O futuro do turismo nacional com a proximidade da Copa do Mundo

Com uma expectativa de crescimento da demanda internacional de turistas, o Ministério do Turismo acredita que o evento será um grande impulso para o setor

  
  

O Ministério do Turismo está atento à movimentação turística que se intensificará nos próximos meses, em todo o Brasil, por conta da concentração de turistas brasileiros e estrangeiros em função do Mundial.

O país que sonha em ostentar o sexto título de campeão mundial também espera ganhar o apreço dos visitantes e deixar um legado positivo à população.

O impulso dos grandes eventos será um apoio às metas traçadas pelo Plano Nacional de Turismo, que projeta o país da condição de sexta economia turística (US$ 71,6 bilhões) para terceira do mundo nos próximos oito anos, com um movimento de US$ 175 bilhões.

A estimativa do Ministério do Turismo é que o país receba cerca de 600 mil turistas estrangeiros e três milhões de brasileiros no período da Copa.

A vinda de turistas de fora, que em 2012 chegou a 5,7 milhões, pode passar dos 7,9 milhões até 2016 com um crescimento entre 6 a 8% ao ano.

Além de aumentar o fluxo de estrangeiros, o Ministério do Turismo no país incentiva as viagens internas. A ideia é chegar a 250 milhões de deslocamentos até 2016.

“Os megaeventos como a Copa e Olimpíada são oportunidades para aumentar a visibilidade e consolidar o Brasil como um dos principais destinos turísticos do mundo”, diz o ministro Gastão Vieira.

O Turismo investiu cerca de R$ 180 milhões em obras de sinalização, acessibilidade e centros de atendimentos aos turistas, a partir da Matriz de Responsabilidade de Copa.

O Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) também destinou R$ 461 milhões a centros de convenções e eventos em 11 cidades.

Além disso, o setor foi incluído no pacote de desoneração fiscal do Plano Brasil Maior do Governo Federal.

Um estudo feito na Copa das Confederações e na Jornada Mundial da Juventude mostrou que os estrangeiros que estiveram no Brasil se mostraram satisfeitos com os principais serviços oferecidos pelo país.

Mais de 90% disseram que pretendem voltar, segundo pesquisa realizada pelo MTur em parceria com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) e o Instituto Coppe da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Para atender à demanda crescente de turistas que devem vir ao país nos próximos anos, estão sendo construídos pelo menos 422 novos empreendimentos de hospedagem, sendo que pelo menos 164 deverão estar prontos até a Copa.

Um incremento de 70.531 unidades habitacionais, segundo mapeamento de uma consultoria de investimentos hoteleiros, a BSH International, com o apoio do MTur.

Além disso o MTur vem incentivando as hospedagens alternativas para a Copa.

De acordo com levantamento do IBGE, em parceria com o MTur, o país já tem 59.713 leitos em hospedagens alternativas nas capitais da Copa (Brasília, Salvador, Recife, Natal, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Cuiabá,Manaus, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Fortaleza), entre eles 3.491 na modalidade pensões, como o cama e café; 3.804 em albergues; 22.478 leitos em imóveis para aluguel e 29.940 em motéis.

Visite: www.revistaecotour.com.br

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em