Inhambane: Uma nova Moçambique

Quando Vasco da Gama no caminho para a Índia fez a sua primeira escala na costa oriental de África, atracou no porto de Inhambane. Acolhido calorosamente pelos seus habitantes, ele não hesitou em dar a esta baía o nome de Terra da boa gente...

  
  
Inhambane é responsável é o principal polo turístico de Moçambique. Todo o litoral, de Quissico até à província de Sofala, é uma longa sequência de praias

Quando Vasco da Gama no caminho para a Índia fez a sua primeira escala na costa oriental de África, atracou no porto de Inhambane. Acolhido calorosamente pelos seus habitantes, ele não hesitou em dar a esta baía o nome de Terra da boa gente…

Mais de 500 anos após a passagem do navegador português a região ainda merece este nome. A tradição de acolhimento não desapareceu. Além de tudo, o visitante ainda pode aproveitar com uma paisagem bela, decorada por um verdadeiro pomar de coqueiros.

Inhambane possuem também áreas de conservação de flora e fauna, nomeadas o Parque Nacional de Zinave que está no projeto de integração no Grande Parque de Limpopo, o Parque Nacional de Bazaruto e a Reserva de Pomene.

Inhambane é o principal polo turístico de Moçambique. Todo o litoral, de Quissico até à província de Sofala, é uma longa sequência de praias de areia fina, dunas, extensos palmares, lagoas e um mar azulíssimo e imaculado. Não foi por acaso que a universidade pública moçambicana decidiu abrir na capital da província, há quatro anos, uma Escola Superior em Hotelaria e Turismo.

Os investimentos no setor do turismo – na grande maioria sul-africanos – têm-se traduzido numa forte pressão sobre as formações dunares da costa, fato que tem desencadeado grandes polêmicas na região. Em certas zonas, a oferta hoteleira tem crescido muito rapidamente e nem sempre é marcada pela preocupação com a qualidade e com princípios ecologicamente corretos.

Apesar da crescente quantidade de turistas, há locais menos acessíveis, mais afastados dos principais pontos turísticos da região, cheios de dunas e cuja frequência só se nota nos fins de semana ou na temporada alta. Mas mesmo assim, os mais de quinhentos quilômetros de litoral conservam um elevado número de pequenas e belas praias para se descobrir e encantar-se.

Em outras palavras, as praias de Inhambane não se esgotam no badalado arquipélago de Bazaruto e também não são propriamente um segredo. No meio-termo entre as mais frequentadas e as mais distantes das movimentações domingueiras, figura um dos locais “históricos” de veraneio de Inhambane, a pouco mais de dez minutos da capital da província: a praia do Tofo.

A ponta de Tofinho, muito rica em plâncton, abriga quase durante todo o ano tubarões baleias

Talvez daqui a alguns anos, não muitos, certamente, o sossego do Tofo – e, eventualmente, de outras praias da região – não seja mais do que uma memória. Concretizado o projeto de uma estrada que deverá ligar diretamente a província de Mpumalanga, na África do Sul, ao litoral moçambicano o aumento de turistas sul-africanos acabará por induzir transformações profundas na paisagem e nas atividades econômicas da região.

Tofo é o melhor local para a prática de mergulho em Moçambique, possui cerca de 20 locais de mergulho entre 5 e 45-50 minutos de barco.

A ponta de Tofinho, muito rica em plâncton, abriga quase durante todo o ano tubarões baleias. Em boa época não é raro ver 20 a 30 tubarões baleias num trajeto de pouco menos de 30 metros que vai até “Manta reef”, um dos locais de mergulho mais bonitos da área.

Fonte: Destinos de Viagem

  
  

Publicado por em