Cadastur participa da mobilização contra o Aedes aegypti

A Organização Mundial do Turismo (OMT) emitiu um comunicado sobre viagens para países e áreas afetadas pela transmissão do vírus Zika.

  
  

Um dia após a presidenta Dilma Rousseff convocar todos os ministros para uma ação conjunta de combate ao Aedes aegypti, servidores do Ministério do Turismo participaram de um encontro no Planejamento (MPOG) para traçar uma estratégia permanente de enfrentamento do mosquito.

A mobilização faz parte de uma ação do governo federal para adoção de medidas rotineiras de prevenção e eliminação de focos do Aedes, conforme decreto nº 8.662 publicado na terça-feira (02) no Diário Oficial.

O ministro do Planejamento, Valdir Simão, pediu o apoio de todos para adotar as medidas de prevenção e multiplicar as informações em para seus bairros, famílias e amigos. Participaram da reunião os secretários executivos do MPOG, Francisco Gaetani, da CGU, Carlos Higino de Alencar, e da Saúde, Agenor Álvares.

O Ministério do Turismo vem adotando uma série de medidas para informar os turistas sobre as ações de combate ao mosquito. Em sua página na internet, o MTur disponibilizou informações sobre saúde do viajante nos idiomas português, inglês, espanhol e francês. O conteúdo é produzido e atualizado constantemente pelo Ministério da Saúde. Nas redes sociais, o turista também pode acessar informações e dicas sobre o enfrentamento ao Aedes aegypti.

“Estamos em um momento de emergência de saúde pública e todos – governo e população – precisam se unir para conseguirmos vencer essa batalha”, alertou o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves.

Além da comunicação com turistas, o MTur está fazendo um trabalho junto aos estabelecimentos do setor. Os mais de 50 mil estabelecimentos cadastrados no Cadastur estão recebendo informações constantes sobre os cuidados para evitar a proliferação do mosquito.

RECOMENDAÇÕES SOBRE VIAGENS :

A Organização Mundial do Turismo (OMT) emitiu um comunicado sobre viagens para países e áreas afetadas pela transmissão do vírus Zika. A OMT reforça a posição da Organização Mundial de Saúde, de que não deve haver restrições de turismo às áreas afetadas.

De acordo com o comunicado, algumas medidas devem ser observadas, como o provimento de informações sobre riscos potenciais e medidas apropriadas para reduzir a possibilidade de se expor a mordida do mosquito e a desinfecção das aeronaves e aeroportos.

Visite: www.revistaecotour.tur.br

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em