O lado quente do Brasil em pleno inverno

Descubra o que a região do país que permanece quente mesmo no inverno tem para oferecer por meio de Alter do Chão.

  
  
Praia de Alter do Chão - Santarém - Pará - Amazônia

Para quem quer fugir das baixas temperaturas do inverno, mas não quer sair do Brasil, existem muitos lugares interessantes no norte do país onde as temperaturas giram em torno de 30 graus mesmo na estação mais fria do ano. A dica aqui está no Estado do Pará e é um dos lugares mais visitados por turistas de todas as nacionalidades: Alter do Chão.

Alter do Chão foi eleita pelo jornal britânico The Guardian como a primeira colocada entre as 10 melhores praias do Brasil e a mais bonita de água doce do mundo, também conhecida como o “Caribe Amazônico”.

Distrito do município de Santarém no Pará, Alter do Chão está localizada na margem direita do Rio Tapajós a aproximadamente 35 km por estrada asfaltada. A vila tem atrações que vão das praias de rio, passando por trilhas ecológicas às lojas de artesanato, festas típicas e delícias da culinária local à base dos peixes de rio, como pirarucu, tambaqui e surubim.

Alter do Chão foi eleita pelo jornal britânico The Guardian como a primeira colocada entre as 10 melhores praias do Brasil e a mais bonita de água doce do mundo, também conhecida como o “Caribe Amazônico”. As praias formadas pelo Rio Tapajós nos meses de agosto a dezembro tem águas azul-esverdeadas cristalinas e extensas faixas de areias brancas. É em Alter do Chão que fica O Centro de Preservação da Arte e Cultura Indígena, também conhecido mundialmente.

Outros destaques são: o encontro das águas dos rios Tapajós e Amazonas (este de águas turvas) que não se misturam, que pode ser visto do Porto de Santarém, daí a beleza do cenário; o Lago Verde ou ‘Floresta Encantada’; a Serra da Piraoca com visão 360 graus alcançando os rios, o Lago Verde e inúmeras baías; e a Floresta Nacional dos Tapajós, um passeios que requer um pouco mais de tempo.

Além de tudo isso, é em Alter do Chão que acontece a Sairé, uma festa de cultura popular realizada em setembro, com rituais religiosos, shows, apresentação de danças folclóricas e o confronto dos botos Tucuxi e Cor de Rosa, ponto alto da festa.

Pôr-do-sol na Praia do Cajueiro, que fica a cerca de 10 km do centro da vila. Aqui, é imperdível experimentar os famosos petiscos de tucunaré na chapa.

A Ilha do Amor é a mais famosa praia do local, formada em uma extensa faixa de terra que aparece com a baixa das águas entre julho e dezembro. Fica em frente à vila e é cheia de quiosques que ficam movimentados principalmente aos finais de semana.

A Praia do Cururu, também chamada Ponta do Caruru, por ser uma ponta de areia que divide as águas mais calmas das mais agitadas do Rio Tapajós, é mais tranquila e famosa pelo aparecimento dos botos.

A Praia do Cajueiro fica a cerca de 10 km do centro da vila. A dica aqui é experimentar os famosos petiscos de tucunaré na chapa e bolinhos de piracuí, uma espécie de farinha de peixe famosa na Amazônia.

A Praia de Ponta de Pedras é um pouco mais afastada, a aproximadamente 26 km por estrada ou 1 hora de barco, mas vale a visita. O lugar tem como diferencial as formações de pedras que surgem nas areias. É também ponto para fazer passeios não tão distantes como para os lagos Preto, do Tapari e do Jacaré e o Canal do Jari.

A Ilha do Amor, mais famosa praia do local, fica em frente à vila e é cheia de quiosques que ficam movimentados principalmente aos finais de semana.

Lago Verde ou Floreste Encantada

O Lago Verde, também conhecido como Floresta Encantada, fica separado do Rio Tapajós por uma faixa de areia no período da seca. Nesta época, pode-se mergulhar com os peixes e caminhar pela beira, onde se veem tatus, cutias, macacos, entre outros animais.

O espetáculo fica por conta do reflexo nas águas verdes do lago das belas árvores da mata de igapó, um tipo de vegetação característico da Floresta Amazônica que cresce em solos alagadiços e perto dos rios. Igapó significa “raiz de água” na língua tupi. Quando as águas sobem, o passeio é feito entre as copas das árvores que ficam com os troncos quase todos submersos.

Encontro das Águas

O encontro das águas dos rios Tapajós e Amazonas foi elevado a Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Pará em 2014. A água amarronzada do Rio Amazonas encontra-se com o azul esverdeado do Rio Tapajós por alguns quilômetros sem se misturarem. O fenômeno se dá devido à densidade e a temperatura das águas. Pode ser visto tanto de barco saindo de Alter do Chão quanto da Praça do Mirante em Santarém, lugar que proporciona um pôr-do-sol deslumbrante no rio.

O encontro das águas dos rios Tapajós e Amazonas garante a beleza do cenário de Alter do Chão.

Floresta Nacional dos Tapajós

A Flona Tapajós, como é chamada a floresta, tem cerca de 540 mil hectares de Floresta Amazônica abrigando uma infinidade de espécies da fauna e da flora, entre aves, mamíferos, répteis, peixes, assim como lagos, rios, além da famosa Samaúma gigante, uma árvore de dimensões impressionantes chamada de vovó da floresta. O caminho até a Flona pode ser feito de ônibus saindo de Santarém, ou de barco saindo de Alter do Chão com duração de aproximadamente 1h40m. O ideal é fechar um pacote de dia inteiro ou de pernoite.

Praia de Alter do Chão - Rio Tapajós - Santarém Pará
  
  

Publicado por em