Perda de bagagem? Veja as recomendações do Procon

Um dos principais problemas na hora de se viajar de avião são os recorrentes casos de bagagens extraviadas pelos aeroportos de todo o mundo. Mas antes que você desista da sua viagem, veja aqui as recomendações do Procon

  
  

Um dos principais problemas na hora de se viajar de avião são os recorrentes casos de bagagens extraviadas pelos aeroportos de todo o mundo. Ninguém quer passar pela situação de ficar em frente à esteira esperando a sua mala e nada dela aparecer.

A Comissão Europeia de Transporte Aéreo fez recentemente um estudo que constatou que cerca de 90 mil malas são extraviadas em aeroportos de todo o mundo por dia. De acordo com a pesquisa, uma a cada três mil malas nunca mais aparecem.

Mas antes que você desista da sua viagem, veja aqui as recomendações do Procon (Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor) para casos assim:

• Malas, bolsa e sacolas devem ser sempre identificadas por dentro e por fora com informações como nome completo, RG, CPF, endereço e telefone do proprietário;

• Usar bagagens que tenham segredo ou um cadeado reforçado;

• Objetos valiosos como celulares, carteiras, joias entre outros devem ser levados junto ao passageiro ou na bagagem de mão e não na mala que vai ao compartimento da aeronave;

• Guarde toda a documentação, tanto o comprovante de embarque de bagagem como o da passagem.

Mas se mesmo seguido todas essas orientações ainda sim a sua bagagem desapareça, mantenha a calma e vá até o balcão da companhia aérea que prestou o serviço e preencha o Registro de Irregularidade de Bagagem (RIB). Este documento será o primeiro passo para você conseguir a sua bagagem de volta ou ser ressarcido por ela ter desaparecido.

Caso a bagagem não seja encontrada pela companhia, siga até o guichê da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para informar o extravio, mas se o aeroporto não possuir um posto de atendimento da agência, este serviço terá de ser realizado on-line pelo site www.anac.gov.br/faleanac .

Confirmado o extravio, a companhia tem um prazo máximo de 30 dias para a localização e entrega da bagagem. Após esse período, o passageiro deve ser indenizado pela empresa. Como forma de prevenção, o viajante pode declarar o valor dos itens presentes na bagagem.

Para tanto, a empresa tem o direito de cobrar uma taxa suplementar e verificar o conteúdo das malas. O valor da indenização, neste caso, será o declarado e aceito pela companhia. Caso ache necessário, existe também o seguro de bagagem que é realizado na compra das passagens e evita a burocracia da verificação do valor da bagagem, mas é cobrado um valor considerado alto pelo serviço.

Fonte: Viagem Brasil

  
  

Publicado por em