Viajar ficou mais fácil ainda

Caixa e Aviesp assinam acordo. Quem ganha é o turista, que poderá fazer financiamentos de até R$ 10 mil, pagos em 24 vezes

  
  

Financiamentos que podem chegar a R$ 10 mil por cliente, com parcelamento em até 24 meses, beneficiarão turistas brasileiros e devem movimentar ainda mais o mercado doméstico. Todas as classes de renda serão beneficadas, especialmente as classes C e D que, com o aumento das taxas de emprego e renda, viajam cada vez mais. O secretário-executivo do Ministério do Turismo, Mário Moysés, participou, na manhã desta quinta-feita (14/10), da assinatura de acordo entre a Caixa Econômica Federal e a Associação de Agências de Viagem do Interior do Estado de São Paulo (Aviesp), que congrega 400 associados. A cerimônia foi na sede da instituição financeira, em Brasília.

São Paulo é hoje o maior emissor interno de turistas, responsável por mais de 1/3 do mercado. Segundo a Caixa, a meta é que, até novembro, o sistema seja operado por, pelo menos, 30% do total de agências do interior do estado.

Segundo o vice-presidente de Pessoa Física, Fábio Lenza, “a Caixa é, hoje, o banco que mais empresta para o empresariado turístico, tendo direcionado R$ 3 bilhões em crédito pra o setor, em 2009, e R$ 1,9 bilhão somente no primeiro semestre deste ano”. Ou seja, houve 35% de aumento do volume de empréstimos, em relação ao mesmo período do ano passado. Para Lenza, a parceria com a Aviesp fortalecerá o estímulo ao turismo interno, contribuindo para alimentar a geração de renda e de emprego no país.

William Périco, presidente da Aviesp, acredita que a linha de financiamento atenderá boa parte da demanda das classes C e D, que até pouco tempo não tinham acesso aos produtos turísticos. “É uma grande oportunidade para o agente de viagens, associado à Aviesp, ser incluído no programa de crediário Caixa Fácil. É um importante instrumento de fidelização de clientes diante do crescimento do mercado e da estabilidade econômica conquistada nos últimos anos.”

Operadores chamados de “master”, que já implantaram operações semelhantes para a aquisição, por exemplo, de materiais de construção e linha branca, instalarão o sistema usado pela Caixa nas 400 agências e treinarão os funcionários para operarem com ele. “É muito simples. Basta colocar os dados do cliente, identidade, CPF, renda. O crédito é aprovado em cerca de seis minutos”, diz o vice-presidente da Caixa, Carlos Borges.

Segundo Borges, a Caixa, que desde 2003 integra o Conselho Nacional de Turismo, quer ser um parceiro estratégico do Estado Brasileiro e se manter como referência para os segmentos do turismo brasileiro.

O secretário-executivo Mário Moysés enfatizou que a associação entre os setores público e privado tem se mostrado como importante instrumento de construção de políticas. Também tratou da importância do diálogo permanente entre todas as instituições que fazem parte do Conselho Nacional de Turismo e o Governo, o que tem garantido mudanças significativas e positivas em todo o segmento.

“Estamos diante de um momento extraordinário de crescimento da riqueza e da renda, com grande impacto para o turismo, mesmo antes da Copa de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016. É o resultado do desenvolvimento mais acelerado do país”, declarou Mário Moysés. “Alguns setores do turismo, como o de transporte aéreo, estão crescendo num ritmo três vezes maior do que o do Produto Interno Bruto (PIB).”

O desejo de viajar, principalmente a lazer, é cada vez maior entre brasileiros que antes nem imaginavam isso. “A população passa a apropriar-se de seu país em viagens que, como diz uma campanha publicitária do Ministério do Turismo, são para toda a vida. A Caixa Econômica federal tem estado especialmente sintonizada com este momento, oferecendo crédito, seja para as empresas, ou para o consumidor”, completou o secretário-executivo.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em