Indústria de preservativos é atração turística no Acre

Fábrica utiliza tecnologia de ponta, protege a floresta, atende ao programa DST/Aids e eleva a qualidade de vida das famílias seringueiras

  
  
Trabalhador tira látex da seringueira

Uma fábrica de preservativos masculinos virou exemplo de projeto sustentável de interesse turístico para quem visita Xapuri, no interior do Acre. A Natex, única no mundo a utilizar látex de seringal nativo na produção de “camisinhas”, tem tudo a ver com a história dos seringueiros acreanos e com a preservação da floresta amazônica.

A relação com as populações tradicionais locais torna a fábrica, que produz 100 milhões de unidades/ano, um atrativo de interesse cultural. Assistir à retirada da borracha no meio da mata, ouvir as histórias da vida nos seringais e depois ver o látex ser transformado em preservativos é uma experiência inesquecível. A Natex provocou uma espécie de ressurgimento da atividade seringueira em Xapuri.

O leite retirado das seringueiras da Reserva Extrativista Chico Mendes garante o sustento de mais de 400 famílias envolvidas direta e indiretamente na produção dos preservativos. “Trabalhamos com a lógica da agregação de valor”, afirma o secretário de Turismo do Acre, Cassiano Marques. Ele explica que a fábrica é uma iniciativa de desenvolvimento de tecnologia para aumentar a competitividade dos produtos florestais, de viabilização da economia extrativista da borracha natural e um projeto de grande alcance social.

Criada em 2002 e operando desde 2007, a Natex é uma iniciativa do Governo do Acre em parceria com os ministérios da Saúde, Integração Nacional, Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e Banco Interamericano de Desenvolvimento. Toda a produção é direcionada para o Programa DST/Aids do Ministério da Saúde.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em