Quando viajar vira um troféu

Viagens corporativas para reconhecimento, fidelização e motivação de desempenho crescem no mundo. Só no Brasil, foram R$ 30 bilhões gerados por esse segmento, em 2010

  
  

Viajar é sempre um prêmio: um descanso merecido, a realização de um sonho, um momento reservado para o ócio, conhecer lugares, acordar tarde e sair da rotina. No turismo de incentivos, a viagem vira, literalmente, uma recompensa por desempenho.

De acordo com Edmundo Almeida, vice-presidente da Associação de Marketing Promocional (Ampro), as viagens de incentivo são promovidas quando as empresas querem fidelizar clientes ou reconhecer melhorias de produtividade e rendimento da equipe, por exemplo. “Elas são ferramentas de motivação”, frisou. Esse tipo de viagem é altamente personalizado e costuma custar, em média, entre R$ 400 mil e R$ 1 milhão, dependendo do tamanho do grupo e do destino escolhido.

Segundo a Organização Mundial de Turismo (OMT), a quantidade de viajantes no mundo chegará a 1,6 bilhão de pessoas até 2020. Anualmente, 50 milhões de viagens são realizadas no âmbito do turismo de incentivos. No Brasil, o segmento vai continuar multiplicando o seu faturamento: em 2010, a movimentação gerada por viagens corporativas no país bateu a marca dos R$ 30 bilhões.

O turismo de incentivo é um dos segmentos turísticos mais promissores do mundo, juntamente com o turismo de aventura e o turismo de eventos. Os dados são da OMT.

O assunto foi pauta em mesa de debates desta quarta-feira (13) no Núcleo do Conhecimento, durante o 6º Salão do Turismo – Roteiros do Brasil. O evento, que acontece no Parque Anhembi, em São Paulo, deverá receber mais de 100 mil pessoas até domingo (17).

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em