Seria São Paulo o palco preferido dos japoneses na Copa?

Imigração e paixão pelo futebol podem levar a seleção do Japão a escolher o estado de São Paulo como sede na Copa do Mundo de 2014. Agora, é aguardar para ver se a cidade com mais japoneses na América Latina, receberá a seleção do sol nascente

  
  
São Paulo

Desde o início do século XX, com a imigração japonesa no Brasil, a relação entre Brasil e Japão se estreitou com o desembarque de contingentes orientais em alguns estados brasileiros. São Paulo recebeu grande parte deles e, atualmente, tem uma das grandes colônias do país. São envolvimentos culturais, bairros identificados com o país de origem, uma população que cresce a cada dia e o gosto comum pelo futebol.

Em plena operação pré-Copa do Mundo no Brasil, o processo de escolha dos Centros de Treinamento das Seleções para a Copa do Mundo de 2014, pelo Comitê Organizador Local (COL), pode criar, em caso de classificação para o torneio, um interesse da seleção japonesa em ficar em terras paulistas. De acordo com o estudo do IBGE publicado em 2008, existem cerca de 700 mil descendentes de japoneses vivendo no estado.

A atração dos japoneses pelo futebol aumentou na última década, principalmente pelos resultados obtidos em duas edições do torneio, em 2002 e 2010, quando a seleção foi eliminada nas oitavas de final.

Com o investimento e a organização do esporte, o ápice dessa paixão aconteceu em 2011, com o título da Copa do Mundo de futebol feminino, na Alemanha. Além do título, a jogadora Homare Sawa foi a artilheira do torneio, eleita ainda a melhor jogadora do mundo, desbancando a brasileira Marta.

Para o secretário administrativo da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social (Bunkyo), Eduardo Nakashima, os japoneses sempre estiverem envolvidos com São Paulo, seja na agricultura, no comércio ou na tecnologia. Sobre a expectativa com a Copa, ele cita um acontecimento: “Em 2006, as duas seleções se enfrentaram, e ficamos bem divididos na torcida, pois reunimos japoneses e descendentes”. Nakashima, porém, não se esquece da conquista do mundial feminino. “Em 2011, fizemos uma campanha que envolvia o estado de São Paulo, Paraná e governo federal para ajudar as vítimas da catástrofe no Japão. Logo em seguida, a seleção foi campeã, para alegria de todos em um momento tão complicado”, concluiu.

O CAMINHO DO JAPÃO ATÉ A COPA
A seleção japonesa está hoje em segundo lugar do grupo C. Para que cada competidor seja recebido pelos torcedores brasileiros, é preciso garantir uma das duas primeiras colocações de cada grupo. Começa aí a quarta fase das eliminatórias. Serão dez equipes dividas em duas chaves, que se enfrentarão em confrontos de ida e volta. Os dois primeiros de cada grupo se classificam para a Copa. Já os dois terceiros colocados participam de uma repescagem continental.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em