Verão começa mais cedo no Recife

Desde setembro, a Cidade vive dias ensolarados e noites agitadas pelos primeiros acordes do carnaval

  
  
Pátio de São Pedro

O verão começou em setembro no Recife. A partir do dia 7 e até a quarta-feira de cinzas do Carnaval de 2010, a Cidade só terá dias ensolarados, céu quase sem nuvens e noites agitadas. Além da praia, com suas águas tépidas, a grande pedida da estação é a própria história da Cidade, contada por sua arquitetura e arte - igrejas centenárias, museus, casario antigo e uma variada programação de shows de música e teatro. Sem contar que, já a partir de outubro, os recifenses começam a respirar o clima carnavalesco. Tanto nas ruas quanto nos grandes blocos. O Galo da Madrugada, por exemplo, agora promove eventos semanais em sua sede.

A temporada é uma boa oportunidade para passeios por lugares da Cidade não tão conhecidos como as praias. Mas cheios de atrações e história. O Bairro do Recife, entre o Rio Capibaribe e o Oceano Atlântico, é um bom exemplo. O lugar - antiga sede da administração da Capitania por decisão dos holandeses, em 1631 - é uma amostra das diversas fases da evolução urbana recifense. Com seus monumentos de inestimável valor arquitetônico e histórico, o Bairro do Recife passou por um grande processo de restauração e hoje abriga, além de prédios antigos, empresas de Tecnologia da Informação, bares, casas noturnas, restaurantes e feira de artesanato. É lá que estão a primeira Sinagoga da América Latina e o Marco Zero - palco de freqüentes shows gratuitos de música e dança promovidos pela Prefeitura do Recife.

Também no centro estão os bairros de São José e Santo Antônio. A ocupação dessas áreas deu-se no começo do século XVII, quando os franciscanos começaram a levantar o Convento de Santo Antônio (1606). Como a ligação com o Bairro do Recife se fazia por pequenas embarcações, o desenvolvimento urbano foi lento. A ocupação holandesa, no entanto, desenvolveu o bairro. A partir do século XVIII surgiu o casario que caracteriza o local. O processo de urbanização, na década de 40, não destruiu completamente a arquitetura original e atualmente a área apresenta um acervo considerável de edificações antigas do século XVIII, XIX e do início do século XX. O traçado original foi, de certa forma, preservado: ruas estreitas, becos e vielas tortuosas que se abrem, de vez em quando, em pátios. Nesses dois bairros, estão localizados vinte e quatro edifícios de grande valor histórico e cultural: igrejas, casario e até um forte militar.

Uma boa opção para visitas é a Oficina Brennand. O espaço abriga um conjunto arquitetônico monumental com peças do internacionalmente consagrado artista plástico Francisco Brennand. De lá, uma esticada para o Instituto Ricardo Brennand. O local é uma réplica de um castelo medieval e traz um acervo de livros raros e obras de arte das mais diversas procedências e épocas, coleção de armas brancas, uma das mais importantes do mundo, e o maior acervo de obras de Frans Post sobre o Brasil holandês.

O turista também pode fazer uma viagem pelo mundo verde das praças do Recife. A Cidade tem a maior quantidade de projetos paisagísticos assinados por Burle Marx, que podem ser apreciados nos jardins da Praça da República e do Palácio do Campo das Princesas, sede do Governo Estadual, da Praça do Derby e da Praça da Vitória Régia. O Recife foi palco das primeiras obras deste artista que projetou jardins em lugares como Genebra, Paris, Viena e Washington. Outro passeio imperdível são os de jangada. Navegue nas águas tranqüilas de Boa Viagem, uma das praias urbanas mais lindas do Brasil. Banhe-se nas suas piscinas naturais de águas mornas.

O começo do verão tem espaço para Carnaval no Recife. Caia no passo na sede do maior bloco carnavalesco do mundo, o Galo da Madrugada. Toda semana, o Palácio Enéas Freire recebe artistas locais para mostrar aos turistas e recifenses o frevo, o maracatu e o caboclinho.

Deslizar pelo Rio Capibaribe a bordo de um catamarã e apreciar o inesquecível cenário do centro do Recife, com as suas velhas pontes, manguezais, monumentos e paisagens é também inesquecível. Outra dica é desfrutar do maior parque de mergulho do País e conhecer as belezas do fundo do mar. O Recife é a capital brasileira de mergulho de naufrágios.

Rua da Aurora

Para conhecer a Cidade a bordo de duas rodas, o turista poderá fazer um passeio de bicicleta pelas ruas do Recife. O passeio acontece todas as noites da semana, exceto nas sextas-feiras. Para continuar no clima dos exercícios e não perder o ritmo, outra boa pedida é a Academia da Cidade na praia de Boa Viagem e no Parque da Jaqueira, além do golfe no Caxangá Golf & Country Club e das trilhas ecológicas no Jardim Botânico.

Uma visita ao Complexo Cultural Pátio de São Pedro também não pode faltar. São várias casas dedicadas à cultura e um moderno centro de designer. Como exemplos, o Memorial Chico Science, um espaço dedicado ao criador do movimento musical manguebeat; o Memorial Luiz Gonzaga, que tem como objetivo preservar e divulgar o legado do Rei do Baião; e o Museu de Arte Popular, com mais de 400 obras que fazem referência à geografia da produção artística do Nordeste brasileiro.

Caia na noite e aproveite para descobrir o motivo pelo qual o Recife é considerado o maior polo gastronômico do Norte Nordeste. A capital pernambucana conta com uma magnífica oferta de bares e restaurantes e oferece pratos de culinárias das mais diversas. A noite recifense é animada por bandas autorais, shows de garçons cantores e pelo agito de modernas boates.

Reserve espaço na sua mala para fazer compras nos centros comerciais da Cidade, como o Shopping Recife, o Mercado de São José, que têm de tudo um pouco, do artesanato às ervas medicinais, e a Casa da Cultura, centro de comercialização artesanal instalado em prédio onde funcionou a antiga Casa de Detenção do Recife (1850).

As tardes de sábado poderão ser dedicadas aos mercados públicos da Encruzilhada, Madalena e da Boa Vista, para se conhecer a gastronomia local. É um hábito do recifense frequentar esses lugares para se deliciar com a culinária e ainda escutar uma boa música. Outra boa dica, tanto para adultos quanto para as crianças, é o Mirabilândia. Ele é o terceiro maior parque de diversões do Brasil, e conta com brinquedos nas categorias radicais, infantis, aterrorizantes e familiares.

Para uma viagem ao passado e à cultura regional, imperdível visitar o Museu do Homem do Nordeste, um dos mais importantes museus histórico-antropológicos do Brasil; o Museu do Estado, instalado em um antigo palacete do século XIX; o Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães, centro de referência da produção moderna e contemporânea das artes visuais brasileiras. A Casa-Museu Magdalena e Gilberto Freyre guarda registros da vida e do acervo do mestre de Apipucos, Gilberto Freyre, autor de obras como Casa-Grande & Senzala e Sobrados e Mocambos. O Museu da Cidade abriga importante acervo de imagens sobre a história urbana e social do Recife. Além de visitar o Poço da Panela, um dos mais antigos e bucólicos bairros do Recife e seus muitos ateliês de artistas plásticos.

Além de tudo isso, o Recife tem muito agito para divertir todas as tribos com boas opções de roteiros e um olhar todo especial à diversidade. Um local muito visitado pelo público LGBT é a Galeria Joana D’Arc, um consagrado reduto dos descolados.

Fonte: Secretaria de Turismo de Recife

  
  

Publicado por em