Qual a melhor opção: viajar por conta própria ou comprar pacote?

Turista que prefere elaborar o próprio roteiro precisa pesquisar por vantagens, pois viajar por conta própria exige maior planejamento financeiro e dos roteiros

  
  
Os turistas devem visitar os sites oficiais dos destinos e esolher as melhores opções

Na hora de planejar as férias muitos se perguntam: o que compensa mais, viajar por conta própria ou adquirir um pacote em uma agência de viagens? A resposta não é simples, pois na ponta do lápis, a opção mais econômica é aliar as duas coisas.

Os adeptos de viagens particulares defendem que viajar com um pacote fechado limita as opções de passeios e de horários. Já os que preferem as viagens programadas, afirmam que viajar sozinho é perigoso e complicado. Mas decidir o que compensa mais depende muito do tipo de passeio e destino pretendido.

“Quando é um grupo grande de pessoas, adquirir um pacote pode ser uma boa opção, mas quando se viaja sozinho esse preço aumenta. Na realidade, optar ou não por um pacote depende muito do tipo de viagem que se pretende fazer, é importante pesquisar bem e aí sim analisar qual relação custo benefício sairá melhor”, avalia a coordenadora da Escola de Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Márcia Raquel Guimarães.

Comprando um pacote padrão em uma agência de viagens, o turista se livra de qualquer preocupação. Em geral esses serviços incluem passagem, hotel, traslado e alguns passeios, além disso o grupo costuma ser acompanhado por um guia particular. “Quando não conheço o lugar, prefiro viajar assim, pois não o corro o risco de passar algum apuro ou me perder”, conta a artesã Maria Liduína Oliveira, que costuma utilizar o serviço.

Outra vantagem deste tipo de viagem, segundo Maria, é que a compra pode ser parcelada, o que facilita o planejamento financeiro. Na viagem por conta própria, o turista fica responsável por tudo, desde a compra da passagem até o roteiro de passeios. Mas na opinião de quem é adepto deste tipo de turismo, o trabalho vale à pena.

“O pacote te amarra muito, tudo tem horário prédefinido. Você não tem mobilidade nem dinamismo. Viajando por conta você tem a oportunidade de conhecer de verdade os lugares e as pessoas, não é só entrar em um ônibus, descer na frente do monumento e depois voltar para casa”, observa a administradora de empresas Jimena Herrera.

Ela já viajou para diversos países, sempre por conta própria e admite que é comum enfrentar algum problema, que podem ser resolvidos com um pouco de simpatia e ‘jogo de cintura’. “Uma dica básica é não ter medo, a pessoa precisa estar disposta a encarar imprevistos e ser comunicativa, pois durante a viagem você conhece pessoas que podem te dar ótimas dicas”, orienta.

Quando o assunto é custo, as duas formas de viajar também têm suas vantagens e desvantagens. Com um número maior de passageiros, por exemplo, o agente de viagens pode negociar preços de hotéis, ingressos e passagens aéreas, por valores até 50% mais baratos. Mas um viajante sozinho e com espírito de aventura o suficiente para encarar o transporte público e hospedagens baratas e sem luxo, pode reduzir o custo de sua viagem em até 80%.

Para curtir as férias, aproveitar bons momentos e gastar menos, a melhor saída parece ser juntar as facilidades de uma agência, à experiência de se fazer tudo sozinho. Essa é a opinião da empresária Cristina Vila.

Mesmo depois do nascimento dos filhos, Cristina e o marido José nunca deixaram de viajar. Todos os anos o casal enfrenta uma aventura diferente, de preferência de carro. O planejamento leva em média um ano e José faz questão de conhecer todos os detalhes sobre o destino. Por conta disso, uma ajudinha da agência é sempre bem-vinda.

“Certa vez compramos um carro para viagens no Paraná e tínhamos que trazê-lo para Manaus. Planejamos o trajeto, os lugares que conheceríamos e deixei com a agência os dias em que chegaria em cada cidade. Enquanto viajava, a agência reservou todos os hotéis. Esse tipo de coisa ajuda muito, pois só tivemos que nos preocupar com as coisas maravilhosas que conhecíamos pelo caminho”, conta Cristina.

Fonte: D24AM

  
  

Publicado por em

Carlos Roberto de Souza

Carlos Roberto de Souza

13/04/2012 18:09:14
Pretendo viajar para Nova York e realmente não sei o que fazer. Fico na dúvida entre viajar sozinho ou através de pacote turístico. Eu quero ter a segurança de poder ir e voltar tranquilo e, ao mesmo tempo, quero conhecer o que eu puder e voltar satisfeito.
Ainda vou ter que tirar o visto e enfrentar toda aquela burocracia que, na minha opinião, deveria ser mais flexível, já que nós brasileiros gastamos demais nos USA.
Tenho dúvidas quanto às gorjetas, ao uso de banheiro público... A primeira viagem é sempre mais complicada, tenho certeza que as outras que serão mais fáceis.

Yara xavier

Yara xavier

25/11/2011 17:58:40
Em uma pauta como essa, é importante deixar claro que Pacote e excursão são duas coisas distintas. Pacotes normalmente são feitos para um número reduzido de pessoas, aceitando até 1 pessoa só. Eles incluem os bilhetes internos, os traslados aeroporto-hotel, e alguns passeios opcionais, que lógico, que o viajante pode ou não fazer, sem ter que pagar por eles. E nada mais. Excursões levam grupos grandes, normalmente a procura de passar por inúmeros locais, cidades, países, em uma mesma viagem. São pessoas que querem "ticar" os pontos turísticos, tirar fotos, comprar e comprar. A logística é completamente diferente.
Em tempo: sou uma viajante solo convicta. Mas entendo que cada pessoa tenha suas diferenças e necessidades.

Narcísio

Narcísio

24/11/2011 22:44:35
Eu o minha esposa conhecemos toda a Europa e América do Norte de carro, tudo por nossa conta e risco. Todos nossos amigos e conhecidos nos invejam já que conhecemos lugares e pessoas que jamais conheceríamos em pacote.

Maria ribeiro

Maria ribeiro

21/11/2011 19:40:28
Já viajei bastante sozinha e em grupos e não tenho a menor dúvida que viajar sozinha tem mais vantagens, como: escolher o hotel que quer ficar, inclusive sua localização e não estar sujeito a alteraçoes como os tours estabelecem em suas cláusulas; ir a lugares e ficar o tempo que quiser para assimilá-los; fazer compras onde quiser e o bolso couber; comer em lugares interessantes, sugeridos por outros viajantes ou ter a alegria de descobrí-los;rir das roubadas; envolver-se com outras culturas; adquirir vivência nas descobertas, descobrir achados de compras incríveis, conversar com pessoas do local por mais tempo.
Desvantagens de viajar em tour: os passeios se resumem a muitos lugares em um espaço mínimo de tempo; os restaurantes e hotéis se resumem aos que o tour indica; os lugares que param para compras resumem-se a lugares interessantes para comissões dos guias;para os lugares que a gente gostaria dão 5 minutos, quando dão; tem que ficar esperando os atrasadinhos nos horários marcados; os hotéis indicados nem sempre sao exatamente aquilo que os pacotes dizem e muitos sao distantes dos pontos interessantes...tive amargas experiências...;não há chance de discutir em ter um hotel ou quarto melhor; não há muita chance de se envolver com as culturas locais; os lugares nos restaurantes são isolados para bandos de turistas e são impessoais; os hotéis são para classe turísticas que dividem café, almoço para bandos; as dicas dos guias são resumidas; os horários são limitados a agenda do tour, sem flexibilidade; grupos grandes causam sempre polêmicas, e descontentamentos;qualquer passeio mais interessante vc paga à parte e sai mais caro do que pagar como particular.

Francine

Francine

21/11/2011 19:19:45
Viajar pelo país de origem é mais fácil, pois conhecemos os costumes, horários, e o idioma. Já quem viaja pela primeira vez em outro país acho que o melhor é contratar uma agência de viagens, pois ela cuida de tudo...quanto aos passeios programados pela agência acho que a pessoa pode optar por um ou outro passeio e dar uma escapadinha para sair da rotina. É preciso ter um pouco de coragem, mas vale a pena!

Paurioca

Paurioca

21/11/2011 18:58:37
Cada caso é um caso; para o marinheiro de primeira viagem, viajar com pacote é mais fácil.
Quem já tem um pouco de traquejo, viajar por conta própria é muito melhor pois a liberdade de escolha, passeios, caminhadas, permitem adquirir um conhecimento muito melhor dos locais. Os riscos fazem parte da viagem e se tornam momentos de boas recordações. Em todos hotéis os mapas da cidade estão disponíveis.
Quanto aos preços, uma dica: comprar na Europa, por exemplo, é muitíssimo mais barato (hotéis e trens) do que comprar por aqui. Na última viagem, economizei perto de 40% nas reservas de hotéis, trens e avião.

CARLOS FERNANDEZ

CARLOS FERNANDEZ

21/11/2011 18:52:34
REALMENTE...PARA VIAJAR POR CONTA PRÓPRIA E RISCO, É MUITO MAIS EM CONTA. ALEM DE NÃO FICAR PRESO A HORÁRIOS E HOTEIS, VOCÊ FAZ TUDO A SUA MANEIRA E NÃO TEM QUE AGUENTAR QUASE SEMPRE ALGUEM CHATO QUE VIAJOU NO PACOTE E NÃO ESTA GOSTANDO, ALÉM DO MAIS NÓS BRASILEIROS NÃO RESPEITAMOS OS HORÁRIOS, ENTÃO, VOCÊ JA VIU NÉ? FICAS ESPERANTO SEMPRE OS RETARDATÁRIOS!

Carlos Marinho

Carlos Marinho

21/11/2011 18:16:50
Na minha opinião, há mais fatores envolvidos como:
- Para onde você vai viajar ?
- Você conhece o idioma local ou fala, pelo menos, inglês ?
Eu viajo, 95% das vezes SEM excursão. Pesquiso tudo sobre os locais no Google e vejo os mapas e distâncias no Google Earth. Reservo hotéis por sites tipo "Booking.com". Peço para meu agente de viagens apenas reservar os voos para o destino inicial. O resto é comigo. Sem excursões você não está preso a hotéis distantes das atrações, tempo limitadíssimos nos locais de interesse, roteiros em horários cheios, etc....
Admito que, por exemplo, indo para a Federação Russa, eu provavelmente optaria por pacotes, devido ao total desconhecimento do idioma e mesmo do alfabeto local.
Fora casos excepcionais, sou totalmente a favor de ir por conta própria.

Ney S. Monteiro

Ney S. Monteiro

21/11/2011 17:39:44
Tenho 75 anos. No ano passado (2010) fiz uma viagem de volta ao mundo, sozinho e por minha conta (sem agência).
Risco, perigo? Sim, houve quando voltei ao Brasil.

Hélio José Santos

Hélio José Santos

21/11/2011 17:37:31
O mais interessante das viagens são os imprevistos e o sentimento de aventura, por isso, viajar fazendo seu próprio destino além do aspecto aventureiro tem o sentimento de liberdade de se locomover movido pelas novidades e os imprevistos. Até as frustrações são acalentadas pelo perdoar a si mesmo. É muito mais gostoso.

NTremea

NTremea

21/11/2011 17:31:08
Eu gosto de fazer os meus roteiros, reservo hotel pela internet, compro passagens, passeios e pesquiso as melhores opções. Tem dado certo!