Lavagem do Bonfim será realizada no dia 17 de janeiro em 2013

Principal manifestação popular de Salvador, depois do Carnaval, a Lavagem do Bonfim, acontecerá, em 2013, no dia 17 de janeiro. A festa, de data móvel, faz parte do ciclo de festejos populares e religiosos da capital baiana

  
  
O Senhor do Bonfim é considerado o padroeiro do coração do povo da Bahia

Principal manifestação popular de Salvador, depois do Carnaval, a Lavagem do Bonfim, acontecerá, em 2013, no dia 17 de janeiro. A festa, de data móvel, faz parte do ciclo de festejos populares e religiosos da capital baiana e acompanha o calendário da Igreja do Senhor do Bonfim. A história indica que a tradição da lavagem começou com a tarefa, dos escravos, de preparar o templo para o domingo festivo.

As mulheres iam com seus trajes brancos e torços na cabeça como era tradição. A água era colhida de uma fonte localizada no bairro e levada à Colina Sagrada por aguadeiros, no lombo de burros. Durante o trabalho cantava-se e dançava-se. Como boa parte das mulheres pertencia ao ritual do candomblé, algumas vezes entravam em transe, desagradando às autoridades, que proibiram, em alguns períodos, que ela ocorresse.

A lavagem no interior do templo foi proibida em 1899, pela Arquidiocese de Salvador, mas o povo insistiu com o costume. Hoje, é feita com água de cheiro e flores, levadas em potes, por baianas adeptas do candomblé ou do receptivo turístico, e por populares. A festa católica acontece com novena (nos dias anteriores) e missa festiva no domingo.

O Senhor do Bonfim é considerado o padroeiro do coração do povo da Bahia. O padroeiro original da capital baiana é São Francisco Xavier, e a padroeira do estado é Nossa Senhora da Conceição da Praia. A história do culto ao Senhor do Bonfim tem início em 1740, quando o Capitão de Mar e Guerra, Theodósio de Faria trouxe de Portugal uma imagem similar e no mesmo tamanho da que existia na cidade de Setúbal. Ela foi esculpida em pinho de riga, medindo 1,06m de altura. Uma curiosidade: a famosa fitinha do Bonfim era chamada de medida porque media o mesmo que o tamanho do braço direito da imagem.

Em 1745, a imagem foi guardada na Igreja da Penha, em Itapagipe, até a construção do templo de Nosso Senhor do Bonfim. No mesmo ano foi fundada uma irmandade de devotos, a Devoção do Senhor do Bonfim.

A única colina de Itapagipe foi escolhida para erguer a igreja, cuja construção durou de 1746 a 1772. Em 1754, a imagem foi transferida para o novo local de culto, onde está até os dias de hoje. Em 11 de janeiro de 1975, para guardar o grande número de objetos, joias, esculturas de cera e de madeiras, entre outros, dados como pagamento de promessas por graças alcançadas, foi criado o Museu dos ex-Votos, que é aberto a visitação e guarda muitas curiosidades e preciosidades, como fotos antigas e esculturas.

O novenário da Festa do Bonfim acontecerá de 10 a 19 de janeiro de 2013, sempre às 19h30, com exceção do dia 17, dia da lavagem do adro da Basílica. No dia 17, por volta das 8h começa a concentração de fieis, baianas, turistas e demais participantes em frente à Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia, no bairro do Comércio. O cortejo sai por volta das 9h e os participantes seguem um percurso de oito quilômetros entre a Conceição e o Bonfim, a pé, em bicicletas, carroças enfeitadas ou a cavalo. Ao longo do caminho ou em restaurantes e casas de festas da Avenida do Contorno e da Cidade Baixa, acontecem festas, como a Enxaguada do Bonfim, no Museu Du Ritmo, de Carlinhos Brown.

No dia da lavagem do adro da Basílica, a igreja permanece com a porta da frente aberta para a veneração pública da imagem histórica, mas não é permitida a entrada de visitantes. No domingo, 20 de janeiro, dia da festa, as missas serão celebradas às 5h, 6h, 7h30 e 9h. A missa solene, presidida pelo arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, será às 10h. No mesmo dia, às 16h, acontece a “Procissão dos três pedidos”, saindo Igreja dos Mares com destino ao Bonfim.

Fonte: Governo da Bahia

  
  

Publicado por em