Passeio pelo meio do mundo

Atravessar do hemisfério norte para o hemisfério sul com apenas um passo. É o roteiro Amazônia no Meio do Mundo, do Amapá

  
  
Casa do Artesão reúne peças em cerâmica e madeira. Produção indígena também valoriza os roteiros do Amapá

Atravessar do hemisfério norte para o hemisfério sul com apenas um passo. É o roteiro Amazônia no Meio do Mundo, do Amapá. Cortado pela linha do Equador, o estado localiza-se, ao mesmo tempo, nos dois hemisférios. O visitante da capital, Macapá, pode estufar o peito e dizer que está no meio do mundo.

A programação privilegia o ecoturismo amazônico. Os passeios de barco pelo lendário Rio Amazonas, bem como os artesanatos em cerâmica e indígena dão um charme especial à viagem.

A palavra Macapá vem do tupi-guarani, mais especificamente da palavra macapaba, que significa terra das bacabas. Trata-se de uma palmeira típica da região amazônica, que produz um fruto do qual os nativos extraem um saboroso vinho muito consumido pelos moradores locais. O peixe e camarão servem de base da gastronomia da região.

Nossa Senhora da Piedade

O sagrado e o profano encontram espaço na cultura do Amapá. A fé católica tem presença marcante ao lado da forte influência africana com batuques ritmados. São exemplos de comemorações religiosas a Festa de São Tiago, o Divino Espírito Santo em Mazagão Velho, a Festa de São José, padroeiro do estado e a louvação à Nossa Senhora da Piedade no Distrito do Igarapé do Lago.

O caldeirão de ritmos, sons, musicalidade e danças encontrado no folclore amapaense pode ser explicado pela história do estado, com a mistura do europeu, negro africano e índio local. Macapá, Santana, Porto Grande, Ferreira Gomes e Mazagão compõem um roteiro exuberante e rico tanto do ponto de vista cultural quanto ambiental. A preocupação com a natureza pode ser percebida na definição da política pública. O governo prioriza o uso sustentável dos recursos naturais, com base na valorização da cultura popular da região.

MARABAIXO

Uma referência afrodescendente de manifestação cultural do povo amapaense é em homenagem ao Divino Espírito Santo e à Santíssima Trindade, por meio de missas e ladainhas. Apresenta uma dança com passadas curtas e um ritmo marcado por tambores (caixa de marabaixo) em toques acelerados. A música compõe-se de versos improvisados, chamado “ladrão”, que refletem sentimentos e experiências coletivas, a história e o cotidiano das comunidades negras. É sempre regado a muita gengibirra – uma bebida típica feita de gengibre, cachaça, água, açúcar e cravo.

Fortaleza De Sâo José De Macapá

Localizada às margens do Rio Amazonas, é a maior referência histórica e cultural do Amapá. Construída entre 1764 e 1782, seu principal objetivo era garantir o domínio lusitano no extremo norte do Brasil. É Patrimônio Histórico e Artístico Nacional tombado em 1950, pelo IPHAN. Foi eleita a primeira maravilha do Brasil.

Artesanato Indígena

A produção indígena cria peças em vime, madeira, cerâmica, argila, fibra vegetal, plúmarias, sementes entre outros elementos retirados da natureza, sem agressão ao meio ambiente.

Antônio Augusto Simões Neto

O mestre artesão vai representar o Amapá no 4º Salão do Turismo. Ele trabalha com o artesanato em cerâmica. A matéria-prima é a argila com aplicação do minério de manganês, muito encontrado na região. Entre os temas do artesanato merecem destaque a biodiversidade local que abrange a floresta equatorial amazônica. A família de Antônio Augusto Simões Neto trabalha com a técnica há três gerações. Após as peças irem ao forno por 12 horas, elas recebem a pintura. O mestre artesão concentra a produção em peças decorativas e utilitárias, como vasos, cinzeiros e esculturas.

Saiba mais sobre o roteiro
www.guaraturismo.com.br
www.maracareceptivo.com.br
equadorturismi@netwayinternet.com.br
vitoriaregia.ap@hotmail.com
evaturev@hotmail.com

Fonte: Salão Nacional do Turismo

  
  

Publicado por em

Denise Paraboa

Denise Paraboa

12/10/2009 17:47:06
Sou de Porto Alegre RS e achei incrível Macapá ter sido fundada por açorianos igual a Porto Alegre, eu nunca imaginei. Macapá é tão longe, tão diferente do que pensava. Infelizmente nós brasileiros temos preconceito contra nós próprios ainda mais com lugares tão distantes e muito pouco conhecidos. O Brasil parece se resume ao sudeste, sul e praias nordestinas. Eu mesma não sei quase nada do estado do Amapá e o restante do norte brasileiro. Parece que tudo aí se resume a floresta amazonica e ponto. Mas falando sério a própria midia faz isso é tudo muito pouco mostrado, lembro de ter assistido a um Globo Repórter que mostrava Macapá e só e já faz tempo. Fiquei impressionada em saber que não existe ligação por terra com Macapá, que não existem estradas? Isso é me desculpem horrível e dificulta bastante. Mesmo assim gostaria de conhecer e poder ficar um pouco no hemisfério norte e um pouco no hemisfério sul, deve ser bem interessante. Acho que voces deveriam divulgar mais o estado e a cidade de Macapá