Pesquisa divulga dados do perfil do visitante em Minas Gerais

Na Zona da Mata o ecoturismo foi o principal atrativo das viagens a lazer com 74% das escolhas dessa região.

  
  

A Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais – SETUR/MG - divulga pesquisa, realizada em 2012, que revela o perfil dos visitantes em Minas Gerais.

Os dados mostram que este perfil está se consolidando, seguindo as mesmas características da série histórica da pesquisa.

Em 2012, 55% dos visitantes foram do sexo masculino e 45%, do sexo feminino. A maior parte, 71%, é do próprio Estado, seguido de São Paulo (11%) e doRio de Janeiro (23%).

Se retirarmos os mineiros da amostra, temos os principais emissores de visitantes para Minas Gerais: São Paulo (39%), Rio de Janeiro (23%) e Espírito Santo (7%).

A maioria dos nossos visitantes, 34%, são jovens na faixa dos 21 a 30 anos. 23% estão na faixa dos 31 a 40 anos. O nível de escolaridade predominante é o ensino médio, com 41%, seguido pelo ensino superior com 24%.

O visitante que vem a Minas Gerais tem, predominantemente, uma faixa de renda mensal entre R$ 1.021,00 a R$ 3.570,00.

A média de permanência no Estado foi de 5,7 dias. A região do Alto Paranaíba superou em 53% a média de Minas Gerais, apresentando permanência média do visitante de 8,8 dias, seguida pelo Triângulo Mineiro com 6,0 dias.

A Região Metropolitana de Belo Horizonte apresentou a menor taxa de permanência, com 2,7 dias – isso se deve ao fato de que 75% dos visitantes são excursionistas, ou seja, não pernoitam na cidade.

Segmentando os gastos, pela motivação de viagem, os visitantes que viajam a negócios gastam em média, R$745,87 em Minas Gerais.

Os motivados a compras seguem a lista com um gasto médio de R$467,67, a visitar amigos e parentes gastaram R$327,53 e os visitantes motivados a lazer gastaram R$294,14.

A motivação de viagem dos visitantes que vem a Minas Gerais, é diversificada. 29% das pessoas viajam para visitar amigos ou parentes, 25% por negócios e 24% lazer ou passeio.

A região que obteve o maior percentual de visitantes a lazer ou passeio foi a região Metropolitana de Belo Horizonte, com 46,4%.

Tratando da capital mineira, Belo Horizonte é mais procurada para o turismo cultural, e a diversão noturna, um dos motivos para ser considerada a capital dos bares. Ambas as motivações totalizam 45% das escolhas.

No Alto Paranaíba, o turismo de negócios foi apontado como principal motivo de viagem para 36,1% dos entrevistados. Já na região Norte, 56,4% das viagens são motivadas para visita a amigos ou parentes, assim como no Alto Paranaíba com 33,9%.

Na Zona da Mata o ecoturismo foi o principal atrativo das viagens a lazer com 74% das escolhas dessa região.

Na Região Central, o público foi motivado principalmente em conhecer patrimônios históricos e cultura local (60,2%).

Ouro Preto, São João Del Rei, Mariana e Cordisburgo são apenas quatro das quinze cidades pesquisadas na região.

Os circuitos que as pessoas mais têm interesse de visitar em uma próxima viagem são Circuito do Ouro com 12% (Caeté, Congonhas, Itabira, Mariana, Nova Lima e Ouro Preto são algumas das cidades que pertencem a este circuito).

Caminhos Gerais segue na lista com 8% das intenções, tendo o município de Poços de Caldas como principal polo.

Em seguida, temos o Circuito dos Diamantes com 8% (Diamantina e Serro), Belo Horizonte (7%) e Trilha dos Inconfidentes (7%), com os municípios de Barbacena, Carrancas, São João Del Rei e Tiradentes.

O nível de satisfação que abrange os serviços ou dimensões turísticas, tais como segurança pública, qualidade de hospedagem, opções de lazer e entretenimento, hospitalidade, gastronomia/restaurantes dentre outros, teve uma média de 7,6 num total de 10.

Destacam-se os serviços de hospitalidade (8,7), gastronomia/restaurantes (8,5) e qualidade da hospedagem (8,3) com as maiores avaliações.

90% das pessoas afirmaram que as expectativas foram atendidas plenamente ou foram superadas em Minas Gerais.

Quando perguntadas qual era a “primeira imagem que vem a cabeça quando se fala Minas Gerais”, os entrevistados citaram a Gastronomia, 22%, Montanhas, 18% e as Paisagens, 9%, como principais ícones do estado.

Visite: www.revistaecotour.com.br
Fonte: SETUR - MG

  
  

Publicado por em