Jijoca de Jericoacoara dá exemplo de gestão turística

Com a campanha Eu amo Jeri, por isso eu cuido, grupo gestor do turismo local mostra como a gestão participativa e ideias simples podem melhorar a vida de moradores e turistas

  
  

Um paraíso ecológico e que necessita de preservação. Ao mesmo tempo, uma vila pequena, destino de cada vez mais turistas que desejam urbanização e infraestrutura. Nesse contexto, surge a campanha “Eu amo Jeri, por isso eu cuido”. Resultado de reuniões entre o governo estadual e municipal e moradores locais de Jijoca de Jericoacoara, no litoral oeste do Ceará, a campanha estabeleceu diretrizes para o funcionamento do trânsito na vila durante o Reveillon, época em que a região recebe número elevado de turistas e o tráfego de veículos dificulta a circulação das pessoas.

O planejamento e a execução de iniciativas simples e efetivas, como essa, em prol do desenvolvimento turístico local, é o objetivo das oficinas de capacitação do projeto de Gestão dos 65 Destinos Indutores. As oficinas, uma parceria entre o Ministério do Turismo (MTur) e o Instituto Marca Brasil (IMB), tem o intuito de reforçar a política de gestão descentralizada adotada pelo MTur junto aos grupos gestores dos destinos turísticos.

O objetivo é preparar os 65 destinos turísticos priorizados pelo Ministério do Turismo (MTur) para planejarem e executarem projetos para o desenvolvimento do turismo em suas regiões. A primeira das 65 oficinas de gestão do MTur terminou na última terça-feira (19) em Manaus (AM). A previsão é que a oficina de Jijoca de Jericoacoara aconteça no período de 08/03 a 09/03.

O coordenador de turismo da Secretaria Municipal de Turismo e Meio Ambiente de Jijoca de Jericoacoara, Juscelino Mota, conta como surgiu a idéia de controlar o trânsito da vila. “A vila é pequena. No fim do ano, o aglomerado de pessoas é muito grande. Então surgiu a necessidade de organizar o trânsito, pois as pessoas não podiam circular”.

Entre as diretrizes adotadas pelo grupo gestor da região, destacaram-se a circulação dentro da vila somente de veículos autorizados pela prefeitura para embarque e desembarque e o estacionamento obrigatório dos veículos em área determinada pelo governo local. “Já existia um estacionamento que estava desativado, nós só reativamos”, explica Mota. Além disso, no período do Reveillon, foi proibido o tráfego de veículos na faixa da praia e a circulação de quadriciclos pela vila.

Segundo Mota, a ação foi um sucesso e faz parte de um projeto piloto. “A previsão é que as regras se estendam para todo o ano. Durante o piloto, percebemos que havia falhas, ajustes eram necessários. Agora estamos conversando com a comunidade, com os turistas e governo para fazer as correções. A ideia é continuar com a ação que agradou aos turistas e à população”, ressalta. E, acrescenta, “pessoas de outras praias nos visitaram para entender melhor a ação, pois enfrentaram problemas semelhantes no fim do ano”.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em