Experiências rurais marcam o turismo de Gramado

Um dos roteiros é o Tour do Vale, na localidade da Linha 28, mostra toda beleza dos morros com intensa vegetação, rios e cachoeiras

  
  

O estilo de vida dos imigrantes alemães e italianos que habitaram na região Sul do Brasil é o principal atrativo do roteiro turístico Agroturismo de Gramado, um dos 23 que integram o Projeto Talentos do Brasil Rural, uma parceria entre o Ministério do Turismo, o Ministério do Desenvolvimento Agrário e o Sebrae.

O objetivo do projeto é incluir produtos e serviços da agricultura familiar no turismo brasileiro.

Entre as atrações estão três roteiros com passeios pela área rural da cidade, passando por localidades que tem a presença de imigrantes italianos e alemães, e onde os turistas podem apreciar a vida colonial e as comidas e bebidas típicas da região. São eles: o Tour no Vale, o Raízes Coloniais e o Quatrilho.

São empreendimentos da agricultura familiar que valorizam a identidade cultural da região, geram emprego e renda, além de agregar valor à produção de grupos locais.

Desses roteiros, pelo menos quinze espalhados pelo Brasil já estão em pleno funcionamento e esperam atrair a atenção dos turistas brasileiros e estrangeiros que estarão circulando pelo país durante a Copa do Mundo.

“É um projeto de inclusão social e de consolidação da agroindústria familiar. Os roteiros já estão prontos para serem comercializados e serão mais uma opção aos turistas que estarão no Brasil durante a Copa”, disse o ministro do Turismo, Vinicius Lages.

Quem não estiver de carro, pode contratar o passeio com uma das agências turísticas locais, que apresentam uma programação diária com saída num ônibus especial, chamado de Princesinha.

Um dos roteiros é o Tour do Vale, na localidade da Linha 28, mostra toda beleza dos morros com intensa vegetação, rios e cachoeiras.

Famílias de agricultores de origem italiana recebem os turistas. Além dos momentos de convivência e da compra de produtos da agricultura familiar, o visitante ainda conhece o processo de produção de cachaça artesanal.

No final de todos os passeios é oferecido um café típico colonial italiano ou alemão, dependendo do roteiro escolhido. Em todos os cafés a música e alegria dos colonos está presente.

Os turistas têm a oportunidade de conhecer o local de onde as frutas são colhidas para fazer as “schimia” (geleias servidas para passar no pão), os parreirais de onde se colhe a uva que faz o vinho colonial e os sucos, além de alimentar ovelhas e galinhas.

A segunda opção de roteiro é o do Quatrilho, nas localidades de Campestre do Tigre e Tapera, onde viveram os protagonistas da história real contada em livro pelo escritor José Clemente Pozenato, e que virou filme em 1995 pelas mãos do diretor Fábio Barreto.

A casa onde os personagens moraram está preservada, além disso, os turistas podem conhecer a produção artesanal de vinho e graspa com uma família italiana.

Há 80 anos produzindo vinho artesanal, a família Lazaretti, que tem o empreendimento no roteiro - Quatrilho, viu aumentar em 30% a renda depois que começou a fazer parte da iniciativa turística.

O terceiro roteiro é o Raízes Coloniais, na Linha Bonita e Linha Nova, onde o visitante poderá ver mais de perto uma casa de construção centenária na região, um moinho colonial, o museu colonial, uma fábrica artesal de erva mate.

Segundo a secretária de turismo de Gramado, Rosa Helena Volk, a ideia de criar os roteiros e colocá-los no circuito turístico deu certo e hoje mais de 20 famílias são beneficiadas.

Já Sandro Dieterich, de uma das agências de turismo que opera os passeios para os três roteiros, explica que as visitas são feitas diariamente, e é preciso agendá-las com as famílias que fazem a recepção dos turistas.

Localizado a pouco mais de 120 km de Porto Alegre, uma das cidades-sede da Copa, o município da serra catarinense é um dos principais destinos turísticos para quem quer conhecer o Sul do Brasil.

Além das inúmeras atrações da própria cidade como o Festival de Cinema e Natal Luz, da farta gastronomia e das belezas da região serrana, também foram desenvolvidas outras atrações para os visitantes, que podem curtir também um pouco do frio serrano no período de abril a setembro.

Visite: www.revistaecotour.com.br

Fonte:MTur

  
  

Publicado por em