Taxistas terão sistema de tradução para se comunicar com turistas

Agência Brasil RIO - Um sistema de tradução vai facilitar a comunicação entre turistas estrangeiros e taxistas durante os Jogos Pan-americanos e Para-panamericanos do Rio de Janeiro. Ao receber um estrangeiro em seu ca

  
  

Agência Brasil

RIO - Um sistema de tradução vai facilitar a comunicação entre turistas estrangeiros e taxistas durante os Jogos Pan-americanos e Para-panamericanos do Rio de Janeiro. Ao receber um estrangeiro em seu carro, o taxista poderá ligar do celular para uma central onde estudantes do curso de Letras farão a tradução do que o turista deseja, intermediando, por meio do viva-voz, a conversa em inglês ou espanhol.

O serviço será implantado em 124 táxis da cidade, até o final deste mês, com o apoio da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), das quatro operadoras locais de telefonia celular e da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

A operação do sistema, durante 24 horas do dia, vai envolver 20 professores e 64 alunos. Os estudantes vão receber bolsas de R$840 para trabalhar em turnos de 6 horas diárias. A Anatel e as operadoras de celular vão viabilizar as ligações gratuitamente para os taxistas. Não haverá custo adicional para o passageiro.

Durante o lançamento do sistema, hoje (12), a ministra do Turismo, Marta Suplicy, destacou que os jogos são um desafio para o país mostrar que é capaz de sediar grandes eventos com organização, profissionalismo e capacidade de acolhimento.

“O turismo qualificado é o que mais atrai, e a acolhida é feita de detalhes. Para o turista ser bem acolhido, ele tem que ser bem tratado, respeitado, e uma das coisas principais é poder se comunicar na língua dele", disse a ministra. "São pequenos detalhes, mas às vezes uma situação corriqueira acaba com o país na cabeça daquela pessoa.”

Segundo Suplicy, o projeto de tradução montado para ser testado no Pan é um dos embriões para dar um salto de qualidade no turismo. Se o resultado for favorável durante os jogos, segundo ela, o ministério vai avaliar a viabilidade técnica de mantê-lo permanentemente, ou até mesmo implantá-lo em outras cidades brasileiras que recebem grande fluxo de turistas estrangeiros, como, por exemplo, São Paulo, Belo Horizonte e Salvador.

Estudos do Ministério do Turismo mostram que a dificuldade de comunicação é um dos pontos mais criticados pelos turistas estrangeiros que visitam o Brasil. “A gente começou com os taxistas porque eles são um dos primeiros contatos que, em geral, o turista tem no país, mas esse é um sistema que também pode ser ofertado para outros serviços de atendimento ao turista”, explica Kátia Silva, técnica do Departamento de Certificação e Qualidade do Ministério do Turismo.

Para Luiz Antônio da Silva, presidente do Sindicato de Taxistas Autônomos do Rio de Janeiro, a iniciativa é positiva: “Existem muitos taxistas que não conhecem língua estrangeira e têm essa dificuldade de compreensão. O turista quer ir a algum lugar, é difícil de explicar e muitas vezes acaba não sendo levado para o destino que pretende”.

O número reduzido de táxis que vão contar com o serviço, diz ele, é justificável pelo fato de se tratar de um teste. Os táxis com serviço de tradução serão identificados com adesivos e devem circular principalmente em Copacabana, Ipanema, nas áreas próximas as competições e nos dois aeroportos da cidade, até o dia 30 de agosto.

Segundo o sindicato, 29 mil táxis circulam hoje na cidade do Rio de Janeiro. A expectativa do Ministério do Turismo é que a capital fluminense receba cerca de 600 mil turistas nos meses de julho e agosto durante os Jogos Pan-americanos e Para-panamericanos.

fonte: JB Online

  
  

Publicado por em