Notícias > Turismo > Turismo sol e praia > 

Fortaleza aos seus pés

Já pensou no que fazer em 1h de turismo a pé pela capital cearense? Roteiros históricos, literários e arquitetônicos já estão nas opções oferecidas pela Secretaria de Cultura da cidade para o turista fazer apenas caminhando

7 de Dezembro de 2011.
Publicado por Equipe EcoViagem  

A Praia de Iracema é localizada no centro da orla de Fortaleza e é famosa por retratar a boemia da cidade

A Praia de Iracema é localizada no centro da orla de Fortaleza e é famosa por retratar a boemia da cidade
Foto: Divulgação

Com 34 quilômetros de praias e uma história fruto de embates entre potiguares, portugueses, franceses e holandeses, a capital do Ceará, Fortaleza, está sempre disposta a revelar muito mais a quem dedicá-la momentos de caminhada por seu centro histórico. E por que não começar essa experiência pelo logradouro que atende pelo nome de um dos filhos mais ilustres da cidade? A Praça José de Alencar fica em um quadrilátero formado pelas ruas 24 de Maio, General Sampaio, Guilherme Rocha e Liberato Barroso e é um dos lugares mais famosos da cidade.

A praça é o palco, a céu aberto, para emboladores, repentistas, palhaços e outros tantos artistas mambembes que buscam aplausos e alguns trocados como paga. Ao lado está a Rua Liberato Barroso, o caminho para o teatro de mesmo nome da praça. Com seis espaços cênicos, só a visita ao Theatro José de Alencar, tombado como Patrimônio Nacional pelo Iphan, já vale o passeio.

A arquitetura eclética da casa de espetáculos é um dos mais belos exemplares brasileiros. O teatro possui uma sala de espetáculo em estilo art noveau, um palco a céu aberto e um prédio anexo, com 2,6 mil metros quadrados. Ele é a sede do Centro de Artes Cênicas (Cena), o Teatro Morro do Ouro, a Praça Mestre Pedro Boca Rica, a Biblioteca Carlos Câmara, a Galeria Ramos Cotôco, quatro salas de estudos e ensaios. Nele, são desenvolvidas oficinas de cenotécnica, de figurino e de iluminação. Além disso, o teatro abriga a Orquestra de Câmara Eleazar de Carvalho e o curso Princípios Básicos de Teatro e Circo.

Com um par de tênis a postos, é possível sair do teatro e, pela Rua General Sampaio, conhecer a casa construída pelo poeta Juvenal Galeno, em 1886, que hoje é um centro incentivador da cultura no estado. O local já recebeu personalidades como Rachel de Queiroz, Euclides da Cunha, Gustavo Barroso, Antônio Sales, Leonardo Mota, Jáder de Carvalho e Patativa do Assaré. A construção também foi palco de outro fato histórico: lá, o poeta fez questão receber a Medalha da Abolição da Escravatura do Governo do Estado do Ceará.

A cultura segue pelas ruas de Fortaleza. Saindo da casa de Galeno, basta andar quatro quadras para chegar à Vila das Artes – um novo complexo que difunde a produção da cidade, por meio artistas ainda pouco conhecidos, e se propõe a formar, por meio da cultura, cidadãos mais conscientes.

Roteiros históricos, literários e arquitetônicos já estão nas opções oferecidas pela Secretaria de Cultura da cidade (Secultfor). São projetos como o “Fortaleza a Pé”, que oferece itinerários fixos todos os meses, para quem preferir descobrir a cidade com guias especializados em Turismo Cultural e comentários dos próprios moradores. Mais informações podem ser adquiridas na Secretaria de Turismo de Fortaleza (Setfor) e pelos e-mails: gersonglinhares@yahoo.com.br; fortalezaape@yahoo.com.br, ou ainda pelo Facebook: Turismo a Pé.

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura é um dos principais redutos culturais de Fortaleza

O Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura é um dos principais redutos culturais de Fortaleza
Foto: Divulgação

Caminhando por Iracema
Após uma viagem pela cultura brasileira, a tranquilidade de outros pontos de Fortaleza tem seu espaço garantido na agenda do turista. Durante o dia, a pedida é o calçadão da Praia de Iracema, nome da personagem de José de Alencar. Lá, é possível ver as águas da praia, o movimento das jangadas dos pescadores e saborear um peixinho frito e outros frutos do mar em um dos muitos restaurantes – opções não faltam.

Na Rua dos Tabajaras, à beira mar, estão os cardápios mais tradicionais. Para quem busca preços populares, a área na entrada da Ponte dos Ingleses oferece várias barracas vendendo iguarias menos “calóricas” para o bolso. Conhecida como um dos mais tradicionais pontos turísticos de Fortaleza, a Ponte dos Ingleses, do início do século 20, também é um bom local para curtir o pôr-do-sol.

Homenageando o jangadeiro Francisco José do Nascimento, pelo seu engajamento na luta pala libertação dos escravos, em 1881, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, também em Iracema, tem como palavras de ordem: “movimento e cultura”. Cafés, cinemas, museus, teatro, livraria, local para exposições e um planetário são algumas das atrações do espaço que é um verdadeiro ícone na cidade e que sempre conta com programações artísticas para os moradores e para os visitantes.

Fonte: MTur

Compartilhar nas Redes Sociais

Comentários

fabrizio santos freitas

 postado: 28/1/2012 01:19:09editar

Sem dúvidas muito legal e bem arquitetado! Estão de parabéns por exibir a nossa belíssima Fortaleza.

 

Erecina Farias

 postado: 3/2/2012 16:45:57editar

Fortaleza é tudo de bom, já estive lá três vezes. Quem ainda não foi, está perdendo umas das mais lindas paisagens do nosso Brasil, quem sabe do mundo!

 

 

Veja também

Maceió chega aos 172 anos com muitas e boas opções de turismo e lazerPraia, sol e mar encantam turistas em Salinas

 

editar    editar    editar    0 visitas    2 comentários