Ilhas de garrafas pets ameaçam as águas translúcidas das Maldivas; Veja fotos

Um dos principais destinos turísticos do mundo, as Maldivas estão ameaçadas pelo descarte irregular de resíduos. Se o lixão a céu aberto em Thilafushi não bastasse, toneladas de pets estão formando ilhas de lixo no meio das águas paradisíacas do país

  
  
O grave problema ambiental que era encoberto por empresas turísticas ganhou a mídia mundial após a surfista e cineasta Alison Teal divulgar recentemente um trabalho com este lado nem um pouco paradisíaco das Maldivas

A primeira imagem que se vem à cabeça quando se fala das ilhas Maldivas são suas praias paradisíacas de água azul turquesa com Resorts luxuosos. Porém, fora do enquadramento das fotos que transformaram a região num dos destinos mais procurados do mundo, o lixo toma conta das ilhas. O grave problema ambiental que era encoberto por empresas turísticas ganhou a mídia mundial após a surfista e cineasta Alison Teal divulgar recentemente um trabalho com este lado nem um pouco paradisíaco das Maldivas.

O arquipélago que já foi destino até dos príncipes britânicos William e Kate Middleton, enfrenta um problema sem solução em médio prazo e que aumenta a cada dia. Ao contrário das outras nações, as Maldivas não possuem aterro sanitário e acumularam o lixo durante décadas na ilha de Thilafushi que é popularmente conhecida como "Ilha do lixo". Desde 2011, o local está parcialmente desativado, porém ainda recebe resíduos diariamente.

O problema mais visível do arquipélago chega juntamente com os turistas. Toneladas e toneladas de garrafas pets de todas as cores e tamanhos infestam as águas translúcidas das Maldivas. Por dia, cada visitante produz 3,5 quilos de detritos que em grande parte são descartados de forma irregular. Ao todo, o arquipélago gera diariamente 400 toneladas de lixo. Os resíduos que não são transportados para Thilafushi acabam jogados no mar e originam ilhas de plásticos e garrafas pets. Ao longo do litoral do país se formam diariamente, com o movimento das marés, dezenas de 'ilhotas' de objetos que são descartados no oceano.

As dificuldades deste paraíso no Pacífico Sul não se resumem apenas ao lixo jogado no mar. As montanhas de detritos que são descartados em Thilafushi geram outro problema ao meio ambiente local. Ao final de cada dia, o lixão é queimado para 'resolver' o excesso de resíduo na ilha, porém a medida gera mais gases do Efeito Estufa numa região que já corre contra o tempo para se salvar da subida do nível dos oceanos. Segundo o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) da ONU, as Maldivas estão na lista dos primeiros países do mundo que serão totalmente inundados devido ao Aquecimento Global.

Ilhas Maldivas
Localizada no Oceano Índico ao sudoeste do Sri Lanka e da Índia, as Maldivas são formadas por 1.196 ilhas, das quais apenas 203 são habitadas. Sua capital Malé é o coração financeiro deste paraíso que atrai mais de 800 mil turistas por ano e é um dos destinos preferidos entre os casais em lua de mel.

Se não bastassem as belezas naturais da região, o arquipélago ainda é um paraíso dos esportes radicais. Suas águas transparentes são perfeitas para o mergulho, já na região de Malé, o surfe e windsurfe são o grande destaque para quem gosta de emoção. Outra opção é fazer trilhas pelas centenas de ilhas virgens que o arquipélago possui. Nas Maldivas não faltarão opções únicas de diversão mescladas com paisagens idílicas.

Como chegar
As passagens aéreas rumo a Malé, nas Maldivas, custam a partir de R$ 4975, com saída de São Paulo. Os voos possuem escala e são operados pelas companhias Turkish, Singapore Arlines, Qatar Airways e Combo.

Mapa


.

Confira fotos da poluição nas ilhas Maldivas

Ao final de cada dia, o lixão é queimado para 'resolver' o excesso de resíduo na ilha, porém a medida gera mais gases do Efeito Estufa
As montanhas de detritos que são descartados em Thilafushi geram outro problema ao meio ambiente local
  
  

Publicado por em