazeiro do Norte (CE), Parnaíba (PI), Bezerros (PE), Caicó (RN), Rio Branco (AC), Manaus (AM), Belém (PA), Mata de São João (BA), Aracaju (SE), Cuiabá (MT), Brasília (DF), Parati (RJ), Tiradentes (MG), Bananal (SP) e Pomerode (SC).

O projeto, desenvolvido pelo Ministério do Turismo (MTur) em parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), é executado pelo Instituto Cultural e Educacional do Paraguaçu (INCEP).

Experiências mais ricas – Segundo Ana Laura Ravagnani, coordenadora de criação do site, o endereço eletrônico vai enriquecer as experiências de viagem. “Oferecemos uma ferramenta de navegação interativa, que possibilita a pesquisa por conteúdo, categoria ou localização”, conta. Interessados também podem montar o seu próprio guia de bolso e blogueiros e twiteiros podem compartilhar as informações do site nas redes sociais.

O projeto faz parte da estratégia de promoção e apoio à comercialização criada pelo Ministério do Turismo para a diversificação da oferta turística, valorização dos roteiros, aumento do tempo de permanência e o gasto médio diário do visitante, e incremento do fluxo de turistas nas localidades beneficiárias, gerando emprego e renda para as comunidades locais.

De acordo com a diretora do departamento de Qualificação, Certificação e Produção Associada do Ministério do Turismo, Regina Cavalcante, “a representatividade cultural e a identidade regional são elementos decisivos na incorporação de produtos de qualidade ao roteiro, que contribuem para incrementar a competitividade de um destino”.

Segundo Maurício Tedeschi, coordenador nacional da carteira de projetos de artesanato do Sebrae, o projeto promove a inclusão de empreendedores e unidades produtivas no setor econômico do turismo. “A divulgação abre possibilidade de novos negócios e melhora a auto-estima dos empreendedores”, afirmou.

ALGUNS ATRATIVOS IDENTIFICADOS
Marionetes de teatro de Paraty (RJ), a produção de cachaça artesanal e os fuxicos de Tiradetes (MG), que são delicadas aplicações feitas à mão em tecidos coloridos, estão documentadas no guia.

Mata de São João (BA) está representada pelas tranças de palmeira piaçaba, que formam bolsas, chapéus, sousplats e outras peças decorativas. A herança dos índios tupinambás é um dos traços culturais preservados pelas mãos de artesãs da Praia do Forte, nome pelo qual a cidade é conhecida.

Em Pomerode (SC), destacam-se as tradições germânicas, que se mantêm fortes e vivas entre seus 27 mil habitantes. Em ateliês, o visitante pode assistir à minuciosa arte do entalhe de brasões, aprender técnicas de pinturas que reproduzem flores e dão mais vida aos móveis em madeira e, ainda, visitar uma linha de produção da mais alemã das bebidas, a cerveja – que é artesanalmente produzida em vários tons e sabores.

Os produtos do guia foram selecionados conforme sua representatividade cultural, identidade regional, valorização da arte popular, utilização de técnicas de produção tradicionais ou inovadoras que atraiam o turista e despertem o interesse em conhecer o processo produtivo, e a utilização de matérias-primas de origem local, entre outros critérios.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em