Nigéria propõe intercâmbio cultural e turístico com o Brasil através da Bahiatursa

A Nigéria possui cerca de 140 milhões de habitantes. As línguas são Inglês, Hauassa, Ioruba e Ibo.

  
  

A diretora do departamento de Turismo, do Ministério da Cultura e Turismo da Nigéria, Dayo Keshi se reuniu na Bahiatursa, em 11/07, com a presidente da empresa, Emília Salvador Silva, para propor um intercâmbio turístico e cultural entre a Bahia e a Nigéria.

Acompanhada do diretor da Casa da Nigéria, Misbah Akkani, sediada no Pelourinho, a diretora disse estar impressionada com a similaridade cultural entre as regiões.

“O acarajé é muito parecido com o nosso acará e as baianas usam roupas com estampas similares as da África, mas o que o povo da Bahia tem é único!”, disse Dayo.

Segundo o Akkani, os nigerianos negociam um vôo direto com a Ocean Air , entre Salvador e Lagos, cidade próxima à capital Abuja. O que atrai tanto os nigerianos à Salvador é a quantidade de negros, maior população mundial afro-descendente fora da África, sua preservação cultural e, principalmente, o fomento ao turismo étnico.

“A Bahia é um dos principais pólos turísticos do país. O que estamos propondo é um intercâmbio. Vamos levar baianos, mas vamos trazer os nigerianos para fazer o turismo étnico, de aventura e religioso. Eles querem muito conhecer os cultos Africanos daqui, os terreiros, enfim o candomblé”, explicou Akkani.

A presidente da Bahiatursa, Emília Silva, disse que irá apoiar a vinda de jornalistas e profissionais de turismo nigerianos para a divulgação da Bahia na África e enviará materiais promocionais para que essa importante troca de experiências aconteça.

A Nigéria possui cerca de 140 milhões de habitantes. As línguas são Inglês, Hauassa, Ioruba e Ibo.

Fonte: Departamento de Comunicação da Bahiatursa

  
  

Publicado por em

Maria Raquel Matos Semblano

Maria Raquel Matos Semblano

25/05/2009 15:22:52
Sou brasileira mas estou vivendo no Brasil, gostaria de no ano 2010 aprender a lingua yorubá na Nigéria. Como isto é possível e a cultura do Candomblé. Obrigada. Raquel