Barra de São Miguel de cara nova

MTur investe em abastecimento de água e rede coletora de esgoto do município. Para Pedro Novais, união de turismo e sustentabilidade será o grande diferencial da região

  
  
Barra de São Miguel

Por muitos anos, Barra de São Miguel (AL) ficou conhecida como um paraíso cheio de atrativos turísticos, mas com graves problemas de sustentabilidade ambiental. Falésias, mangues e piscinas naturais, que sempre deram charme diferente ao local, disputavam espaço com entraves como a falta de água e esgotos a céu aberto. A partir desta sexta-feira (28/01), esta realidade começa a mudar.

Hoje, o ministro do Turismo, Pedro Novais, inaugurou o novo sistema de abastecimento de água do município alagoano, uma antiga reivindicação da população local. Com um reservatório que armazena 4,8 milhões de litros de água e uma estação capaz de tratar 432m³ de água por hora, a estrutura vai beneficiar 7 mil moradores. Já a rede coletora de esgoto atenderá, inicialmente, cerca de 900 domicílios.

Segundo Novais, a aliança entre turismo e sustentabilidade será um diferencial para o município. “Assim como na Barra de São Miguel, o objetivo do Ministério do Turismo é trabalhar de forma integrada com as prefeituras e governos estaduais, para que a preservação ambiental esteja presente na cadeia turística brasileira”, afirmou durante a solenidade.

Bons frutos
O prefeito do município, Reginaldo Andrade, ressaltou que a economia local já está colhendo os frutos da iniciativa. “Tínhamos esse entrave, que prejudicava a imagem de Barra de São Miguel. A partir desta ação da prefeitura e do Ministério do Turismo, o visitante sabe que encontrará uma cidade preparada para recebê-lo com mais qualidade e conforto”.

O Ministério do Turismo (MTur) destinou R$ 30 milhões para execução das obras da rede de abastecimento e da 1ª fase do novo serviço de saneamento básico. As etapas seguintes, que ampliarão a rede coletora, receberão R$ 16,5 milhões da pasta.

O senador Renan Calheiros ressaltou a importância do trabalho de deputados, senadores e prefeitos, em prol do desenvolvimento de Alagoas. E acrescentou: “a partir dessa parceria com o governo federal, estamos dando um passo importante para o fortalecimento econômico da região”.

Urbanização – Durante agenda no estado, o ministro visitou, ainda, obras de infraestrutura na orla da Lagoa Manguaba, em Marechal Deodoro (AL), que contam com repasse de R$ 3,6 milhões do MTur.

Novais foi à capital, Maceió (AL), para conhecer o projeto de urbanização da orla, que liga os bairros de Cruz das Almas e Jacarecica. As obras estão em andamento e receberam recursos de R$ 21,6 milhões do MTur. O prefeito de Maceió, Cícero Almeida, agradeceu a presença do ministro: “Esta área será um dos principais pontos turísticos de Maceió. Vamos investir para que moradores e visitantes sejam beneficiados por esta iniciativa”.

Participaram da agenda no estado o secretário-executivo do MTur, Frederico Costa, o vice-governador de Alagoas, José Thomaz Nonô; o deputado Augusto Farias; o prefeito de Barra de São Miguel, Reginaldo Andrade; e o prefeito de Marechal Deodoro, Cristiano Matheus.

Bom para a população, bom para o turista
Antes das obras, boa parte do esgoto e do lixo de Barra de São Miguel era despejada no Rio Niquim, que cerca o município e desemboca no Oceano Atlântico. Vários mutirões de limpeza foram realizados no local, mas pouco tempo depois, a situação voltava a ser a mesma. Cristina Marques, que nasceu na Barra de São Miguel, lembra da época quando o Rio Niquim era uma das principais opções de lazer para os moradores.

“Quando eu era menor, tomava banho no rio, brincava lá o tempo todo com os amigos. Há uns dois anos, entrei para me refrescar e peguei uma micose, que me fez gastar todo o dinheiro em medicamentos. Hoje em dia, não deixo minha filha entrar. O risco de doenças é grande”, relata Marques.

Um estudo elaborado pela prefeitura de Barra de São Miguel, em parceria com o Sebrae, por meio do programa Desenvolvimento Local Integrado e Sustentável (DLIS), identificou que os problemas colocavam o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da cidade a níveis muito baixos. O incômodo, principalmente com a falta de água, chegava também até os turistas que, no verão e no carnaval, lotam pousadas, hotéis e casas de temporada. Nessas épocas, segundo a prefeitura, a cidade recebe cerca de 30 mil visitantes.

Fonte: MTur

  
  

Publicado por em