Festas religiosas aquecem economias locais e geram renda

O turismo religioso gera oportunidades de emprego e renda diretamente a artesãos, pequenas indústrias e lojas que lidam com artigos como estátuas e artefatos

  
  

Empreendedores do Pará se preparam para uma das maiores festas cristãs do país, o Círio de Nazaré, que acontece neste domingo (13/10), em Belém. A estimativa é superar os dois milhões de fiéis registrados em 2012.

Outra data importante para os católicos é comemorada também neste fim de semana: o Dia de Nossa Senhora Aparecida.

Diferentes manifestações religiosas, como a cultura gospel evangélica, com suas marchas e shows musicais, e o candomblé, estão atraindo investimento de pequenos negócios, movimentando economias locais em setores como indústria, comércio, serviços, turismo e artesanato, com geração de emprego e renda.

Na cidade de Abaetetuba, localizada a 120 quilômetros de Belém, os 100 profissionais da Associação dos Artesãos de Brinquedos e Artesanatos de Miriti de Abaetetuba (Asamab) já estão na etapa final da produção de aproximadamente 45 mil peças a serem comercializadas em Belém, na Feira de Artesanato do Círio.

A feira já é tradicional, porém se profissionalizou nos últimos anos, a partir da parceria dos artesãos com o Sebrae. Para que esses empreendedores possam aproveitar as oportunidades geradas pelo turismo relacionado ao Círio, a instituição os orientou em aspectos como a padronização das barracas, a melhoria do acabamento das peças, a formação de preço, a organização das finanças e o atendimento ao cliente.

“O turismo religioso gera oportunidades de emprego e renda diretamente a artesãos, pequenas indústrias e lojas que lidam com artigos como estátuas, artefatos, santinhos e camisetas, mas também, por conta da grande movimentação de pessoas, aquece empreendimentos como restaurantes, agências de viagem, transportes e guias turísticos”, assinala o presidente do Sebrae, Luiz Barretto.

Atento a esse movimento, a instituição tem desenvolvido ações específicas de apoio aos negócios voltados para o turismo ligado às diferentes manifestações religiosas.

Um dos reflexos desse apoio é que os membros da Asamab, que se dedicavam à atividade somente no período próximo ao Círio de Nazaré e no resto do ano exerciam outros trabalhos, passaram a atuar exclusivamente no artesanato.

Ainda com o suporte do Sebrae, em ações de acesso a mercado, os artesãos romperam as fronteiras do Pará e levaram seus produtos para eventos como a Jornada Mundial da Juventude, realizada em julho, no Rio de Janeiro, durante a visita do Papa Francisco.

- Sincretismo afro-descendente

A cerca de 2 mil quilômetros do Pará, é o sincretismo religioso baiano que vem gerando boas oportunidades de negócio para o pequeno empreendimento, mais precisamente em Salvador.

A capital baiana abriga os famosos terreiros de candomblé e eventos como a tradicional Lavagem do Bonfim, na segunda quinzena de janeiro.

Para atender a esse movimento cultural e religioso, o Sebrae na Bahia lançou um mapa de oportunidades do turismo religioso. O material mapeia alguns dados, como o fato de que as festas religiosas e romarias atraem cerca de 1,5 milhão de visitantes por ano a um circuito que reúne municípios do interior do estado como Bom Jesus da Lapa, Canudos e Monte Santo.

O material também apresenta os principais eventos ligados ao segmento na Bahia, destaca a legislação do setor, ressalta o perfil do turismo religioso e aponta o papel de o empreendedor contar com instrumentos como pesquisa de mercado e plano de marketing, tudo isso respeitando as particularidades ligadas à fé de cada manifestação religiosa.

O artesão Alessandro Teixeira tem como carro-chefe do seu trabalho orixás de metal, produzidos em sua oficina no bairro do Pelourinho. Na Bahia de todos os santos, ele conta que leva muito a sério a atividade de fabricar peças religiosas, não apenas pensando na questão comercial.

“Procuro não desvirtuar a imagem dos orixás. Tenho uma grande responsabilidade em contribuir com a minha arte para manter nossa cultura, tradição e fé fortes”, diz.

Assim como o turismo católico e do candomblé, as igrejas evangélicas têm organizado eventos que atraem milhões de fiéis em todo o Brasil. Um dos mais populares é a Marcha para Jesus, realizada no país inteiro.

Segundo estimativa dos organizadores, somente na última marcha realizada na cidade de São Paulo participaram seis milhões de pessoas.

As próximas edições do evento este mês acontecem no dia 14, em Ribeirão Preto (SP), e 21, em Cornélio Procópio (PR) e Campinas (SP).

-Dicas do Sebrae para quem quer trabalhar com o turismo religioso

- É preciso estar atento à demanda de clientes que pode surgir próxima ao evento. Deve-se pensar antecipadamente na formação de estoques e na contratação de funcionários provisórios.

- Além de contratar os funcionários, o empresário precisa capacitá-los com pelo menos um mês de antecedência ao início do trabalho, para que prestem um atendimento de qualidade ao cliente.

- O empreendedor não deve praticar preços abusivos dos seus produtos e serviços por conta do aumento na demanda. Com as redes sociais e outros instrumentos da internet, o consumidor tem condições de pesquisar preços e compartilhar experiências facilmente com outras pessoas. Recomenda-se pesquisar os valores praticados pela concorrência.

- É necessário conhecer os valores e tradições da religião com a qual tenha interesse de atuar.

Visite:www.revistaecotour.com.br

Fonte: Sebrae

  
  

Publicado por em