Incra apresenta projeto de turismo rural para assentamento com pintura rupestre

A Superintendência Regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Piauí apresentou, na sexta-feira (15/4), um projeto de turismo rural para assentamentos do estado que contêm sítios arqueológicos com pinturas rupestres e constr

  
  

A Superintendência Regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) no Piauí apresentou, na sexta-feira (15/4), um projeto de turismo rural para assentamentos do estado que contêm sítios arqueológicos com pinturas rupestres e construções históricas.

A idéia será conhecida durante o curso de capacitação continuada de técnicos da região Nordeste, realizado na sede da autarquia em Recife (PE).

O potencial turístico foi identificado nos assentamentos piauienses de Saco do Juazeiro, em São Miguel do Tapuio, e Pitombeiras, em Buriti dos Montes.

O curso de capacitação de Recife corresponde à primeira diretriz do Programa de Turismo Rural na Agricultura Familiar, promovido pela Secretaria de Agricultura Familiar (SAF), do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), e que vem apoiando, desde 2003, as atividades de turismo rural nas propriedades de agricultores familiares.

O Incra é um órgão parceiro do programa. O engenheiro agrônomo e assegurador ambiental da Superintendência Regional do Piauí, Edésio Ferreira, apresentará a proposta de turismo rural nos assentamentos piauienses.

Desde 1999, a Superintendência do Piauí vem trabalhando em parceria com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e Universidade Federal do Piauí (UFPI), identificando e catalogando os sítios arqueológicos situados em São Miguel do Tapuio.

O trabalho foi interrompido porque não existia uma política voltada para a área. A preocupação do MDA incentivou a retomada do projeto.

`Esperamos que este contato contribua para construirmos mecanismos que viabilizem a política de turismo rural nos assentamentos de reforma agrária do Piauí, o que propicia aos assentados agregar renda às suas atividades, tornando uma alternativa a mais para a agricultura familiar`, defende o agrônomo Ferreira.

A fase inicial do processo de capacitação continuada conta com a realização de cinco cursos regionais para formar profissionais que garantam a qualidade dos projetos técnicos apresentados à Secretaria de Agricultura Familiar. Intensifica-se também, com a iniciativa, o número de contratos de crédito da linha Turismo Rural do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Fonte: Ministério do Desenvolvimento Agrário

  
  

Publicado por em