Um mosaico de maravilhas chamado Paraná

Lugares irresistíveis da tríplice fronteira ao extremo oeste

  
  
Cataratas do Iguaçu/PR

Curitiba, capital paranaense, é majestade metropolitana. Modelo em urbanismo, dá um banho de tecnologia em transporte urbano. Mas passar férias no Paraná também é um convite à vara de pesca, à bússola e aos apetites curiosos. Um lugar onde praia, montanha, cidade e interior são igualmente irresistíveis.

O verão paranaense começa na travessia para a rústica e charmosa Ilha do Mel, parque estadual de preservação ambiental e parte do município de Paranaguá. O caminho para o paraíso é feito de barco, por uma baía próxima ao mar aberto, partindo de Paranaguá ou Pontal do Paraná. Em 35 km de praias e natureza preservada, a calmaria permanece na alta temporada: apenas 5 mil pessoas podem permanecer na ilha, simultaneamente.

Céu, mar e pé na areia, ao mesmo tempo, podem fazer perder a noção da hora. Portanto, a dica é deixar o relógio em casa e concentrar-se na máquina fotográfica. A recomendação será seguida à risca pela fotógrafa Priscila Foroni, que mora em Curitiba e vai desbravar os encantos da Ilha do Mel neste verão. Ela comprou um pacote turístico e, em dois dias, pretende visitar também a cidade de Morretes. Os lugares já são conhecidos por Priscila, mas esta é a primeira vez que será acompanhada por um guia de turismo. “É muito diferente quando você vai com alguém que conhece o lugar”, avalia. Durante o passeio, ela pretende registrar as belezas locais durante caminhadas à beira mar. “Muitas vezes a gente se surpreende ao descobrir que uma coisa tão bonita está tão perto”, anima-se.

Conterrâneos, turistas ou maratonistas, todos cederão aos encantos da ilha. Cumprir o percurso de 10 km que separa dois prestigiados pontos turísticos locais pode parecer difícil, mas, na prática, é irrecusável. A Fortaleza Nossa Senhora dos Prazeres guarda, ao topo, armamentos históricos, canhões do século VXIII e uma paisagem desconcertante. E a Gruta das Encantadas é um relicário de lendas e histórias misteriosas. Contam os ribeirinhos que em noites enluaradas, lindas sereias escondidas na grande fenda aberta no rochedo atraíam visitantes, que desapareciam para sempre. Quem visitar, verá.

A ilha é pacata, mas está 24 horas em movimento. No raiar do dia, condutores e guias já estão de prontidão para acompanhar os visitantes em dezenas de trilhas que levam a praias selvagens, algumas com ondas apropriadas para o surf. Ao entardecer, o convite é subir os 150 degraus de escadaria que levam à desconcertante vista ao pé do Farol das Conchas, construído em 1872 por ordem de Dom Pedro II. E todos os caminhos noturnos levam ao centrinho cercado por bares, gente bonita e um clima praiano ao som de reggae, forró ou pagode.

MORRETES
Situada aos pés da Serra do Mar, Morretes é um recanto de beleza e simplicidade. Chega-se à cidade de trem, que parte de Curitiba. Em julho, o uberabense Felipe Marques Borges fez o trajeto, viajando à velocidade de 28 km/h pela estrada de ferro que corta a Mata Altântica. Segundo ele, esse percurso “já vale a viagem, o caminho é lindo”. Na chegada a Morretes, mais uma surpresa: a própria estação ferroviária, construída em 1885, é uma atração. “A cidade é tão pequenina, antiga e bonitinha, que parece coisa de filme ou novela! É um deslumbramento para quem vem de uma cidade grande”, recorda-se Felipe.

Turismo também é gastronomia, portanto não deixe de saborear o barreado, prato típico da região, em um dos restaurantes tradicionais da cidade. Não exagere para poder fazer montanhismo no Parque Estadual Pico do Marumbi, caminhar pela Mata Atlântica preservada e descer as cachoeiras de caiaque ou bóia-cross. Quem for a Morretes e não observar a revoada do papagaio chauá, no Parque Nacional do Superagui, perderá uma incrível experiência.

FOZ DO IGUAÇU
Não por acaso, os resultados do Estudo de Competitividade dos 65 Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico Regional – Relatório Brasil 2009 deram a Foz do Iguaçu o título de cidade mais bem estruturada do país em cinco quesitos da pesquisa. Entre as “não-capitais”, apresentou a melhor pontuação em Acesso, Serviços e Equipamentos Turísticos, Marketing e Promoção do Destino, Capacidade Empresarial e Aspectos Ambientais.

O bom desempenho reflete a realidade. Foz abriga as famosas Cataratas do Iguaçu, guardadas pelo parque declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO. Lá, a aventura está em toda parte: por trilhas, em terra firme; de helicóptero, sobrevoando a Garganta do Diabo, maior conjunto de quedas d’água da região; nas nuvens, do alto do rapel ou em escalada; ou em um passeio no Macuco Safári, que dá um banho nos tripulantes ao aproximá-los da força das águas.

Turismo educativo também tem espaço na cidade. A Usina de Itaipu, maior hidrelétrica do mundo em produção de energia, é um empreendimento binacional e serve de laboratório para estudantes de 3ª a 8ª série. O turista pode optar ainda por visitas ao Ecomuseu e ao Parque das Aves, onde é possível observar coloridas e raras aves tropicais.

Em Foz, a tríplice fronteira é parada obrigatória. O Marco das Três Fronteiras simboliza o encontro entre os vizinhos Brasil, Argentina e Paraguai. Bem perto dali, o turista desfruta de um oásis para compras dos mais variados artigos e produtos.

CURITIBA
Um clássico city tour por Curitiba inclui uma visita ao Jardim Botânico e sua estufa que lembra um palácio de cristal, ao Teatro Guairá, erguido em 1900, ao Museu Oscar Niemeyer, em forma de olho, e à encantável Rua das Flores. Uma refeição nas cantinas italianas do bairro Santa Felicidade é outra escala indispensável do passeio.

Referência nacional em qualidade de vida, a capital do Paraná vai sediar a Copa do Mundo de Futebol em 2014. Junto com Foz do Iguaçu, integra a lista dos 65 Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico Regional, municípios brasileiros que são o foco da política de regionalização do Ministério do Turismo.

O balanço 2009 do setor, no estado, é positivo para o turismo interno, mesmo diante da conjuntura econômica pouco favorável em 2009. De acordo com Tatiana Nicz, bacharel em Turismo e sócia de uma agência de viagens de Curitiba, “durante o ano sentimos uma redução no número de clientes estrangeiros, mas também notamos um aumento no número de turistas brasileiros”. Os destinos mais procurados por esses viajantes foram Morretes e Ilha do Mel, no litoral sul paranaense.

81 MOTIVOS PARA VIAJAR PELO BRASIL
Essas e outras atrações do estado do Paraná compõem 81 roteiros que estão sendo estruturados por meio do Programa de Regionalização do Turismo – Roteiros do Brasil. Esses roteiros contemplam 345 municípios brasileiros de 113 regiões turísticas.

Lançado em 2004, o Programa de Regionalização do Turismo trabalha o desenvolvimento do turismo regionalizado em todo o país e a gestão descentralizada. O objetivo é estruturar, diversificar e qualificar a oferta turística brasileira para inserir de forma competitiva o produto Brasil no mercado internacional.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em