Turismo religioso acrescenta novas alternativas à economia potiguar

O interior potiguar concentra grandes eventos religiosos ao longo do ano

  
  

A Estátua de Santa Rita de Cássia, na cidade de Santa Cruz (RN), vai receber um reforço extra com a construção de um teleférico, que liga a estação da matriz ao Alto de Santa Rita. Na sexta-feira (25/9), o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, esteve no local.

A obra do teleférico tem o aporte inicial de R$ 5 milhões do ministério, para a estrutura física, duas estações e sete torres de sustentação. A próxima fase, que terá inicialmente oito cabines, podendo chegar a 12 de acordo com a demanda, deve estar concluída até o fim de 2016.

O objetivo do ministério é impulsionar o turismo religioso e consolidar Santa Cruz como destino nacional de peregrinos. O monumento já atraiu mais de dois milhões de visitantes e, aos finais de semana, chega a receber entre 40 e 50 ônibus de romeiros.

Antes da estátua, porém, que começou a ser construída em 2007, Santa Cruz oferecia apenas 112 leitos de hotéis. Hoje, são 570. O empresário Reinaldo Ramos, que tinha uma pousada com 10 apartamentos, passou de 30 para 100 leitos. A maior parte da clientela vem de Pernambuco.

“Hospedo representantes comerciais durante a semana e romeiros nos sábados e domingos”, diz o hoteleiro. A venda de alimentos e bebidas, entre outros serviços, também aumentou na cidade com o surgimento de novos pontos comerciais, inclusive de artigos religiosos.

O interior potiguar ainda concentra grandes eventos religiosos ao longo do ano, a começar pelas romarias ao Monte do Galo, em Carnaúba dos Dantas. Já o mês de julho, na região Seridó, também é conhecido como o mês de Santana, com a realização de grandes festas, principalmente em Caicó e Currais Novos.

Shows musicais, feiras de gastronomia e artesanato atraem multidões, além da motivação religiosa. Situação semelhante ocorre em Mossoró, que dedica o mês de dezembro aos festejos em homenagem a padroeira Santa Luzia. Hotéis, bares e restaurantes, e o comércio em geral então entre os beneficiados diretamente com o turismo religioso.

- Mártires potiguares:

O dia 3 de outubro, feriado estadual no Rio Grande do Norte, é dedicado aos mártires de Cunhaú e Uruaçu. Os moradores de dois engenhos potiguares teriam sido os primeiros brasileiros massacrados em nome da fé católica, ainda durante o período colonial holandês. A beatificação coletiva de dezenas de brasileiros transformou o monumento aos mártires, na região metropolitana de Natal, em atração turística e local de romaria.

-Natal em Natal:

As comemorações do aniversário da capital potiguar vão além dos festejos religiosos que, por coincidirem com o Natal em Natal, já atraem muitos visitantes naturalmente. O período mais festivo do ano na cidade também é tempo de férias. Somente uma operadora nacional de turismo, anunciou 150 voos fretados de várias capitais brasileiras para o verão natalense.

A temporada inclui festivais de gastronomia, música, literatura e cinema. Shows musicais e espetáculos ao ar livre são intercalados com as festas da padroeira, Nossa Senhora da Apresentação; Santos Reis, São Sebastião e Nossa Senhora dos Navegantes. Todas elas com forte apelo ao turismo religioso. O Carnatal, também em dezembro; e o Carnaval, em fevereiro, são os expoentes do verão potiguar.

- Turismo religioso no Brasil:

As viagens motivadas pela fé mobilizaram 17,7 milhões de brasileiros no ano passado. Entre os maiores destinos de turismo religioso consolidados no país também estão o Círio de Nazaré (Belém, PA), uma das maiores festas religiosas do mundo, que reúne cerca de um milhão e meio de pessoas em outubro; a Romaria à Juazeiro (Juazeiro do Norte, CE), que recebe cerca de dois milhões de devotos de Padre Cícero por ano; e a Romaria à Nova Trento (Nova Trento, SC), onde está o Santuário da Madre Paulina, considerada a primeira santa brasileira, com cerca de 20 mil peregrinos por mês.

Visite: www.revistaecotour.tur.br

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em