Inaugurado circuito turístico feito por escravos para transportar ouro e diamantes

No trecho da Estrada do Rei existem dois segmentos calçados. O primeiro, na Serra permeada pelo Rio Paraguai e o outro, na Serra do Tombador.

  
  
A cerimônia inaugural do circuito, que também contou com banho no Rio Paraguaizinho e contemplação da natureza no Mirante, ocorreu com a Caminhada Ecológica/Divulgação

O histórico município de Diamantino (198 km de Cuiabá) que completou 285 anos no dia 18 de setembro, inaugurou no sábado (07/09) o "Circuito Serra Calçada – Rota Estrada do Rei, caminho dos diamantes" e passa oferecer ao Brasil um importante destaque no ecoturismo que remonta à época do Brasil Imperial.

A história do país, quando as riquezas naturais eram transportadas por estradas e vielas até ganharem destinação por navios para Portugal, se mantém intacta na Estrada do Rei, na divisa entre os municípios deDiamantino e Alto Paraguai.

Como parte da programação do aniversário de Diamantino, o prefeito Juviano Lincoln, acompanhado do secretário municipal de Esportes, Lazer e Turismo, Euclides Eurico das Neves "Kid" e o presidente da Câmara Municipal, vereador Luiz Carlos Gaino, descerraram a placa que marca uma nova realidade para o turismo histórico mato-grossense e coloca o Estado com a mesma proeminência no setor que Minas Gerais.

A cerimônia inaugural do circuito, que também contou com banho no Rio Paraguaizinho e contemplação da natureza no Mirante, ocorreu com a Caminhada Ecológica, após a Hora Cívica em alusão ao Dia da Independência do Brasil.

“Estamos redescobrindo nossa história e fazendo justiça com a preservação da identidade do país. Diamantino passa ter de forma acessível para turistas e estudiosos, parte da história do Brasil e de Portugal”, mencionou o prefeito.

A Estrada do Rei foi aberta ou construída no século XVIII para facilitar o escoamento da produção, inicialmente de ouro e mais tarde, do diamante da Vila Real de Nossa Senhora da Conceição do Alto Paraguai para a Coroa, no Rio de Janeiro

.

O trecho da estrada partia de Diamantino, passando pela Peraputanga, Forquilha, Tombador - Nobres e Rosário Oeste. Nesta localidade, o carregamento de ouro ou de diamante seguia para a Capital da Província de Mato Grosso, por via fluvial, através do Rio Cuiabá e depois, para o Rio de Janeiro, sempre sob a guarda dos Dragões, um regimento da força do Rei de Portugal. O percurso terrestre também chegava a Cuiabá.

A Serra Calçada foi construída no mesmo período, com a finalidade de assegurar o transporte, em qualquer época. As pedras formavam um pavimento que facilitava o acesso dos animais de cargas, tanto de subida como de descida e também evitava o assoreamento da estrada e o deslizamento de encostas.

No trecho da Estrada do Rei existem dois segmentos calçados. O primeiro, na Serra permeada pelo Rio Paraguai e o outro, na Serra do Tombador.

A criação do circuito turístico surgiu quando o projeto InterAção, em que o Governo Municipal de Diamantino monta expedições aos locais mais afastados da área central da cidade e leva as ações aos moradores no local em que vivem, ao mesmo instante que visita as potencialidades naturais do município.

O circuito também engloba o Rio Paraguaizinho e o Mirante, áreas naturais e preservadas que proporcionam ao visitante inesquecível contemplação da natureza e de parte da história do país.

Visite: www.revistaecotour.com.br

Fonte: Laércio Guidio

  
  

Publicado por em