Rota 174: dos encantos da Amazônia até o Monte Roraima

Roteiro integrado é uma boa opção para os amantes do Ecoturismo e do Turismo de Aventura

  
  
A Rota 174 integrará municípios do Amazonas e de Roraima, num roteiro recheado de belezas naturais

Já pensou em percorrer uma área de floresta densa na Amazônia e atravessar as savanas de Roraima até a região montanhosa do Monte Roraima, na fronteira com a Venezuela? Essa é uma realidade que está cada vez mais perto das prateleiras dos consumidores de Ecoturismo e de Turismo de Aventura: a Rota 174. O roteiro integrado rodoviário faz parte da segunda edição da Rede de Cooperação Técnica para a Roteirização do Turismo e será apresentado a operadores de turismo de todo país nesta quinta-feira (17/09), às 14h30, no Centro de Convenções Frei Caneca, durante o 32° Encontro Comercial Braztoa, em São Paulo (SP).

O roteiro de quase mil quilômetros leva o número da rodovia federal que vai de Manaus (AM) até o município de Pacaraima (RR), atravessando uma parte significativa da Floresta Amazônica. A rota envolve, ainda, o município de Presidente Figueiredo (AM), terra de cachoeiras, e, no estado de Roraima, os municípios de Boa Vista, Caracaraí e Amajari, onde está localizada a Serra do Tepenequém, um local cercado por natureza, magia, lendas e histórias dos tempos do garimpo.

O consultor da Rota 174, Jayth Chaves Filho, garante que “muito verde, atividades voltadas ao Ecoturismo e ao Turismo de Aventura e à cultura cabocla e indígena esperam o turista que visita a região”.

Segundo Chaves, o roteiro será lançado para os operadores em março de 2010. “A rota é uma grande estratégia de mercado; nossa idéia é pegar esse produto, embalar e colocar na prateleira do operador”, ressalta.

O comitê gestor do roteiro, composto por empresários e instituições públicas, tem trabalhado para fortalecer a infraestrutura, aprimorar a qualidade dos serviços prestados ao turista e divulgar a rota de forma integrada. “Os municípios da rota já têm a noção do que é um roteiro integrado; isso facilita tanto o lado comercial com uma política de preços integrada e para o turista, que poderá optar por fazer todo ou parte do roteiro”, explica o consultor.

Para Chaves, a paisagem da região em constante mudança devido ao regime de cheias dos rios é um atrativo a parte. “O turista que visita a rota em uma determinada época do ano, se retornar em outra, vai presenciar um regime diferente, uma outra paisagem”, acrescenta.

Além disso, a Rota 174 será uma boa alternativa para o turista que visitar o país durante a Copa do Mundo de 2014. “Manaus, início do roteiro, é uma das sedes. A Copa, como todo evento esportivo de grande porte, movimenta um número alto de turistas. Nós vamos ter antes, durante e depois da Copa e com certeza os municípios da rota serão beneficiados pelo movimento dos turistas”, afirma otimista.

A Rede de Cooperação Técnica é um projeto do MTur em parceria com o Sebrae Nacional, que tem como gestor o Instituto Marca Brasil. A cada edição, são lançados cinco novos roteiros integrados, um por região brasileira. Durante o 32° Encontro Comercial Braztoa, serão apresentados, ainda, os roteiros integrados de Aparados da Serra, do Sudeste, Travessia do Pantanal e Civilização do Açúcar.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em

Érico Alceu Wolfesgrau

Érico Alceu Wolfesgrau

18/09/2009 15:05:18
voçes informam passeios maravilhosos, gostariamos de ter mais informações sobre as empresas que vendem os pacotes.

muito obrigado att: Érico

Equipe EcoViagem

Equipe EcoViagem

Olá Érico, Esta rota é bem nova, ainda não temos informações das agências que promovem esse pacote. Mas, para qualquer pesquisa que queira fazer sobre agências de viagem, o EcoViagem pode ajudar. O site possui inúmeras agências cadastradas, onde você pode entrar em contato e tirar suas dúvidas e providenciar seus pacotes. Abraços! Equipe EcoViagem
Billy

Billy

18/09/2009 14:01:46
sempre fui a favor do turismo como integração dos povos,conheço boa vista,caracarai e a serra do tapenequém quando por lá estive em 90 e, será sem duvida uma ótima opção de renda para os povos,só sinto dizer que infelizmente nosso turismo está sendo mal direcionado,pois encontro relatos triste de viajantes desapontados com o que encontra nas trilhas dos nossos parques,acho que com todo esse potencial deveriamos cuidar melhor das nossas riquezas naturais,certamente é a hora de rever nossos objetivos.