Visita do Papa aquece o turismo religioso rodoviário

A visita oficial do papa Bento XVI ao Brasil, entre os dias 9 e 13 de maio, deve aquecer o turismo religioso no País. Segundo a CNBB, estão sendo aguardados, somente na cidade de São Paulo, cerca de 1 milhão de fiéis n

  
  

A visita oficial do papa Bento XVI ao Brasil, entre os dias 9 e 13 de maio, deve aquecer o turismo religioso no País. Segundo a CNBB, estão sendo aguardados, somente na cidade de São Paulo, cerca de 1 milhão de fiéis no Campo de Marte, além de 35 mil jovens no estádio do Pacaembu, e, pelo menos, 500 mil pessoas em Aparecida do Norte, interior de São Paulo, onde será realizada a V Conferência do Episcopado da América do Sul e Caribe. O papa deve ainda visitar a cidade de Guaratinguetá (SP).

O turismo em torno do papa, incluindo a vinda de fiéis católicos de todos os cantos do Brasil e também de países latino-americanos, deve movimentar um montante de R$ 60 milhões na Capital paulista.

Além da média 120 mil turistas em finais de semana, milhares de pessoas deverão viajar para a cidade de Aparecida com a intenção de participar da missa celebrada pelo papa Bento XVI. Com apenas 36.129 habitantes, Aparecida é o maior pólo de turismo religioso do País e atrai cerca de oito milhões de romeiros todos os anos. Por viajar em grupo ou em família, o turista religioso usa mais transporte rodoviário do que aéreo.

Turismo religioso e rodoviário:

Toda essa movimentação deve mobilizar uma frota de 10 mil ônibus de fretamento às cidades visitadas pelo papa. O que preocupa Maurício Marques Garcias, presidente da FRESP- Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo, é a infra-estrutura preparada para receber esse meio de transporte e seus passageiros.

Segundo o diretor-executivo de planejamento de Aparecida, Carlos Alberto de Almeida, foram construídos uma alça marginal à via Dutra, novos bolsões de estacionamento para 40 mil carros e ônibus – antes a cidade comportava 19 mil - e três calçadões para facilitar a circulação do público na cidade.

Os estacionamentos adicionais para 2 mil ônibus foram distribuídos em três pontos próximos à Basílica, onde será celebrada a missa pelo pontífice: no bairro de Santa Terezinha, próximo ao residencial Rosa de Ouro (1.400 ônibus); estacionamento Santo Afonso, no centro (324 ônibus) e no bairro de Vila Mariana (280 ônibus). Uma área reserva no bairro do Jardim Paraíba, próximo ao Santuário Nacional deverá ser acionada para eventual estacionamento de veículos. Os locais devem ser equipados com banheiros químicos, bebedouros, pedregulhos no chão para facilitar o tráfego e sinalização. Considerando os estacionamentos particulares para ônibus que existem na cidade e nos hotéis, o município deve contar com um total de três mil vagas.

Julio Oliveira, gerente de Operações da Basílica de N. Sra. Aparecida, na cidade de Aparecida, informa: “operacionalmente falando, trabalhamos para acolher cerca de 500 mil romeiros no dia 13 e, para tanto, reservamos os dois bolsões laterais ao Centro de Apoio ao Romeiro somente para os pedestres”.

Maurício Garcias, da FRESP questiona: serão suficientes" “Acredito que não haverá infra-estrutura para receber todos os ônibus que chegarão àquela cidade”.

No dia 12 de maio, o pontífice visitará a Fazenda Esperança em Guaratinguetá, percorrendo o seguinte trajeto: avenida Padroeira do Brasil; rotatória da praça da Bandeira; viaduto Jacobelli; avenida J. K.; ponte Rosinha Filippo; praça 13 de Maio; avenida João Pessoa; rua Alexandre Flemming; e estrada Vicinal Tancredo Neves, até o bairro da Pedrinha. No retorno a Aparecida, a comitiva do papa pegará a estrada municipal Rafael Américo Ranieri, no trevo do Jardim Santa Luzia, passando pelo município do Potim.

Para tanto, foram criados três bolsões especiais de estacionamento: um na entrada da cidade (divisa com Aparecida); um à margem da Avenida J. K. (Ilha dos Ingás) e outro na área institucional ao lado do prédio do Fórum.

A prefeitura de São Paulo divulgou seu esquema de tráfego e estacionamentos durante a visita do papa: haverá bolsões no entorno do Campo de Marte, separados por cor, de acordo com a rodovia de origem do veículo. Não haverá bolsões de estacionamento nas proximidades do estádio do Pacaembu. Os ônibus deverão estacionar nos bolsões próximos ao Campo de Marte e os passageiros serão orientados a utilizar o Metrô ou transporte coletivo até o estádio.

Fonte : Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo

Del Valle Editoria

Contato: vininha@vininha.com

Site: www.animalivre.com.br

  
  

Publicado por em

Leandro Ernandez Belentani

Leandro Ernandez Belentani

23/12/2008 15:14:44
Interessante que no Brasil não se fala do Turismo Religioso Protestante. Talvez pelo preconceito dos católicos ou pelo proprio desmanzelo dos evangelicos. Mas em várias partes do Brasil temos patrimonios historicos ligados ao protestantismo.

Como por exemplo a Catedral Presbiteriana do Rio e de São Paulo, belas arquiteturas "góticas", sem contar as inumeras igrejas no interior paulista que são centenarias. Também não devemos esquecer dos cemiterios protestantes, que fazem parte de um periodo importante da historia do Brasil.

Lugares que são dignos de serem visitados e ninguem da a minima, nem os proprios evangelicos!

Infelizmente brasileiro não tem cultura para isso. E quem trabalha com turismo religioso não entende nada de religião!