Multiplicadores contra a exploração sexual no turismo

Número de interessados em treinamento supera as expectativas

  
  
Curso de formação de multiplicadores em Goiânia (GO). Iniciativa do MTur pretende enfrentar a exploração sexual infantil no Turismo

Prevenção é o compromisso de 163 multiplicadores brasileiros, formados pelo Projeto de Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes no Turismo – uma iniciativa do Ministério do Turismo (MTur), por meio do programa Turismo Sustentável e Infância (TSI), em parceria com o Centro de Excelência em Turismo (CET) da Universidade de Brasília (UnB).

A formação de multiplicadores faz parte do compromisso assinado entre o Ministério do Turismo (MTur) e o Grupo de Ação Regional das Américas (Gara), durante a última reunião de ministros e outras autoridades do Turismo, realizada em Quito, no Equador, em junho de 2009. O número de profissionais formados para atuar no enfrentamento da exploração sexual no turismo superou as expectativas. A meta do projeto era formar 140 multiplicadores.

Segundo a coordenadora do Projeto de Prevenção à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes no Turismo do CET da UnB, Elisangela Machado, a interatividade entre os participantes foi o ponto alto dos cursos, pois cada região pode traçar as ações de prevenção de acordo com a realidade local. “Com o envolvimento dos integrantes na elaboração dos planos de ação, os resultados podem ser direcionados e se tornarem mais eficazes, porque representam as necessidades reais de cada estado”, explica Machado.

A coordenadora-geral do TSI, Elisabeth Bahia, conta que o MTur já está recebendo os planos de ação de vários estados. “Os cursos superaram nossas expectativas. Para apoiar os estados na execução dos planos, o MTur disponibilizou R$ 120 mil para cada”, explica Bahia.

Para o diretor do CET da UnB, Neio Campos, ultrapassar a meta reflete o entusiasmo da equipe e o engajamento dos profissionais do setor. “Estamos satisfeitos com a participação de todos. É extremamente compensador ver de perto a disposição da sociedade em participar do projeto”, destacou Campos.

Durante os cursos, os representantes de cada região assinaram carta de compromisso para realizar as ações traçadas nos planos, como: estabelecer parcerias; sensibilizar os empresários do setor sobre o tema; realizar oficinas de sensibilização; elaborar propostas para construção do código de conduta com os profissionais do setor turístico e a população local; e envolver outros segmentos – por exemplo, moda, marketing, setor de alimentos, esportes e bebidas.

Vencendo estereótipos – “Para enfrentar o problema da exploração, temos que investir também na educação nas escolas e na conscientização dos empresários turísticos. Temos ainda que reverter a visão estereotipada do Brasil no exterior. Afinal, o Brasil tem uma riqueza imensa que pode e deve ser divulgada”, afirma o secretário estadual de Turismo do Estado do Espírito Santo, João Felício Scardua.

“Prevenir a exploração sexual de crianças e adolescentes é um tema árido e, por isso, precisamos contar com todo o apoio da sociedade para a plena realização deste projeto”, acrescenta o presidente da Associação Brasileira da Indústria Hotéis do Espírito Santo, Nélio Caus de Souza.

Neste segundo semestre, as ações do projeto serão focadas nas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 e em João Pessoa (PB). Para novembro, está previsto o lançamento de campanha nacional do projeto.

Participaram dos cursos representantes dos fóruns de turismo estaduais, do setor privado, da rede estadual de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes, dos conselhos estaduais de defesa dos direitos da criança e adolescente, das universidades públicas e privadas e da Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em