Mascote da Copa de 2014 chega as Cidades-Sedes

Para estimular a definição do nome do tatu-bola escolhido como mascote da Copa do Mundo de 2014, um boneco inflável com 7 metros de altura ficará nas Cidades que receberão os jogos da Copa

  
  
Mascote da Copa do Mundo de 2014 em Porto Alegre

Desde esta segunda-feira, 24, o mascote, por enquanto apelidado de tatu-bola, já está em dez das 12 cidades brasileiras da Copa: Porto Alegre, Brasília, Recife, Salvador, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza, Curitiba, Cuiabá, São Paulo. Ficaram de fora Manaus e Natal.

Entre eles estão Amijubi (união das palavras amizade e jubilo, que está ligado ao tupi-guarani, em que jubi significa amarelo, cor predominante no mascote). Outra opção em votação no site da Federação Internacional de Futebol (Fifa) é Fuleco, uma mistura de futebol e ecologia. O nome busca incentivar o cuidado das pessoas com o meio ambiente. E por último vem Zuzeco – mistura da cor azul com ecologia –, que busca também incentivar cuidados relacionados à ecologia.

Para o segurança, Marcos Silva, de 22 anos, a escolha do tatu-bola como mascote foi excelente, porém as opções de nomes estão complicadas e confusas. “Gostei do mascote. Os nomes é que estão devagar. Lembro de dois, mas sinceramente não gostei de nenhum. Os nomes são estranhos, poderiam ser mais simples.”

Já para o produtor local responsável pela passagem do mascote pelo DF, Cristiano Amado, de 32 anos, além de ter significados, os nomes são criativos e muito interessantes. “Não é comum, mas, entre as três opções, gostei mais de Fuleco, porque puxa pra sustentabilidade, ecologia, para questão ambiental e da alegria do povo brasileiro”, destaca.

O turista Roberto Alexandre, de 32 anos, associa o animal a uma bola, dizendo que o fato tornou a escolha do animal clara e objetiva, não precisando ser substituído por nenhum outro. Para ele, os nomes em votação não combinam com o animal. “Acho que a escolha do mascote foi ideal, tatu e bola tem tudo a ver. Ele tem uma imagem bem interessante. As opções de nomes que são muito complicadas, devia ficar tatu-bola mesmo”, disse.

Segundo Bruna Santos, de 22 anos, a escolha do animal é representativa para os brasileiros, porém, pensando na sua filha, acha que os nomes poderiam ser mais fáceis. “Achei a escolha do tatu-bola muito interessante, pela sua forma, combina muito com o Brasil, até pelo estilo do esporte também que é o futebol. Os nomes, porém, são muito diferentes. Achei complicados. Fiquei imaginando minha filha de 6 anos falando Amijubi. É muito estranho. Mas entre todos [os nomes] acho mais fácil o Fuleco”, afirma.

Fonte: Agência Brasil

  
  

Publicado por em

Juliana

Juliana

25/09/2012 15:17:53
A escolha do mascote foi perfeita, porém as opções de nomes deixaram a desejar... infelizmente nisso ninguém poderá mexer né...