Turismo de Pernambuco receberá US$ 125 milhões em cinco anos

Recursos do BID, com contrapartida do Ministério do Turismo, vão beneficiar litoral, agreste e semi-árido

  
  
O arquipélago de Fernando de Noronha é um dos destinos pernambucanos que serão beneficiados pelo investimento

Pernambuco vai receber US$ 125 milhões do Ministério do Turismo e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) nos próximos cinco anos para investir no turismo. O empréstimo foi assinado hoje, em Brasília, pelo ministro do Turismo, Luiz Barretto, o governador Eduardo Campos, e o representante do BID no Brasil, Fernando Carrillo-Flores. Do total, US$ 50 milhões sairão dos cofres do ministério como contrapartida ao empréstimo internacional, no âmbito do Programa de Desenvolvimento do Turismo (Prodetur). “A decisão do governo federal de bancar a contrapartida foi fundamental para o crescimento do Prodetur”, afirmou Campos.

Criado nos anos 1990, o programa ganhou abrangência nacional a partir de 2008. Pernambuco recebeu recursos nas duas fases anteriores, que ficaram restritas ao Nordeste. As obras de infraestrutura e as ações de qualificação de produtos e pessoal iniciadas a partir de agora serão parte importante da preparação do Brasil para a Copa de 2014. “Essa coincidência não foi proposital, mas muito bem-vinda”, disse Barretto. Além dos estados, municípios com mais de 1 milhão de habitantes e cidades-sede da Copa, independentemente do tamanho de sua população, podem pleitear os recursos do BID.

Para o ministro, o sucesso do programa pode ser medido tanto pelo avanço da atividade turística no Nordeste quando pela adesão de estados e municípios à fase nacional. “Hoje, 16 estados e municípios já tiveram seus projetos aprovados e aguardam apenas a autorização do Senado para a contratação de empréstimo internacional”, afirmou Barretto. Somados aos convênios assinados por Pernambuco e pelo Ceará (na semana passada), os projetos aprovados chegam a US$ 1,6 bilhão, sendo US$ 931 milhões do BID e US$ 672 milhões em contrapartida do MTur. Outros 14 estados e municípios aguardam a análise de suas propostas.

“Essa demanda demonstra a compreensão dos administradores públicos sobre a capacidade do turismo de alavancar a economia, com o emprego intensivo de mão-de-obra, e de promover a preservação dos patrimônios natural, histórico e cultural”, disse Carrillo-Flores. Os recursos destinados a Pernambuco serão investidos em três pólos: Costa dos Arrecifes, beneficiando o litoral e a ilha de Fernando de Noronha, Agreste e Vale do São Francisco. “Enquanto o Prodetur ganha abrangência nacional, em Pernambuco, o programa deixa de beneficiar apenas o litoral e chega à região central e ao semi-árido”, destacou o governador.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em