Cidade Maravilhosa em apenas 48 horas

Algumas sugestões de passeios para aproveitar ao máximo

  
  
Copacabana

Vai curtir um final de semana no Rio de Janeiro e não sabe o que fazer na Cidade Maravilhosa em apenas 48 horas? A ideia parece angustiante para quem quer investir nessa proposta e a impressão é que não vai dar tempo de encaixar todas as atrações em dois dias. E, de fato, não dá para visitar plenamente a cidade e é certo ficar um gostinho de “quero mais”. Para aproveitar ao máximo, valem algumas sugestões de passeio que dão uma ideia do que o Rio pode oferecer para visitantes brasileiros e estrangeiros.

Chegando em uma sexta-feira, à noite, reserve um tempo para se acomodar no hotel, o mais rápido que conseguir. A noite do Rio tem um charme especial e, para sentir isso, nada melhor que dar uma caminhada pela orla da Zona Sul e escolher um bar à beira-mar, como o Bar Astor, na famosa Avenida Vieira Souto, em Ipanema. O Astor, que é um verdadeiro clássico da boemia paulista, abriu suas portas para os cariocas no início desse ano e o endereço não poderia ser melhor. De lá é possível acompanhar o movimento dos cariocas pela praia de Ipanema e começar a entrar no clima da cidade.

O sábado pode começar de um jeitinho especial, com um café da manhã na Confeitaria Colombo, no Forte de Copacabana. É uma ideia diferente de apreciar as areias da Princesinha do Mar, como Copacabana é conhecida. Não deixe de pedir as tradicionais torradas Petrópolis, que se destacam no cardápio da confeitaria, fundada em 1894 na rua Gonçalves Dias, no coração do Centro do Rio.

Depois de aproveitar a paisagem do Forte de Copacabana, vá direto para o Pão de Açúcar. Como estacionar pode ser uma tarefa nada fácil, ir de táxi é uma boa opção – são aproximadamente 20 minutos e dá para curtir o visual da Zona Sul ao longo do caminho. Dê preferência para táxis de cooperativa e fique de olho no taxímetro.

A bilheteria do Pão de Açúcar abre às 8h e a primeira viagem Praia Vermelha-Pão de Açúcar parte às 8h20. Depois desse horário, as viagens acontecem de 20 em 20 minutos ou quando atingir a capacidade máxima do bondinho (65 pessoas). O ingresso custa R$ 44 para adultos e crianças com idade entre 6 e 12 anos pagam R$ 22. O barato é que existe uma estrutura para receber cadeirantes, como rampas, elevadores e uma plataforma móvel, que se adapta a qualquer tipo de cadeira de rodas. Lá em cima, o visual do Rio é incrível e boas fotos são garantidas. Ao descer, vale a pena chegar na Praia Vermelha, que fica do lado direito da saída do Pão de Açúcar. Se o horário do almoço estiver se aproximando, vá até o Bar Urca, um endereço charmoso na Urca, a poucos minutos de táxi. Com vista da Baía de Guanabara, saboreie os bolinhos de bacalhau, xodozinhos da casa.

Para dar continuidade à programação, siga para Santa Teresa, com ladeiras e ruelas que guardam o charme de um Rio Antigo. O bondinho pode ser uma alternativa bucólica, mas para quem tem pouco tempo, o melhor é subir de táxi. Peça para ficar no Parque das Ruínas, de onde também se observa a cidade sob um outro ângulo. Nos dias 04, 05, 11 e 12 de setembro, o bairro vai receber a 19ª edição do “Arte de portas abertas”, que já faz parte do calendário cultural do Rio. São dois finais de semana dedicados ao que esse bairro da Zona Sul tem de melhor – arte e gastronomia. Nesses dias, esse recanto histórico fica mais agitado e ganha um colorido especial.

De Santa Teresa, pense em ir para a noite da boêmia Lapa, no Centro. No bairro ficam os Arcos da Lapa, que está ao lado do Circo Voador e próximo da Fundição Progresso, as principais casas de show da região. Passando pelos Arcos, duas ruas – avenida Mem de Sá e rua do Lavradio - concentram bares e restaurantes, que mantêm a fama do bairro como um dos mais animados da cidade. O Antonio’s bar, localizado logo no início da Avenida Mem de Sá, tem cestinhas de pastéis com sabores inusitados, como o de palmito com brócolis e o de pêra com gorgonzola. Vale a pena experimentar enquanto se observa o vai e vem típico do local.

A melhor dica para o domingo é ir ao Corcovado de manhã. O monumento que é a cara do Rio abre às 8h30 e para chegar até ele conte com táxis, vans e o próprio Trem do Corcovado, que parte da estação na rua Cosme Velho, no bairro batizado com o mesmo nome da rua. Vale o aviso de que não é possível subir ao Cristo com carro particular. O ideal é ir até às Paineiras de carro ou táxi e optar por uma das vans da cooperativa Beltour, que fazem o trajeto até o Cristo. A média do preço de táxi até as Paineiras é de R$ 25. O percurso de van custa R$ 25 aos domingos. Recentemente, o Cristo passou por uma reforma, que facilitou o acesso dos portadores de deficiência até a estátua – antigamente, só se alcançava o topo após a subida de 200 degraus de escada. Hoje esse acesso é feito por elevadores, rampas e, na etapa final, escadas rolantes – mas funcionários locais podem colaborar na subida. Somente na extremidade do mirante superior, no entanto, construído na década de 30, o acesso é mais complicado, com obstáculos mais difíceis de transpor.

Depois do Cristo, a Lagoa Rodrigo de Freitas é uma alternativa atraente, que pode se tornar ainda mais divertida se incluir um passeio de pedalinho na própria Lagoa. Os cisnes (pedalinhos) podem ser alugados em um dos decks próximos ao Corte do Cantagalo. Se o cansaço for maior, escolha um dos demais decks ao longo da Lagoa para ficar ligado no pôr-do-sol.

Mas se um mergulho no mar carioca for irresistível, saia do Corcovado direto para uma das praias da Zona Sul. Sair do hotel com a roupa de banho pode ajudar a poupar tempo. Uma vez na praia, complemente a ideia com um pacote de biscoito Globo – biscoito polvilho tradicional entre os praieiros - e um mate gelado, que chegam até você por meio de vendedores que caminham durante horas e horas pelas areias, anunciando em voz alta o que trazem para os banhistas.

Para fechar o dia, em clima de despedida, a margem da própria Lagoa conta com quiosques temáticos. Desde os petiscos cariocas típicos – bolinho de aipim, filé aperitivo, entre outros – apresentados pelo Caipirinha e Filé, até um cardápio orgânico diferenciado, elaborado pelo Palaphita Kitch. Desse jeitinho, vai ser grande a vontade de voltar para conhecer os outros pontos turísticos – Jardim Botânico, Parque Lage, Floresta da Tijuca - e sentir melhor a vida da cidade.

Serviço:

Bar Astor
Endereço: Av. Vieira Souto, 110 – Ipanema
Telefone: (21) 2523-0085
Horário: Terça a quinta, de 18h à 1h; Sexta e sábado, de 12h às 3h e Domingo, de 12h às 20h.
Cartões: VisaElectron, Mastercard, Redeshop, Diners e American Express
Lugares: 200

Confeitaria Colombo
Endereço: Praça Coronel Eugênio Franco, 1 - Forte de Copacabana
Telefone: (21) 3201-4049
Horário: Fechado às segundas. Terça à domingo, das 10h às 20h
Cartões: VisaElectron, Mastercard e Diners
Lugares: 140

Bondinho do Pão de Açúcar
Endereço: Av. Pasteur, 520 – Urca
Telefone: (21) 2461-2700
Horário da bilheteria: diariamente, das 08h às 19h50
Ingressos (até o Pão de Açúcar): R$ 44 (adultos); R$ 22 (crianças de 06 a 12 anos); Grátis para crianças com menos de seis anos.
Cartões: Mastercard, Dinners e Visa

Antonio’s Bar
Endereço: Avenida Mem de Sá, 88 – Lapa
Telefone: (21) 2507-0971 ou (21) 2224-4197
Horário: das 09h até o último cliente
Formas de pagamento: Cheque, Dinheiro, Visa Eletron e Redeshop.
Lugares: 120

Corcovado
Estrada de Ferro Corcovado
Endereço: Rua Cosme Velho, 513 - Cosme Velho
Tel. (21) 2558-1329
Diariamente, a cada 30 minutos, das 8h30 às 18h30, com parada também nas Paineiras
Preço da Passagem: Bilhete Único, R$ 36,00 (inclui ida e volta). Crianças até 5 anos no colo não pagam.

Caipirinha e Filé
Endereço: Av. Borges de Medeiros, s/nº - quiosque 2 (Parque dos Patins) - Lagoa
Telefone: (21) 2259-2966 e (21) 3204-2485
Horário: Fechado às segundas e terças. Quarta a domingo, das 16h à 1h.
Cartões: Mastercard e Visa

Palaphita Kitch
Endereço: Av. Epitácio Pessoa, s/nº - quiosque 20 (Parque do Cantagalo) - Lagoa
Telefone: (21) 2227-0837
Horário: diariamente, das 18h às 03h
Cartões: Mastercard e Visa

Fonte: Rio Guia Oficial

  
  

Publicado por em