Turismo traz oportunidades para pequenos negócios de Alagoas

O desenvolvimento do Turismo no Estado pode ser atribuído, em grande parte, às micro e pequenas empresas.

  
  

No dia 2 de março, Dia Nacional do Turismo, Alagoas tem muito o que comemorar. Afinal, está entre os roteiros mais procurados por turistas de todo o Brasil. As piscinas naturais, os banhos em praias de águas cristalinas e calmas, que por vezes se encontram com rios e lagoas, a gastronomia baseada em frutos do mar e a delicadeza do artesanato encantam os visitantes.

Só em Maceió, são 40 quilômetros de litoral e 22 quilômetros de lagoas e canais, águas que se mantém aquecidas praticamente o ano inteiro, em função do calor de aproximadamente 26 graus, característico da região. As belezas culturais e históricas de cidades como Marechal Deodoro e Penedo completam o cartão postal de Alagoas.

De acordo com dados da Infraero, de janeiro a dezembro de 2008, 957.744 pessoas desembarcaram no Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, principal porta de entrada para o turismo, o que representa um aumento de 2,1% em relação ao mesmo período do ano passado e acima da média nacional de 1,4%.

Os números consideram apenas os vôos regulares, sem contar os passageiros que vieram em vôos fretados ou por via terrestre. De acordo com a Secretaria de Estado do Turismo, durante a última temporada de verão chegaram a Maceió 26 vôos charters da CVC, além de vôos fretados da Argentina e Itália e de 29 cruzeiros, trazendo mais de 70 mil passageiros. O aumento no número de visitantes é um estímulo ao crescimento do turismo e gera novas oportunidades de negócio, sobretudo, para os pequenos empreendimentos.

Segundo Vanessa Rocha, gerente da Unidade de Turismo, Artesanato e Cultura do Sebrae em Alagoas, o desenvolvimento do Turismo no Estado pode ser atribuído, em grande parte, às micro e pequenas empresas. “Com a demanda crescente por lugares pequenos e aconchegantes, quem ganha são os pequenos negócios, que podem oferecer um atendimento personalizado e diferenciado aos turistas”, afirma a gerente.

Para o secretário de Estado de Turismo, Virgínio Loureiro, os pequenos negócios ajudam no desenvolvimento de uma atividade turística mais sustentável. “Entre os novos empreendimentos turísticos de Alagoas estão pousadas do roteiro de charme, com altíssimo padrão de qualidade, que serão instaladas na Praia do Gunga e Passo do Camaragibe”, afirmou o secretário.

Desafios

Mas apesar do potencial turístico de Alagoas, o Estado ainda precisa vencer alguns desafios para, de fato, tornar-se uma referência nacional. Um deles é melhorar e padronizar a qualidade dos serviços e produtos oferecidos aos visitantes, além de ampliar a divulgação dos roteiros turísticos.

Para Edval Vilar de Araújo, presidente da Associação dos Empreendedores de Turismo do Litoral Sul (Assert Sul), a atuação do Arranjo Produtivo Local (APL) Lagoas e Mares do Sul tem fortalecido a atividade no litoral sul do Estado, porém é preciso, ainda mais, o apoio das prefeituras e a preocupação dos empresários com a qualidade.

“Precisamos nos preocupar com a qualidade dos serviços que oferecemos. Além do bom atendimento, o turista quer ficar num ambiente limpo, comer bem e se sentir seguro. Os governantes devem buscar também uma maior divulgação dos destinos alagoanos. Tenho notado a preferência de clientes com alto poder aquisitivo por pousadas, simplesmente porque têm contato direto com o proprietário, devemos aproveitar isso e buscar mais melhorias para atrair mais clientes”, explicou Edval.

O Sebrae, o Governo do Estado e outras instituições parceiras têm trabalhado para desenvolver o turismo em Alagoas, por meio da atuação dos APL de Turismo Costa dos Corais, Lagoas e Mares do Sul e Caminhos do São Francisco, respectivamente localizados no litoral Norte e Sul e região noroeste do Estado.

As ações desses arranjos, que ao todo atendem 27 municípios alagoanos, tem o objetivo de colaborar com os empresários locais no desenvolvimento da vocação turística de forma sustentável, promovendo investimentos em diversas áreas, buscando a melhoria e qualificação dos profissionais em atendimento e demais serviços turísticos, além de divulgar os novos produtos.

“Temos incentivado à formalização de toda a cadeia produtiva de turismo. Encantar os visitantes significa recebê-lo com profissionalismo, aliado a tão conhecida hospitalidade alagoana. Respeitar o meio ambiente na exploração dos passeios, trabalhar de forma a cuidar de nossos patrimônios naturais e históricos e convidá-los a fazer o mesmo. Oferecer segurança, diversas opções de hospedagem e vivências de nossa cultura”, complementou Vanessa.

Novos mercados

Um dos nichos de mercado que vem sendo apoiado e desenvolvido pelos APL é o de Turismo de Aventura, um segmento que cresce em todo o mundo. No Brasil, cerca de 2 mil empresas operam no ramo de Turismo de Aventura, com mais de 25 mil profissionais envolvidos na atividade, e 200 destinos caracterizados pelo Guia 4 Rodas. Dentro dos 87 roteiros priorizados pelo Ministério do Turismo, 48 tem o turismo de aventura como principal atividade.

Canoagem de rio e oceânica, flutuação, cicloturismo, mergulho, cachoeirismo, rapel, tirolesa, pêndulo, caminhadas, passeios náuticos e passeio off Road, são algumas das opções oferecidas no Estado. Algumas agências já comercializam esse tipo de passeio, mas o visitante também pode entrar em contato direto com as operadoras. A média estadual de preço dos passeios é de R$60 enquanto a média nacional é R$120.

A Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (Abeta) é a entidade de referência no desenvolvimento e fortalecimento do mercado brasileiro de Turismo de Aventura. Junto ao Ministério do Turismo e o Sebrae, lidera os programas de qualificação, certificação e promoção no intuito de destacar o Brasil como destino mundial no segmento.

Segundo o coordenador regional da Abeta/AL, Charles Almeida, o apoio da associação deu visibilidade ao Brasil em todo o mundo. “Hoje, o turismo de aventura colocou o Brasil como destino número um de aventura em 2009, na revista National Geographic, deixando para trás roteiros como Nova Zelândia. Em Alagoas, as iniciativas já estão acontecendo para oferecer ao turista uma opção a mais de atividade com qualidade nos produtos oferecidos e segurança, atingindo desde as crianças até os mais velhos”, explica Charles.

“O turista vem a Alagoas em busca de nossas belezas naturais, o já conhecido turismo sol e mar. Alagoas tem sido um dos destinos preferidos do público da terceira idade e casais em lua-de-mel. Mas, nós temos muito mais a oferecer: cultura, um inusitado passeio gastronômico, que une os frutos do mar com o toque alagoano do leite de coco, história, rotas ecológicas e aventura”, finaliza Vanessa Rocha.

Serviço:
Sebrae/AL - (82) 4009-1600

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

  
  

Publicado por em