Turismo doméstico está aquecido no Brasil

Cerca de 20 mil projetos de desenvolvimento do turismo foram apoiados pelo Ministério do Turismo em mais de 4.600 municípios brasileiros.

  
  

No ano passado, o turismo brasileiro bateu recordes, conquistou títulos e experimentou cifras inéditas: o país é o 3º maior mercado de aviação doméstica do mundo, número três vezes maior do que há dez anos.

A oferta de crédito dos bancos públicos para o setor também cresceu 13 vezes e a receita turística internacional aumentou 170% no período.

O número de empregos formais no setor quase duplicou, alçando o país à quinta colocação no ranking mundial de postos de trabalho nessa indústria, com 3,1 milhões de empregos diretos e cerca de 8,5 milhões entre diretos, indiretos e induzidos.

Os números relativos à economia do Turismo reforçam a importância desta indústria na geração de negócios, empregos e renda e os impactos positivos no desenvolvimento regional. Isso se deve à capacidade do setor de atingir todas as camadas sociais”, afirma o ministro do Turismo, Henrique Alves, que participou da abertura da WTM, em São Paulo.

Para Alves, é importante que o governo e o setor privado trabalhem juntos. “Em um ano desafiador como esse, é fundamental que estejamos unidos diante dos obstáculos. Temos avançado nessa missão. Se por um lado o mercado ampliou a oferta de assentos nas aeronaves, cresceu e reduziu as tarifas, por outro o governo está investindo na melhoria dos aeroportos e na construção de um plano de aviação regional. Se os empresários estão investindo em compra de equipamentos e avanços em infraestrutura, o governo libera crédito por meio de bancos públicos para o setor.", conclui o ministro.

Cerca de 20 mil projetos de desenvolvimento do turismo foram apoiados pelo Ministério do Turismo em mais de 4.600 municípios brasileiros. O objetivo é democratizar a atividade turística no Brasil e incorporar a classe C, que hoje representa mais de 50% da população do país. Embora mais de 100 milhões de brasileiros tenham condições de usufruir das atividades turísticas no país, 62 milhões viajam efetivamente.

O Ministério do Turismo vem estimulando o brasileiro a viajar mais pelo Brasil. Programas de incentivo a públicos segmentados, como o Viaja Mais Melhor Idade, e a adoção de uma estratégia inovadora de promoção do país para os brasileiros, criando a grande ação promocional #partiuBrasil, chegam a viajantes de todos os perfis.

A Política Nacional de Turismo também vem explorando atributos que fortalecem a competitividade turística internacional do país. Em matéria de recursos naturais, o Brasil é o primeiro da lista de 140 países, de acordo com o Banco Mundial. Quando o critério é diversidade cultural, o país figura na lista dos 25 mais atrativos.

O aumento da competitividade, aliás, é um dos maiores legados do período 2011-2014, que inclui a realização da Copa do Mundo no Brasil. A segunda herança mais importante do Mundial é a formação de mão de obra voltada para a indústria de viagens e turismo.

O Pronatec Turismo, programa realizado pelo Ministério do Turismo em parceria com o Ministério da Educação, já contabiliza 180 mil alunos matriculados. Esse número é superior à meta do próprio governo, que era de 157 mil matrículas.

Visite: www.revistaecotour.tur.br

Fonte: MTur / Vanessa Sampaio

  
  

Publicado por em