Itália aponta mudanças no setor termal

Boas práticas observadas na Itália serão incorporadas por empresários brasileiros do setor

  
  
Terme Sensoriali

Principal destino de termalismo do mundo, a região italiana da Toscana está investindo na diversificação da oferta de pacotes turísticos para superar a mudança do perfil dos seus frequentadores e os efeitos da crise mundial, que provocou forte redução no número de visitantes. A estratégia é associar atividades de bem-estar e saúde a outros atrativos da região, como a enogastronomia, produção artesanal e a riqueza histórico-cultural da Toscana.

Essa foi uma das constatações do grupo de empresários brasileiros que esteve na Itália no período de 13 a 19 de junho participando do programa “Benchmarking 2010 - Excelência em Turismo, aprendendo com as melhores práticas internacionais”.

O programa é executado pela ABAV em parceria com o SEBRAE, EMBRATUR e Ministério do Turismo. O objetivo é qualificar agentes e operadores brasileiros utilizando o benchmarking, técnica que consiste na análise e incorporação de práticas eficientes identificadas em destinos referência.

Novo posicionamento

Nesta etapa do programa, que teve como foco de observação o turismo de bem-estar e termalismo, os empresários selecionados tiveram reuniões com operadores e representantes do governo da Toscana e fizeram visitas técnicas a Hotéis, Spas e Resorts instalados nas cidades de Monsummano, Montecatini, San Casciano dei Bagni, Bagno Vignoni, Chianciano e Florença.

Para Karla Buzzi, consultora técnica do projeto, ficou claro uma tendência do setor de distanciar o termalismo do conceito de tratamento e cura de doenças e posicionar a atividade sob o ponto de vista do bem-estar e da saúde preventiva. “A atividade termal precisa se renovar e inovar para manter o mercado”, disse.

“Em Therme di Chianciano, por exemplo, eles desenvolveram uma moderna estrutura chamada Terme Sensoriali, que é um centro de bem-estar com base nos cinco sentidos e nos cinco elementos da natureza, explica Karla Buzzi, referindo-se a um templo termal de 1.300 m2 criado em 2006 na cidade Chianciano Terme, a 90 km de Florença. “Alguns empresários manifestaram interesse em implantar estrutura semelhante em seus negócios no Brasil proporcionando inovação ao setor”, completou a consultora técnica do projeto.

Para o Diretor do ICCABAV e Gestor do Programa, Antonio Azevedo, “o turismo termal no Brasil passa a ter nova dimensão e novo horizonte a partir desta visita técnica, que agrega processos de inovação e novos métodos de gestão”, afirmou.

Bem estar e termalismo

Terme Sensoriali

A atividade termal surgiu na Itália a partir de Roma e da Toscana no Século III a.C. com a descoberta de fontes de águas quentes, onde se formaram grandes termas públicas ou privadas, que comportavam até 6 mil pessoas. A partir do século XVII teve inicio o conceito de termalismo moderno, com a construção de grandes hotéis e até cidades em volta das termas.

Hoje a Toscana recebe anualmente 42 milhões de turistas. As termas representam cerca de 10 por cento desse movimento turístico, empregando 120 mil pessoas direta ou indiretamente. “É um turismo reservado a uma classe econômica elevada, que permanece por um tempo maior no destino, disse Paolo Bondini, diretor geral de desenvolvimento econômico da Regione Toscana.

Segundo Bondini, na tentativa de superar a crise do setor, o governo privatizou a administração de algumas termas, mobilizou 30% dos recursos destinados a promoção turística para o setor termal e abriu linhas de financiamento aos empresários interessados em aprimorar sua estrutura.

Bela Toscana

Cenário de filmes românticos e novelas, a Toscana é uma região da Itália central de 3,5 milhões de habitantes, banhada a oeste pelo mar Ligure e Mar Tirreno, que tem como capital Florença. É o berço do idioma italiano moderno e de grandes nomes da literatura e da arte como Dante, Patriarca, Leonardo da Vinci e Michelângelo. A Toscana possui riquezas conhecidas no mundo todo, como os famosos Mármores de Carrara, os conceituados vinhos Chianti e Brunello, a Torre de Pisa, o Duomo de Florença, entre outras atrações.

Em seu belíssimo planalto revestido de parreirais e plantações de trigo, é possível avistar pequenas cidades medievais no topo das montanhas, resquício dos etruscos e do império romano. Grandes hotéis termais emergem entre os vales, geralmente, formando um pequeno povoado ao seu redor.

Aplicação no Brasil

Agora cabe aos empresários participantes dessa missão técnica a multiplicação do conhecimento gerado através de palestras em suas regiões. Os empreendedores também voltaram estimulados a implantar parte das práticas observadas em seus empreendimentos.

No final do Programa, uma compilação das melhores práticas de termalismo registradas nesta missão será publicada para que qualquer pessoa possa ter acesso. A divulgação desse material está prevista para acontecer no próximo Congresso da ABAV, previsto para o final de outubro no Rio de Janeiro.

Fonte: ABAV Nacional

  
  

Publicado por em