Recife consolida-se como referência turística e cultural no São João

O São João do Recife 2009 consolidou-se como o melhor e mais autêntico do Brasil

  
  

O São João do Recife 2009 consolidou-se como o melhor e mais autêntico do Brasil, valorizando a cultura numa grande festa onde a tradição, a diversidade de ritmos e a participação popular tomaram conta da Cidade, modelo adotado em diversas outras cidades. A Prefeitura do Recife valorizou a tradição e investiu na verdadeira cultura popular nordestina transformando a cidade num imenso arraial. A festa começou no dia 6 de junho homenageando dois nomes significativos para a cultura nordestina, especialmente a junina: João Silva e Jackson do Pandeiro. O investimento na festa foi de R$ 4,5 milhões.

Foram 24 dias de festa. Nos cinco pólos oficiais (Sítio Trindade, Praça do Arsenal da Marinha, Pátio de São Pedro, Rua Tomazina (Bairro do Recife) e Colônia Z1 de Pescadores, no Pina), nos 17 pólos comunitários apoiados pela Prefeitura e ainda nos locais onde aconteceram as eliminatórias do Concurso de Quadrilhas, até o dia 29 de junho, passaram mais de 1 milhão de pessoas de todas as idades. Nos palcos montados pela Prefeitura do Recife, 350 grupos e artistas se apresentaram, fazendo um total de 550 shows. Nomes como Elba Ramalho, Flávio José, Alceu Valença, Trio Nordestino, Santanna, Silvério Pessoa, Genaro e Walquíria, Camarão, Zé Bicudo, Petrúcio Amorim, Maciel Melo e Nádia Maia, entre outros passaram pelos palcos montados pela Prefeitura do Recife.

Para o prefeito do Recife, João da Costa, o resgate da tradição junina no Recife inspirou também outras cidades a priorizarem a cultura popular em suas programações, além de fortalecer a cadeia produtiva do forró. “Esse resgate da tradição do São João fez com que outras cidades de Pernambuco se voltassem novamente para a música popular nordestina, a mais genuína, valorizando os nossos sanfoneiros e quem faz o autêntico forró, que passou a ter um mercado e que por isso mesmo se qualificou mais”, afirma

O Recife também obteve um excelente resultado nas ocupações na rede hoteleira da cidade durante o São João. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), durante o período junino foi registrado um índice de 70%. Além disso, o turista ficou mais tempo na capital que no interior, aproveitando a programação local. “O São João só beneficiava o interior, que teve 100% de ocupação este ano. Isso está mudando. O índice de 70% no Recife é uma vitória”, avalia o presidente da ABIH, José Otávio de Meira Lins.

Esse resultado mostrou que o Recife está na programação cultural dos turistas no período junino. Foram aproximadamente 250 mil visitantes circulando pela cidade durante o período. Segundo Meira Lins, o visitante que se hospedou na Capital, ficou mais tempo no Município, indo passar o dia em alguma cidade do Interior. Em média, a ABIH registrou quatro dias. “Antes, era o contrário”, completa. Para João da Costa os dados mostram os ganhos para a cidade. “O São João do Recife se fortaleceu reforçando também a vocação turística da Cidade gerando emprego e renda, reforçando a cultura popular e sendo também um momento de lazer para as comunidades da Cidade”, afirma

Arraiais - Xaxado, xote, baião, coco-de-roda, ciranda, forró, fogueiras, adivinhações, simpatias, comidas típicas, quadrilhas e crenças populares transformaram o clima urbano com um espírito interiorano. Os espaços eram para toda a família, onde encontrou-se um gostinho de infância traduzida nas tradições. Teve cidade cenográfica no Sítio da Trindade, com direito a igreja, delegacia, coreto e sala de reboco, comida junina, parque de diversão e palhoça.

No Arsenal, espetáculos de mamulengos para a criançada no meio da praça, quadrilha tradicional para quem quisesse dançar, os grandes nomes da nossa terra e o autêntico forró pé-de-serra. O Pátio de São Pedro, que já traz um cenário apropriado, com seu casario antigo e uma das mais belas igrejas da Cidade, a de São Pedro dos Clérigos, vestiu-se de bandeirinhas e, ao som das sanfonas, zabumbas, pandeiros e triângulos transformou-se num grande salão onde o arrasta-pé rolou solto. A Rua Tomazina reuniu a turma jovem da Cidade numa mistura de ritmos onde o tradicional encontrou-se com o contemporâneo.

Com o objetivo de descentralizar a festa, levando animação a todas as áreas da Cidade, além dos polos oficiais, a Prefeitura do Recife atendeu ainda 17 polinhos e cerca de 500 arraiais comunitários. Nos primeiros, a administração municipal apoiou as comunidades através do oferecimento de serviços estruturais, com grade de atrações definida pela comunidade. Já no caso dos arraiais comunitários, além de banheiros, tablados, toldos e gambiarras, foram direcionadas as atrações, totalizando 365 trios, 110 quadrilhas e mais de 80 grupos de dança.Foram 900 atendimentos em serviços para a população, oferecendo 600 atrações culturais, além da Forrovioca, que afora as apresentações nos grandes eventos como a Caminhada do Forró e Quadrilhão, realizou cerca de 20 apresentações nas comunidades.

Quadrilhas - O Concurso de Quadrilhas promovido pela Prefeitura do Recife foi outro evento que movimentou números vultosos. Só de funcionários e pessoal terceirizado, foram 400 trabalhando na realização. As eliminatórias e finais do Concurso chegaram a reunir mais de 24 mil pessoas assistindo as apresentações. Este ano, 72 grupos se inscreveram para a competição. As eliminatórias aconteceram em 5 RPA´s – Jordão Emerenciano, IEP, Praça de San Martin, Nascedouro de Peixinhos, Escola Helena Lubienska (Torre), além do Sítio Trindade. Destas, 12 grupos chegaram às finais, que aconteceram nos dias 28 e 29 de junho.

Projetos especiais - No São João do Recife, além do forró e do arrasta pé, houve um incremento nas atividades formativas e projetos especiais como cursos, exposições e mostras. Ao todo, foram 9 projetos especiais, 6 atividades formativas e 4 exposições que tiveram o objetivo de formar público e capacitar atores sociais relacionados ao universo nordestino.

Eventos como a Caminhada do Forró, Mercado Forró e Repente, Concertos de São João e Festival de Cocos e Cirandas superaram as expectativas, com presença maciça do público que compareceu para curtir as mais legítimas manifestações da cultura local.

Atividades formativas como as Jornadas Gonzaguianas e Jacksonianas também alcançaram grande sucesso junto à população. A Oficina de 8 Baixos e a de Gestão Cultural e Empreendedorismo tiveram suas inscrições encerradas antes mesmo do prazo esperado, tamanha a procura por vagas.

As exposições como a do Mestre Vitalino, no Museu de Arte Popular, dos Homenageados na Casa do Carnaval ou mesmo a de Culinária Afro, que aconteceu na Praça do Arsenal da Marinha, movimentaram centenas de pessoas que buscavam conhecer melhor os aspectos referentes ao período junino no Nordeste.

Receptivo - Para receber os turistas em grande estilo, a Secretaria de Turismo do Recife montou um esquema especial no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre e no Terminal Integrado de Passageiros – TIP, no período de 18 a 23 de junho. As boas-vindas aos visitantes foi dada com uma dupla de promotores, um trio de sanfoneiros e uma quadrilha pra criar o clima junino já na hora do desembarque. Foram, no total, 20 dançarinos para mostrar que o Recife tem São João e valoriza a tradição. O custo estimado da ação foi de R$ 25 mil.

Todos os boxes de Informações Turísticas da Prefeitura do Recife distribuíram a programação junina com as dicas de pólos de animação da Cidade e sugeriu que o turista ficasse mais um dia no Recife. Foram produzidas cerca de 50 mil programações.

Trem do Forró - A Secretaria de Turismo do Recife também realizou receptivo no Terminal Marítimo de Passageiros para as pessoas que curtiram o Trem do Forró. Mais de dois mil turistas de todo o País arrastaram o pé a bordo da locomotiva, segundo a coordenação do trem. Os visitantes ainda puderam aproveitar para comprar produtos juninos na feirinha do Programa de Desenvolvimento do Artesanato da Prefeitura do Recife (Prodarte) que expôs no local.

Assistência Social - Pelo sétimo ano consecutivo, a Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Assistência Social promoveu, no Chevrolet Hall, Olinda, o São João da Pessoa Idosa. O evento contou com a participação de 9 mil idosos que fazem parte de Grupos de Convivência, Instituições de Longa Permanência e projetos sociais assistidos pela PCR, por meio da Assistência Social e demais secretarias municipais. Com muita irreverência, vários participantes desfilaram no salão, trajados de personagens do universo junino como noivas, cangaceiras, padres, matutos, Rainhas do Milho e delegados.

Dando continuidade às atividades do período junino, cerca de 400 jovens de 15 a 17 anos, que fazem parte do Programa Jovem Adolescente não perderam o ritmo. Para marcar os festejos de São João, os coletivos de cada RPA realizaram apresentação de quadrilhas, arraial personalizado, oficinas temáticas e comidas típicas.

A parceria entre o IASC e os Círculos Populares de Esporte e Lazer (CPEL), mobilizou o público infanto-juvenil, onde foi feita uma ação para intervir nas situações de risco e vulnerabilidade social, vivenciadas por crianças e jovens durante o período dos festejos juninos. Três núcleos foram montados, para a realização de atividades culturais e lúdicas, no intuito de combater o trabalho infantil, a mendicância e a exploração sexual.

Na Praça do Arsenal e no Sítio da Trindade, cerca de 213 crianças e adolescentes na faixa etária de 7 aos 17 anos participaram das oficinas de danças juninas, forró-break, teatro, além de brincadeiras e construção de dobraduras e brinquedos de objetos recicláveis, tudo baseado na temática junina.Já no Espaço Travessia Bairro do Recife, na Rua do Brum, uma creche foi montada, onde 12 crianças de 0 a 6 anos que se divertiram na Brinquedoteca.

Saúde - Vigilância Sanitária - De 22 a 29 de Junho, em meio aos festejos juninos, a Vigilância Sanitária do Recife fiscalizou cerca de 2.433 estabelecimentos, entre comércio formal (supermercados, padarias, mercadinhos), informal padronizado (barraquinhas padronizadas), e informal (tabuleiros, ambulantes etc), além de 264 módulos sanitários instalados nos pólos do São João 2009 da Prefeitura do Recife. Ao todo, 44 estabelecimentos foram notificados, 17 produtos foram inutilizados por estarem fora dos prazos de validade e 1 foi apreendido por não apresentar o registro de Inspeção Estadual.

Teste rápido de HIV - A Prefeitura do Recife aplicou, de 22 a 29 de junho, 643 testes rápidos para detecção do vírus HIV. Desse total, dois apresentaram resultado positivo. Os exames foram realizados num estande da Secretaria Municipal de Saúde montado no Pólo Sítio da Trindade. Aqueles que obtiveram resultado positivo foram orientados a procurar o serviço de referência, na Policlínica Lessa de Andrade (Madalena), onde realizarão outros exames e receberão acompanhamento médico e psicossocial.

Limpeza - A Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana intensificou diversos serviços durante a programação junina da capital pernambucana. Nos pólos de animação, coleta e varrição foram reforçados por meio de mutirões e de manutenção constante nos dias do arraial. A Emlurb ainda realizou operações tapa-buracos nas principais vias de acesso aos pólos juninos para melhorar o tráfego de veículos.. Ainda foram instalados dezenas de pontos de iluminação provisória e projetores nos focos de agitação, assim como, foi promovido um trabalho de prontidão por 2 equipes para manter as áreas bem iluminadas ao longo dos festejos juninos.

Fonte: Secretaria de Turismo do Recife

  
  

Publicado por em