Passado e futuro se encontram em Alcântara

Discussões de ações para incrementar o turismo regional se uniram à agenda cultural da semana

  
  

Manifestações culturais, exposição de artesanato e um concerto de cravo e flauta marcaram a abertura do 1º Festival de Música Barroca de Alcântara, que aconteceu no sábado (3). Patrimônio cultural do Brasil, o município maranhense, que durante o período colonial foi importante centro agrícola e comercial, hoje aposta no turismo para retomar a rota da prosperidade.

“Alcântara representa um encontro do passado com o futuro. Temos que ter capacidade de juntar os dois e revigorar a economia do município”, disse o ministro do Turismo, Gastão Vieira, que colocou o festival na agenda de sua primeira visita oficial ao Maranhão. Segundo ele, a convivência do casario colonial e suas ruínas com o centro de lançamento de satélites do programa espacial brasileiro une épocas muito distantes. E esse é um forte apelo para o turismo.

O festival é visto também como uma mola propulsora para multiplicar iniciativas de criar atrativos culturais nas cidades históricas brasileiras para atrair o turista. Uma ação prevista, segundo o ministro, na interlocução entre os Ministérios do Turismo e da Cultura, em um planejamento maior de preservação e valorização do patrimônio histórico e cultural do país.

“O festival é uma iniciativa importante. É sempre emocionante fazer apresentações em um lugar como este”, comentou a flautista italiana Livia Lanfranchi, logo após a apresentação na Igreja de Carmo, uma jóia colonial ornada em ouro. O público, que lotou a igreja, aplaudiu de pé o Duo Lanfranchi – Santoro, que une Livia ao cravista Alessandro, filho do maestro Cláudio Santoro, um dos mais renomados regentes do país, morto em Brasília, em 1989.

O secretário Estadual de Turismo no Maranhão, Jura Filho, defendeu a união entre as instâncias governamentais e a busca de parcerias no esforço de utilizar o turismo como via para o desenvolvimento. “Temos que aproveitar o potencial do estado, com sua diversidade, gastronomia diferenciada e a natureza privilegiada.”

O evento – O Festival de Música Barroca de Alcântara foi idealizado por Bernard Vassas, jornalista, empresário do setor cultural e morador de Alcântara, e por Philippe Leclant, diretor do Festival de Música Barroca de Maguelonne, no Sul da França, entre outros.

De olho nas comemorações pelos 400 anos de fundação de São Luís, em setembro de 2012, Bernard já pensa na segunda edição do evento. Segundo ele, Alcântara tem potencial para tornar-se um polo de cultura e turismo, um caminho para promoção do desenvolvimento social da região. Realizadas nas cidades de Alcântara, Bacabeira e São Luís, as atividades do festival prosseguem até a segunda-feira (5).

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em