Turismo será um dos grandes beneficiados com Olímpiadas no Rio de Janeiro

Pela primeira vez o COI elege uma cidade da América do Sul para sediar os Jogos Olímpicos.

  
  

A cidade do Rio de Janeiro foi eleita pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) para sediar os 31º Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, em 2016. A previsão é que o aumento no número de turistas estrangeiros no Brasil em 2016 seja de 10% a 15% superior ao que será registrado no ano anterior (2015).
Para se ter uma ideia do montante que isso pode representar em divisas no futuro, basta lembrar que dados atuais do Banco Central revelaram um ingresso recorde de dólares no Brasil no ano de 2008. Os turistas estrangeiros gastaram no país US$ 5,785 bilhões, 133% a mais do que 2003. Mesmo nos anos anteriores, os investimentos e obras gerados com as Olimpíadas devem impulsionar o setor, especialmente com turistas de negócios.

Concorrendo com Madrid, Chicago e Tóquio, o Rio de Janeiro já sinalizava que poderia ganhar o pleito quando, no último relatório de avaliação das quatro cidades concorrentes divulgado pelo COI, seu dossiê foi qualificado como “de muito alta qualidade”.

O Ministro do Turismo, Luiz Barretto, que integrou a delegação brasileira em Copenhague, avaliou os ganhos do país com o evento em 2016. “Parabenizo a todas as pessoas e entidades envolvidas nesse projeto vitorioso. É um dia de muita comemoração para todos nós, brasileiros, que pela primeira vez organizaremos um dos mais importantes eventos de todo o planeta. As Olimpíadas vão proporcionar uma exposição e promoção não só da cidade, mas de todo o Brasil no exterior. Será um ganho incalculável para nosso turismo e a nossa economia no longo prazo”, disse Barretto.

Primeira cidade a sediar uma Olimpíada na América do Sul e famosa por possuir algumas das paisagens naturais mais belas do mundo, a Cidade Maravilhosa, como é chamada pelos brasileiros, fará dessa edição dos jogos um evento sensacional. Não apenas por possuir todos os requisitos para sediar um evento de grande porte e importância como uma Olimpíada, mas por oferecer aos atletas a oportunidade de realizar suas provas olímpicas em um cenário exuberante, e atrair turistas que, igualmente, poderão desfrutar da beleza e dos segmentos turísticos do Rio de Janeiro e também de outras cidades do Brasil.

“A realização dos Jogos Olímpicos, antecedidos por uma Copa do Mundo de Futebol, além de um enorme legado de infraestrutura que tem impacto direto no turismo, significará pelo menos quatro anos de uma mega campanha publicitária, que transformará a imagem do país. É uma grande oportunidade de promoção e vamos mostrar o mundo que, além de belas praias, diversidade cultural e natural, temos também infraestrutura para nos consolidarmos como um dos grandes destinos de eventos internacionais do mundo”, avalia Jeanine Pires, presidente da Embratur.

A decisão do COI levou em consideração parâmetros como desenvolvimento econômico, infraestrutura, segurança e alojamento, além da beleza do local e a alegria do povo carioca, que apoiou a candidatura do Rio em 85%. Além de vitória para o esporte e para a economia do Rio de Janeiro e do Brasil, sediar uma Olimpíada será, para o turismo brasileiro, uma grande oportunidade para mostrar o forte potencial turístico que possui. Recente pesquisa da empresa ORC Worldwide constatou que a combinação entre custo, efetividade, paixão, hospitalidade, paisagens e clima torna o Rio de Janeiro o local ideal para os turistas que acompanharem os Jogos Olímpicos.

Outros estudos revelam que o Rio de Janeiro é uma cidade que merece sediar eventos como esse e, porque não, ser conhecida por todos. Eleita cidade mais feliz do mundo, segundo pesquisa feita com 10 mil pessoas em 20 países pela revista econômica Forbes, o Rio de Janeiro também recebeu o título de cidade mais cordial do mundo, proferido pelas universidades de Michigan e da Califórnia. Além disso, teve um dos seus principais monumentos, o Cristo Redentor, eleito como uma das novas Sete Maravilhas do Mundo Moderno.

De acordo com o Estudo da Demanda Turística Internacional, do Ministério do Turismo, o destino turístico brasileiro mais visitado por turistas estrangeiros a lazer é o Rio de Janeiro (30,2%). No segmento de negócios, eventos e convenções, o Rio aparece como segundo destino mais visitado, com 24,7%.

Dados do turismo brasileiro

* O Brasil ocupa o 7º lugar como destino de eventos internacionais no ranking da ICCA (International Congress and Convention Association), a maior entidade internacional do segmento de meetings do mundo.

* O Fórum Econômico Mundial, na terceira edição do Relatório de Competitividade em Viagens & Turismo, divulgada este ano, classifica o Brasil em 45º lugar, dos 133 países analisados. É o primeiro da América do Sul. No item recursos naturais, o Brasil ocupa o segundo lugar no ranking.

* Estudo divulgado também em 2009 pelo World Travel and Tourism Council (WTTC) afirma que o Brasil ocupa o 13º lugar no ranking da economia do turismo, entre os 181 países pesquisados, e em primeiro lugar entre os países latino-americanos.

Perfil do turista estrangeiro que vai ao Rio de Janeiro

* Dos turistas estrangeiros que visitam o Rio de Janeiro, 22,5% são dos Estados Unidos; 8,1% são da França; 6,9% da Argentina; 5,8% são da Inglaterra e 4,9% são do Chile.

* A principal motivação do turista estrangeiro que elege a Cidade Maravilhosa para viajar é o lazer (53,1%). A segunda fica por conta de negócios, eventos e convenções (28,5%).

* O segmento de lazer mais procurado pelo turista estrangeiro que escolhe o Rio de Janeiro é Sol & Praia (44,6%), seguido de Cultura (22,1%), Ecoturismo (20,6%) e Esportes (6,0%). A permanência média do turista estrangeiro no Rio de Janeiro é de 15,5 dias e o gasto médio é de US$ 90,1 por dia.

Fonte: ABETA

  
  

Publicado por em