Cultura e religião fortalecem o turismo em Natividade (TO)

Uma procissão de fé, seguida da celebração da missa solene no dia dedicado à santa, na Igreja que tem seu nome, localizada na Praça da Matriz marcou o evento

  
  
Cavalgada pelo centro histórico-Carlos Magno

Os traços marcantes e a grandeza da religiosidade de uma cultura secular uniram fé e tradição expressadas num ritual cristão, durante os Festejos de Nossa Senhora da Natividade, no município de Natividade - integrando o roteiro turístico histórico e cultural do Tocantins, divulgado pela Agência de Desenvolvimento Turístico. O dia 8 de setembro foi escolhido para a esta homenagem especial.

Uma procissão de fé, seguida da celebração da missa solene no dia dedicado à santa, na Igreja que tem seu nome, localizada na Praça da Matriz marcou o evento. Barracas montadas, leilões, vendedores ambulantes integraram o cenário que teve também como ponto alto a cavalgada pelas ruas, partindo da feira municipal até o templo sagrado, construído ainda no século XVIII.

Os fiéis peregrinaram pelas ruas centenárias em caminhada, momento que contou com a presença de romeiros, alguns deles vindos de cidades como Palmas, Almas, Dianópolis, Conceição do Tocantins, Taipas e Mateiros, no Jalapão.

Foram muitas as candeias acesas conduzidas pelas pessoas, além de velas, bandeiras e terços que deram um caráter diferenciado, com os cânticos das senhoras devotas, exemplo dado por Felícia da Consolação, que todos os anos vem da zona rural para fazer esta contemplação.

A parte gastronômica foi enriquecida à base de muita comida e bebidas como espetinhos, porções, paçocas, bolos e biscoitos como o famoso “amor perfeito”. Outros artigos foram comercializados como terços, lembranças e livros religiosos.

Seguindo a tradição, centenas de cavaleiros também percorreram as ruas em cavalgada, acompanhados por carreata. A alegria estampava-se nos rostos de quem foi à porta para assistir. Muitos até acompanharam o trajeto, marcado também pela emoção dos cavaleiros e de seus familiares.

A beleza da festa foi complementada por bandeiras, carregadas por devotos como o senhor Durvalino Alves, 75 de anos. “Essa tradição faz de Natividade um lugar especial único e que vale a pena conhecer”, expressaram as romeiras Cleonita Carneiro e Maria Alves, durante a procissão.

“O ritual religioso contribuiu para o impulso na economia local”, disse o prefeito Joaquim Rodrigues (Joaquim do Posto). A boa movimentação foi confirmada pela comerciante Marcela Feitoza, do Café Sertões. “Além de vender bem, divulguei ainda mais os meus produtos”, pontuou.

No segmento hoteleiro, a concentração foi mais intensa nas pequenas pousadas, com aquecimento de até 80%. Os ambulantes comemoraram a renda extra, a exemplo do vendedor de água de coco Nilson Pereira (Nissim do coco).

Histórico da festa Épico-cristã.

A imagem da santa foi trazida pelos jesuítas para o norte da província de Goiás, em 1735. Foi a primeira a entrar nessa região, em embarcações pelo rio Tocantins, depois foi levada pelos escravos até o pé da serra onde se erguia o povoado denominado na época como Vila de Nossa Senhora da Natividade. A adoração segue até hoje, na Igreja Matriz. Relembrou o Padre Pedro Novaes, explicando que o nome “Natividade” significa nascimento da Virgem Maria.

Fonte: ADTUR

  
  

Publicado por em

Marcos A. Junghans

Marcos A. Junghans

17/9/2010 19:56:02
Muito interessante, estivemos em Natividade a pouco mais de um mês e conhecemos as atrações culturais, turísticas e religiosas da região. Importantíssimo preservar a cultura pois dela depende o futuro.