Natureza e aventura em Mato Grosso do Sul

Impossível não ceder aos encantos das águas cristalina da rota Pantanal – Bonito.

  
  

Impossível não ceder aos encantos das águas cristalina da rota Pantanal – Bonito. É a oportunidade ideal para entrar em contato com a natureza com uma pitada extra de adrenalina proporcionada pelos esportes de aventura. As opções variadas agradam aos mais diversos gostos. Para aqueles que querem descanso, a flutuação em nascentes cristalinas surge como melhor alternativa. Os adeptos de fortes emoções podem praticar rapel, rafting e tirolesa.

Formado pelos municípios de Miranda, Corumbá e Bonito, o roteiro coloca o visitante em contato com a cultura local. O Festival América do Sul integra a gastronomia, o artesanato e o meio ambiente. Ele promove o desenvolvimento sustentável, na medida em que abre espaço para a discussão do melhor caminho para o manejo continuado dos recursos naturais. Promovido em Corumbá, entre abril e maio, o evento aborda aspectos técnicos, científicos e políticos num intercâmbio amplo entre os países da América do Sul.

A porta de entrada para a região é Bonito, na Serra da Bodoquena. O município, conhecido internacionalmente pela exuberante paisagem, também apresenta cultura rica e contagiante. O Festival de Inverno de Bonito, promovido anualmente em julho, reúne linguagens artísticas e estudiosos em turismo e propõe a reflexão sobre questões ambientais e turísticas.

Denílson Pinto de Oliveira
Além das manifestações culturais e das belezas naturais, Mato Grosso do Sul oferece um leque amplo e diversificado de produtos artesanais. Entre os principais artesãos da região está Denílson Pinto de Oliveira, representante do estado no 4º Salão do Turismo – Roteiros do Brasil. O artesão trabalha com argila crua. Ele modela a matéria-prima por um período que varia de 10 a 15 dias. Depois de a peça tomar forma, ela vai ao forno por até seis horas e, por último, vem a pintura, que demora em média quatro dias.

O artista reproduz desde imagens de santos até a fauna e flora pantaneira, sem deixar de lado imagens indígenas, sempre com animais da região. A paixão pelo artesanato começou com 11 anos, quando Denílson fazia pequenas esculturas com durepox. O passatempo virou profissão. Hoje, ele faz parte do Centro Referencial de Artesanato de Mato Grosso do Sul, promove palestras e repassa a técnica para os interessados. Parte do trabalho do artista pode ser vista no Catálogo do Centro Referencial de Artesanato de Mato Grosso do Sul, lançado pela Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS) em janeiro.

Miranda
O município localiza-se a oeste do Estado de Mato Grosso do Sul e sua altitude é de 126 metros. A sede do município fica distante da capital, Campo Grande, 194 km, pela rodovia 262. A estrada também liga Campo Grande a Corumbá, e constitui-se em importante meio de acesso a países do MERCOSUL, através da Bolívia. Outro acesso para Miranda é a MS- 335, que liga Bodoquena a Miranda. Miranda possui uma área total de 5.494,50 Km² e população de 22.953 mil habitantes sendo 12.054 na área urbana e 10.939 na área rural, segundo censo do IBGE.

Corumbá
Com o Pantanal ocupando 60 % de seu território, Corumbá passou a ser chamada de Capital do Pantanal, constituindo-se o principal portal para o santuário ecológico. Fundada em 1778, Arraial de Nossa Senhora da Conceição de Albuquerque, primeira denominação do vilarejo, teve papel fundamental na contenção dos avanços dos espanhóis pela fronteira brasileira em busca de minerais precisos. Foi elevado a município em 1850. Tem uma área total de 64.961 km2, com população de 100.268 habitantes, clima tropical e sua altitude é de 118 metros acima do nível do mar.

Bonito
O núcleo habitacional que se transformaria na sede do município de Bonito iniciou-se em terras da Fazenda Rincão Bonito que possuía uma área de 10 léguas e meia. Altitude: 315 m. População: 15.253 (censo de 1996), Coordenadas do aeroporto: Sul: 21.06.57 Oeste: 56.31.08. 330 m altitude. .Distância da Capital: 330 km. Clima: Tropical Temperatura: 22° (média).Vegetação: Cerrado.

Investimentos
De 2003 a 2008, o MTur investiu R$ 94.171.101 milhões em infraestrutura, R$ 2.981.737 milhões em eventos e R$ 1.829.664 milhões na divulgação de Mato Grosso do Sul como ponto turístico.

Saiba mais
www.turismo.ms.gov.br
www.turismo.gov.br

Fonte: Salão Nacional do Turismo

  
  

Publicado por em